Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
Departamento de Educação (FC-DE) >
Centro de Investigação em Educação (FC-DE-CIE) >
GI Didáctica da Matemática (FC-DE-CIE-GIDM) >
FC-DE-CIE-GIDM - Capítulos de Livros >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3008

Título: Gestão curricular em Matemática
Autor: Ponte, João Pedro da
Palavras-chave: Gestão curricular
Curriculum management
Tarefa
Tasks
Matemática
Mathematics
Mathematics Teaching
Ensino da Matemática
Issue Date: 2005
Editora: Associação dos Professores de Matemática
Citação: Ponte, J. P. (2005). Gestão curricular em Matemática. In GTI (Ed.), O professor e o desenvolvimento curricular (pp. 11-34). Lisboa: APM.
Resumo: A gestão curricular realizada pelo professor implica uma (re)construção do currículo, tendo em conta os seus alunos e as suas condições de trabalho. Esta gestão curricular assenta, de modo central, em dois elementos. Um deles é a criação de tarefas, a partir das quais os alunos se possam envolver em actividades matematicamente ricas e produtivas. As tarefas podem ser de muitos tipos, umas mais desafiantes outras mais acessíveis, umas mais abertas outras mais fechadas, umas referentes a contextos da realidade outras formuladas em termos puramente matemáticos. Este artigo analisa a diversidade de tarefas que o professor de Matemática pode propor aos seus alunos, dando especial atenção aos problemas, exercícios, investigações, actividades de exploração e projectos. O outro elemento central da gestão curricular é a estratégia posta em prática pelo professor. Uma estratégia de ensino envolve usualmente diferentes tipos de tarefa, articuladas entre si. Um único tipo de tarefa dificilmente atingirá todos os objectivos curriculares valorizados pelo professor. Por isso, usualmente ele procura variar as tarefas, escolhendo-as em função dos acontecimentos e da resposta que vai obtendo dos alunos. O artigo aborda também a questão das estratégias de ensino, dando especial atenção a um dos níveis fundamentais deste processo – a planificação de unidades didácticas. Neste ponto, propõe uma distinção entre duas estratégias fundamentais, o ensino directo e o ensino-aprendizagem exploratório, procurando salientar os seus aspectos mais contrastantes. Analisa, igualmente, os diversos factores que influenciam a planificação de unidades didácticas e o modo como se processa a gestão curricular ao nível da sala de aula.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/3008
ISBN: 972-8768-16-8
Appears in Collections:FC-DE-CIE-GIDM - Capítulos de Livros

Files in This Item:

File Description SizeFormat
05-Ponte_GTI-tarefas-gestao.pdf175,76 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE