Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Instituto de Ciências Sociais (ICS) >
ICS - Artigos em Revistas Nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/327

Título: A Preponderância dos Factores Exógenos na Rejeição do Plano Português de Descolonização para Timor-Leste,1974-1975
Autor: Fernandes, Moisés Silva
Palavras-chave: Descolonização
Políticas externas portuguesa, indonésia e australiana
Instrumentos de política externa
Conjuntura política internacional e regional
Campanhas de desinformação e de destabilização
Issue Date: Feb-2007
Resumo: Pouco tempo após as autoridades portuguesas terem aprovado o projecto dedescolonização para Timor-Leste, a Indonésia intensificou a sua campanha dedesinformação e destabilização da colónia portuguesa. Este comportamento porparte do regime de Suharto contou com a conivência e apoio do governo australiano e contribuiu decisivamente para por termo ao processo de descolonização doterritório, que culminou com a sua invasão em 7 de Dezembro de 1975. Apesar deas autoridades portuguesas, quer em Lisboa, quer em Timor, se terem esforçado nosentido de obter um processo prolongado de descolonização para o território, talnão se veio a observar atendendo a que Portugal foi considerado e tido como umactor secundário na região.Todavia, se recuarmos aos períodos antes da elaboração do plano de descolonizaçãoe do 25 de Abril de 1974, já era notório e constante na política ocidental a aceitaçãodo princípio orientador de que Timor-Leste deveria integrar a Indonésia.
Shortly after the approval by the Portuguese authorities of the plan for the decolonization of East Timor, Indonesia intensified its disinformation and destabilization campaign of the former Portuguese colony. This behaviour by Suharto's regime counted with the connivance of the Australian government, thus contributing decisively to the invasion of the former Portuguese colony on 7 December 1975. Despite the efforts done by the Portuguese authorities, both in Lisbon and Díli, to ensure a drawn out act of self-determination for East Timor, this did not take place due to the fact that Portugal was considered a second rate power in the region. However, if we analyse the draft plan and the pre-Portuguese revolution periods, it was already noticeable and a permanent feature in Western policy the acceptance of East Timor's incorporation into Indonesia.
URI: http://hdl.handle.net/10451/327
Appears in Collections:ICS - Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
21028_ulsd_Moises_Fernandes.pdf335,85 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia