Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/32920
Título: Custos da doença atribuíveis à hipercolesterolémia em Portugal
Outros títulos: Costs of illness due to hypeercholesterolemia in Portugal
Autor: Gouveia, Miguel
Borges, Margarida
Costa, João
Oliveira, Eduardo
David, Cláudio
Carneiro, António Vaz
Palavras-chave: Cardiovascular disease
Coronary heart disease
Cerebrovascular disease
Direct costs
Indirect costs
Costs of illness
Economic studies
Evidence-based cardiology
Data: 2004
Editora: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Citação: Rev Port Cardiol 2004;23 (7-8):1037-1054
Resumo: Cardiovascular diseases are the main cause of death in Portugal, in developed countries and, indeed, worldwide. Hypercholesterolemia is a major risk factor for these diseases, including ischemic heart disease, cerebrovascular disease, and peripheral vascular disease. This paper reports the results of a study of the cost of illness associated with hypercholesterolemia and the costs directly attributable to hypercholesterolemia in Portugal, estimated from data for the year 2000. The results indicate that the cost of the health care provided to deal with illnesses associated with hypercholesterolemia was Euros 735.9 million (direct costs) and the costs of lost production due to disability of patients of working age was Euros 74.82 million (indirect costs). The costs attributable to hypercholesterolemia, those that would be avoided if hypercholesterolemia were completely eliminated, amount to Euros 358.84 million in direct costs and Euros 28.31 million in indirect costs. These results confirm that hypercholesterolemia is a source of major health costs. This means that hypercholesterolemia deserves special attention from those who formulate health policy and should be given priority in implementing such policies.
As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em Portugal, na generalidade dos países desenvolvidos e de facto em todo o mundo. A hipercolesterolémia é um dos principais factores de risco de tais doenças, incluindo a doença isquémica do coração, a doença vascular cerebral e a doença vascular periférica. Este artigo reporta os resultados de um estudo dos custos das doenças associadas à hipercolesterolémia e dos custos directamente atribuíveis à hipercolesterolémia estimados com base nos dados do ano 2000 em Portugal. Os resultados obtidos apontam para que as doenças associadas à hipercolesterolémia tenham requerido cuidados de saúde com o custo de a735,9 milhões (custos directos) e gerado perdas de produção por incapacidade dos doentes em idade activa de a 74,82 milhões (custos indirectos). Os custos atribuíveis à hipercolesterolémia, aqueles que seriam evitados se a hipercolesterolémia fosse completamente eliminada, somaram um total a 358,84 milhões para os custos directos e a 28,31 milhões para os custos indirectos. Estes resultados confirmam a ideia de a hipercolesterolémia ser uma fonte de custos de grande dimensão. Essa é uma razão para que a hipercolesterolémia mereça a atenção devida dos decisores das políticas de saúde e a prioridade correspondente na formulação de tais políticas.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/32920
ISSN: 0870-2551
Versão do Editor: http://www.spc.pt/spc/publicacoes/rpc.aspx
Aparece nas colecções:FM-CEMBE-Artigos em Revistas Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Hipercolesterolemia.pdf122,5 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.