Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/33238
Título: Controlo da tensão arterial em idosos hipertensos medicados da região de Lisboa
Autor: Pilar, Verónica del Pilar Gómez Teixeira, 1985-
Orientador: Rocha, Evangelista, 1947-
Ribeiro, Óscar Manuel Soares
Palavras-chave: Idosos
Hipertensão
Prevenção e controlo
Cuidados de saúde primários
Grupos étnicos
Teses de mestrado - 2017
Data de Defesa: 2017
Resumo: Introdução: Em Portugal, uma baixa percentagem de hipertensos medicados encontra-se controlada. Desconhece-se a relação dos determinantes socioeconómicos com o controlo tensional na população com 60 e mais particularmente se de origem africana. Objetivo: Comparar a frequência de controlo nos idosos hipertensos medicados e identificar características associadas à hipertensão tratada não controlada, entre idosos nativos portugueses (caucasianos) e idosos imigrantes dos PALOP (negros). Material e Métodos: Estudo transversal de hipertensos tratados, com 60-80 anos, aleatorizados dos Cuidados de Saúde Primários da região de Lisboa. Recolheram-se dados sociodemográficos, clínicos e referentes a cuidados de saúde através de entrevistas estruturadas. Comparou-se a frequência de hipertensos não controlados nos dois grupos, identificando-se fatores relacionados por análise uni e multivariada. Resultados: Participaram 446 hipertensos tratados: 319 nativos e 127 imigrantes. Destes, 46% e 44% tinham a hipertensão controlada, respetivamente. A adesão à terapêutica foi superior nos idosos nativos (54%) do que nos idosos imigrantes (42%). Após ajuste para as variáveis que apresentaram significado estatístico, verificou-se que em ambos os grupos a auto perceção de controlo da HTA se revelou mais associada ao não controlo da HTA (OR: 3,78; IC95%:1,22-11,66) e OR: 4,83; IC95%: 2,24-10,43, respectivamente para imigrantes africanos e nativos portugueses). Discussão: O controlo da hipertensão tratada tem vindo a aumentar nos últimos anos. Os factores associados ao controlo da HTA foram diferentes nos idosos nativos e idosos imigrantes. No entanto, estas diferenças não resultaram em níveis de controlo estatisticamente diferentes, com excepção da auto perceção do controlo da HTA. Conclusões: Será necessário definir estratégias e recomendações para o controlo da hipertensão nos cuidados de saúde primários que tenham em conta as especificidades da população idosa e, em particular, para os simultaneamente imigrantes.
Introduction: In Portugal, a low number of patients with hypertension is found to be controlled. The relation between socio-economic determinants and hypertension control, particularly for the population over 60 and in African immigrants, remains unknown. Aims: To compare frequency of control in treated hypertensive older adults and to identify characteristics associated with uncontrolled and treated hypertension between Portuguese natives (Caucasian) and Portuguese Speaking African Countries immigrants (black). Material and Methods: Cross-sectional study of patients with treated hypertension, aged 60-80 years old, randomized from Primary Health Care of Lisbon Region. We collected sociodemographic, clinical and health care data by means of structured interviews. We compared the frequency of patients with uncontrolled hypertension, and identified related factors through uni and multivariate analysis. Results: In this study were included 446 patients with treated hypertension: 319 natives and 127 immigrants. From these, 46% and 44% had controlled hypertension, respectively. Adherence to medication was higher in elderly natives (54%) than in elderly immigrants (42%). After adjustment for the statistically significant variables, self-perception of uncontrolled BP was more associated to uncontrolled BD, in both groups (OR: 3,78; CI95%:1,22-11,66 and OR: 4,83; ICI95%: 2,24-10,43, for african immigrants and native Portuguese, respectively). Discussion: Treated hypertension control has been increasing over the last years. Elderly natives and immigrants differed on the factors associated to BP control. Nevertheless, these differences weren’t statistically different, except for self-perception of uncontrolled BP Conclusions: There’s a need for defining strategies and recommendations to control hypertension in primary health care that are specific for the elderly population and elderly immigrants in particular.
Descrição: Tese de mestrado, Epidemiologia, Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2017
URI: http://hdl.handle.net/10451/33238
Designação: Mestrado em Epidemiologia
Aparece nas colecções:FM - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
11377_Tese.pdf1,97 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.