Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/32847
Título: Atitudes face ao envelhecimento e perceção da qualidade de vida em indivíduos adultos mais velhos
Autor: Marques, Inês Lopes
Orientador: Silva, Maria Eugénia Duarte, 1951-
Palavras-chave: Envelhecimento activo
Qualidade de vida - velhice
Idadismo
Teses de mestrado - 2017
Data de Defesa: 2017
Resumo: Objetivos: Este estudo procura analisar as relações entre atitudes face ao envelhecimento e perceção da qualidade de vida em adultos mais velhos. Amostra: A amostra é constituída por 219 adultos, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 65 anos e não institucionalizados. Instrumentos: Foram aplicados individualmente os seguintes questionários: Questionário Sociodemográfico; Avaliação da Qualidade de Vida (WHOQOL-Bref), originalmente desenvolvida pela OMS (1998; 2001), traduzida e adaptada em Portugal por Canavarro, Simões, Vaz Serra, Pereira, Rijo, Quartilho, e Carona (2007); Questionário de Atitudes face ao Envelhecimento (AAQ-24), originalmente desenvolvido por Laidlaw, Power, e Schmidt (2007), na versão portuguesa desenvolvida por Silva, Lima, e Machado (2013). Resultados: Não se encontram diferenças significativas entre homens e mulheres quanto à perceção da qualidade de vida. Não se encontraram igualmente diferenças significativas entre homens e mulheres relativamente às atitudes face ao envelhecimento foi encontrada uma correlação negativa significativa entre idade cronológica e domínio físico da Escala WHOQOL-Bref encontrou-se uma correlação negativa significativa entre a variável idade cronológica e a subescala de Perdas Sociais do questionário AAQ-24. Não se encontraram diferenças significativas perceção da qualidade de vida tendo em conta o estado civil. Encontrou-se uma correlação positiva significativa entre a perceção da qualidade de vida e as atitudes face ao envelhecimento. Conclusões: Quanto mais velhos são os adultos maior perceção têm de perdas físicas ocorridas, comprometendo a sua qualidade de vida; também em função do aumento da idade cronológica referem mais perdas sociais o que se traduz em atitudes face ao envelhecimento mais negativas; e a perceção da qualidade de vida associa-se com as atitudes face ao envelhecimento nos adultos mais velhos. Limitações: Uso de uma amostra de conveniência e o recurso a estatística correlacional que não permitem generalizar os resultados, nem extrair relações causais entre as variáveis.
Objectives: This study aims to analyze the relationship between attitudes towards aging and perception of quality of life in older adults. Sample: The sample is made up of 219 adults, of both sexes, aged 65 and over and not institutionalized. Instruments: The following questionnaires were applied individually: Sociodemographic Questionnaire; (WHOQOL-Bref), originally developed by WHO (1998, 2001), translated and adapted in Portugal by Canavarro, Simões, Vaz Serra, Pereira, Rijo, Quiltil, and Carona (2007); (AAQ-24), originally developed by Laidlaw, Power, and Schmidt (2007), in the Portuguese version developed by Silva, Lima, and Machado (2013). Results: There are no significant differences between men and women in the perception of quality of life. There were also no significant differences between men and women regarding attitudes towards aging. A significant negative correlation between chronological age and physical domain of the WHOQOL-Bref Scale was found to be a significant negative correlation between the chronological age variable and the Loss subscale Questionnaire AAQ-24. There were no significant differences in the perception of quality of life taking into account marital status. There was a significant positive correlation between the perception of quality of life and attitudes towards aging. Conclusions: The older the adults, the greater perception they have of physical losses occurred, compromising their quality of life. Due to the increase in chronological age, they refer to more social losses, which translates into more negative attitudes towards aging. The perception of quality of life is associated with attitudes towards aging in older adults. Limitations: Use of a convenience sample and the use of correlational statistics that do not allow to generalize the results, nor to extract causal relations among the variables.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2017
URI: http://hdl.handle.net/10451/32847
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie052778_tm.pdf911,1 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.