Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/3071
Título: A experiência de fluir em psicoterapia : a perspectiva do terapeuta
Autor: Dias, Cristina Isabel Carujo
Orientador: Marujo, Helena Águeda, 1958-
Palavras-chave: Psicologia positiva
Terapeutas
Psicoterapia
Teses de mestrado - 2009
Data de Defesa: 2009
Resumo: A experiência de fluir corresponde a um estado psicológico muito positivo que ocorre na presença de determinadas condições. Quando essas condições existem e se atinge a experiência de funcionamento óptimo, ou experiência de fluir, vai promover-se o desenvolvimento dos indivíduos. Esse crescimento ocorre na medida em que os indivíduos irão procurar desafios cada vez maiores e mais complexos nas actividades em que vivenciaram o fluir. Consequentemente, isto promove as respectivas competências na resposta a esses desafios, dado que o indivíduo é encorajado a persistir e a repetir a sua actividade, a qual se torna cada vez mais exigente e intrinsecamente recompensadora. O presente estudo procura averiguar se o contexto psicoterapêutico é um espaço propício à vivência da experiência de fluir, tentando perceber inclusive que elementos fazem parte dessa experiência, que consequências provoca, e que características se podem considerar como potenciadoras dessa experiência em terapia, tendo como base a perspectiva do terapeuta. Neste estudo participaram cinco Psicólogos Clínicos, e a metodologia utilizada foi a entrevista semi-estruturada baseada nos itens da escala Dispositional Flow Scale-2 (DFS-2), no modelo da Terapia Centrada nas Soluções e nas questões positivas/apreciativas do modelo do Inquérito Apreciativo. Os resultados revelaram que o contexto psicoterapêutico é propício ao aparecimento da experiência de fluir, uma vez que os componentes dessa experiência são relatados pelos terapeutas entrevistados como estando presentes, propiciando resultados benéficos na promoção da adesão ao processo terapêutico, e na criação e reforço da aliança terapêutica entre outros. Para que a experiência positiva de fluir se vivencie mais frequentemente em terapia é necessário que o cliente se encontre motivado e partilhe conteúdos significativos com o terapeuta, o qual deve por sua vez ser capaz de auto-regular as suas emoções e condições físicas, aumentar as suas competências e acreditar nas suas capacidades, não fazendo auto-avaliação durante a sessão, e mantendo uma postura de abertura e disponibilidade adaptada às necessidades dos seus clientes.
The flow corresponds to a very positive psychological state that occurs in the presence of certain conditions. When these conditions exist and if they reach the experience of optimum functioning the flow will promote the development of the individuals that experience it. The individuals that experience this growth, will look for bigger and more complex challenges each time in the activities that experienced in the flow. What will therefore promote the respective abilities in the reply to these challenges, given that it is encouraged to persist and to repeat its activity, which become more exigent and intrinsically rewarding. The present study looks to inquire if the psychotherapeutic context is a propitious space for experiencing the flow, trying too even understand which elements make part of that experience, which consequences causes and which characteristics can be considered as strenghteners of that experience in therapy, having as base the therapeutic perspective. In this study participated five Clinical Psychologist and the used methodology was the half-structuralized interview based on the items of the Dispositional Flow Scale-2 (DFS-2), on the Therapy Focused on Solutions model and in the questions that are positive/appreciative of the Appreciative Inquiry model. The results have revealed that the psychotherapeutic context is propitious to the appearance of the flow once the therapists tell that these components exist propitiating beneficial results in the promotion of the adhesion to the therapeutic process and in the creation and reinforcement of the therapeutical alliance among others. So that the positive flow experiences in therapy happen more often it is necessary that the client is motivated and share significant contents with the therapist. In its turn the therapist must be capable to self-regulate its emotions and physical conditions, to increase its abilities and to believe its capacities, not self-evaluate in the elapsing time of a session and manage to obtain an opening position and availability adapting himself to the needs of its client.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10451/3071
Aparece nas colecções:FPCE - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfp034931_tm.pdf614,74 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.