Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Instituto de Ciências Sociais (ICS) >
ICS - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/303

Title: A vida emocional dos eleitores
Authors: Rodrigues, David das Neves, 1974-
Advisor: Vala, Jorge, 1947-
Keywords: Emoções
Racionalidade
Decisões políticas
Comportamento eleitoral
Psicologia política
Teses de mestrado
Issue Date: 2009
Abstract: Nos últimos trinta anos o avanço científico possibilitou aos politólogos reconsiderar osaspectos emocionais das decisões dos eleitores. Enquanto os pressupostos da racionalidadedessas decisões eram postos em causa por várias áreas académicas, emergia uma correntede investigação na ciência política que procurava nas emoções outras explicações para ocomportamento dos eleitores. Apesar da investigação sobre o fenómeno emocional estardisseminada por várias perspectivas e disciplinas, parece ser consensual que os processosemocionais são omnipresentes e condicionam o nosso comportamento. O carácterprimordial das emoções exerce uma importante influência nas nossas opções e decisõespolíticas. Ao longo da vida adquirimos predisposições afectivas que irão delinear o nossopercurso cívico. E a mente organiza crenças, atitudes e ideias através de envolvimentosemocionais que determinam as nossas interpretações do universo político. Por outro lado,as emoções adequam e direccionam as respostas aos estímulos políticos e marcam, antes dequalquer reflexão, a percepção dos actores e símbolos relacionados com a política. Paratestar esta ascendência das emoções nas opções e decisões políticas, apresenta-se umapesquisa onde são comparadas avaliações baseadas em modelos racionais de previsão eexplicação com avaliações baseadas em modelos emocionais. Foram utilizados doismodelos emocionais para detectar diferentes tipos de afecto: um mais estável e outro maiscorrente. Os resultados, além de revelarem a ascendência das emoções, detectaramcomportamentos diferentes para os dois modelos emocionais e permitiram hipótesesexplicativas promissoras. No final, são ponderados alguns aspectos das teorias apresentadase levantadas várias questões sobre os estudos de uma área de investigação em plenoprogresso e que pode proporcionar uma visão diferente dos problemas e dilemas das nossasdemocracias.
In the last thirty years the advances in science gave to political scientists the opportunity to reconsider the emotional features of voters' decisions. While the rationality assumptions of these decisions were questioned by several academic areas, a line of research in political science began to look to voters' behavior trough the lenses of emotions. Although the research on emotion is split in many perspectives and disciplines, it seems quite consensual that emotional processes are omnipresent and influence the behavior in a determinant way. The intervention of emotions in our political options and decisions is primordial and regulative. Trough life we gain affective predispositions that delineate our civic existence. And our mind categorizes beliefs, attitudes and ideas with emotional attachments that will define our interpretations of the political world. On the other hand, emotions adjust and lead the answers to political stimulus and determine, before any thought, the perceptions of the actors and symbols related to politics. To test this ascendency in our options and political decisions, a research was used where rational models of political behavior are compared with emotional models. The applied emotional models search for two kinds of affect: one more stable and other more fluent. The findings show the ascendency of emotions and notice a different behavior for the two emotional models, allowing explanatory hypothesis with a promising perspective for future studies. In the end, some features of the presented theories are considered and several questions are raised about the work in progress that is this research.
Description: Tese de mestrado, (Política Comparada), 2009, Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000565813
http://hdl.handle.net/10451/303
Appears in Collections:ICS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
21616_Ulics50361_tm.pdf968.99 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE