Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/29693
Título: O papel da edição literária no mercado da cultura
Autor: Garcez, Isabel de Jesus Rato
Orientador: Martins, Manuel Frias
Palavras-chave: Literatura - Edição
Livros - Indústria e comércio
Relações escritores-editores
Estratégias de marketing - Edição
Marketing cultural
Teses de doutoramento - 2017
Data de Defesa: 7-Jun-2017
Resumo: O argumento que sustenta este trabalho parte do princípio óbvio de que só as obras literárias publicadas (tornadas públicas) têm existência social. Assim, procuramos compreender o significado do processo de edição, do ato de transformar uma obra inédita num édito, isto é, uma obra disponível para ser rececionada. Este processo acarreta inegáveis implicações socioculturais e ideológicas, mas debruçar-nos-emos unicamente no tópico da construção do gosto literário e na responsabilidade detida pelos editores e respetivas editoras, enquanto mediadores culturais que viabilizam a existência do leque de obras que participará decisivamente na construção do gosto literário vigente. A figura de editor estudado neste trabalho pertence unicamente ao meio empresarial privado, pelo que não contemplamos organismos públicos que desempenham a mesma função. Pensamos igualmente o livro, enquanto um dos mais antigos e significativos suportes de conhecimento e de cultura, um bem cultural e de consumo e uma entidade que, atualmente, se encontra em rápida transformação conceptual e tecnológica. Em que consiste o processo de edição? O que são linhas editoriais? Como é que os editores se relacionam com os autores? Como é que se projeta o produto final, o livro? Qual é o processo de produção e promoção do livro? Como é que interagem os editores com os restantes agentes internos da cadeia de produção de um livro (administradores, gestores, paginadores, capistas, ilustradores, gráficos, impressores, etc.)? E como é que interagem com os restantes agentes externos do mercado livreiro (livreiros, organismos públicos, média, redes sociais, sistema de ensino, prémios literários, festivais, etc.)? Como é que problematizam os editores e as editoras o papel cultural que desempenham? E como é que equilibram esse papel com o de agentes económicos? Como é que se integram as editoras no seio das indústrias culturais e criativas? E como é que participam nos processos de globalização e glocalização e nos processos de democracia da criação e democratização do acesso aos bens culturais? Estas são as perguntas que estruturam o nosso trabalho.
The argument that supports this work is based on the idea that only published literary works have social existence. Thus we aim at understanding the editing process, the act of transforming an unpublished text into a work ready to be bought and read. This process has several sociocultural and ideological implications. We will focus on the construction of literary taste, particularly on the responsibility held by editors and publishers as cultural mediators that make possible the existence of the set of works that will participate in the construction of the literary taste. The figure of the editor being studied in the thesis belongs to the private business environment. We do not consider, therefore, the same professional activity in public organisms. We envisage the book as one of the oldest and most significant sources of knowledge and culture, a cultural and consumer good that is currently in rapid conceptual and technological transformation. What is the editing process? What are editorial lines? How do editors relate to authors? How do we project a book until it reaches its final stage? What takes place during the process of producing and promoting a book? How do editors interact with other internal agents of a book's production chain (administrators, managers, pagers, designers, illustrators, typographers, etc.)? How do they interact with the external agents of the book market (booksellers, readers, media, social networks, educational systems, literary prizes, festivals, etc.)? How do editors and publishers see themselves and the cultural role they play? How do they articulate that role with that of being economic agents? How do publishers function within the cultural and creative industries? How do they participate in the process of globalization and glocalization? In what way are they involved in the creative workings and in the social access to cultural goods? These are the main questions that structure our thesis.
URI: http://hdl.handle.net/10451/29693
Designação: Doutoramento em Estudos de Cultura
Aparece nas colecções:FL - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfl236725_td.pdf1,7 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.