Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/30204
Título: Células estaminais e regeneração do tecido ósseo
Autor: Santos , Tiago Samuel Gomes dos
Orientador: Salústio, Paulo
Palavras-chave: Células estaminais
Regeneração óssea
Substitutos ósseos
Engenharia de tecidos
Biomateriais
Mestrado Integrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: O aumento da incidência de determinadas doenças crónicas, associado aos riscos inerentes das atividades diárias, são fatores que predispõe uma maior ocorrência de fraturas na população. A elevada gravidade de certos traumatismos exige que se recorra a tratamentos que muitas vezes são de difícil resolução ou de morosa recuperação. A engenharia de tecidos é uma alternativa aliciante, recorrendo a substitutos ósseos para tratar áreas extensas de descontinuidade óssea. Recorrendo a células estaminais mesenquimatosas (CEMs) impregnadas num suporte físico poroso, estimuladas a diferenciar-se e a proliferar com fatores de crescimento específicos, consegue-se obter um molde com características semelhantes ao osso e com ótimas propriedades osteointegrativas. O suporte deverá ser constituído por um ou vários biomateriais biocompatíveis, resistentes e inócuos. Os materiais cerâmicos, como a hidroxiapatite, são biocompatíveis e osteoindutores, mas carecem de resistência mecânica. Essa propriedade é conseguida com os poliésteres, como o Poli(Ácido Glicólico-Láctico) (PAGL), que, ao invés, são pouco osteoindutores. Estas dificuldades são superadas pela associação de ambos tipos de biomateriais, formando materiais compostos que possuem biocompatibilidade, resistência, biodegradabilidade e versatilidade geométrica. As associações descritas mostram-se promissoras no tratamento de fraturas, uma vez que são menos invasivas, mais célere e com menores probabilidades de resultarem em tratamentos falíveis.
The increased incidence of chronic diseases associated with the risks of daily activities are predisposing factors for a great incidence of fractures in the population. The high severity of certain fractures often need treatments that result in slow recovery or cause long-term health problems. Tissue engineering is an attractive alternative, using bone substitutes for treating large areas of bone discontinuity. Using mesenchymal stem cells (MSCs), stimulated to proliferate and differentiate with specific growth factors, and impregnated within a porous scaffold, it is possible to get a template with characteristics similar to bone and with excellent osteointegrative properties. The scaffold must consist of one or more biocompatible, resistant and safe biomaterials. Ceramic materials, such as hydroxyapatite, are biocompatible and osteoinductive, but lack mechanical strength. This property is achieved by polyesters, such as poly(lactic-glycolic acid) (PLGA), which are, instead, less osteoinductive. These difficulties are overcome by the combination of both types of biomaterials, forming composite materials that together possess biocompatibility, resistance, biodegradability and geometric versatility. So, this is a promising approach for the treatment of fractures, since it is less invasive, faster and with less likelihood of long-term health consequences, still requiring a rigorous cost/benefit analysis to determine the economic gains of this alternative.
Descrição: Trabalho Final de Mestrado Integrado, Ciências Farmacêuticas, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/30204
Designação: Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas
Aparece nas colecções:FF - Trabalhos Finais de Mestrado Integrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MICF_Tiago Santos.pdf635,13 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.