Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3324

Título: Os jovens e a mentira: um estudo centrado em diferentes momentos do percurso escolar
Autor: Martins, Marina Filipa Correia
Orientador: Carvalho, Carolina, 1960-
Palavras-chave: Concepção de Mentira
Jovens
Desenvolvimento moral
Teses de mestrado - 2009
Issue Date: 2009
Resumo: Num momento em que, na nossa sociedade, se assiste continuamente a paradigmas verdadeiramente excepcionais de verdade e mentira, evidencia-se, dada à relativa escassez de estudos relacionados, a necessidade de compreender e acompanhar a leitura que os mais novos fazem destas questões. O trabalho agora apresentado tem como problemática geral, As concepções que os jovens têm sobre a Mentira e procura, através de uma metodologia de carácter misto, compreender as concepções que os jovens(adolescentes e pré-adolescentes) têm acerca da Mentira, consoante o género e em diferentes momentos do seu percurso escolar. Pretende-se, através da aplicação de entrevistas e questionários a um conjunto de 118 alunos de ambos os géneros e de diferentes anos lectivos (7º, 9º e 12ºanos), clarificar a sua visão de Mentira, perceber o papel que pais, escola e pares, têm nesta dinâmica e compreender de que forma o reforço da relação escola-família pode contribuir para a diminuição de situações que envolvam a Mentira na adolescência e, eventualmente, ajudar a esclarecer a origem de determinados valores morais. Os dados recolhidos, permitiram desenvolver conclusões interessantes, evidenciando particularmente as diferenças de género e nível de escolaridade, na compreensão da problemática geral. Os resultados vieram confirmar que a Mentira, enquanto ferramenta de uso diária nos discursos e acções humanas, se demarca indubitavelmente do plano de operações morais, aceites e valorizados na nossa sociedade. A clara noção apresentada por qualquer um dos participantes, de que a Mentira, embora por vezes utilizada e empregue para proveito próprio, é socialmente condenável e desconsiderada do ponto de vista ético, reafirma o lugar depreciativo que essa acção toma no quadro social de valores morais. Apesar de existirem situações em que as diferenças de género são notórias, é essencialmente no que diz respeito ao nível de escolaridade e, consequentemente idade, que se notam as diferenças mais significativas nas concepções de Mentira.
In times like these when, in our society, there are continually, truly exceptional paradigms of truth and lies, it becomes clear, faced the scarcity of studies related, the need to understand and monitor the intuition that most of young people make of these issues. The work presented here has as a general issue The conceptions that young people have about Lies, and it demands, through a mixed methodology, to understand the conceptions of young people about Lies, according to gender and in different times of their educational background. It is intended, through the application of interviews and questionnaires to a restricted group of 118 students of different academic stages, to clarify its vision of lies, to understand the role that parents, school and peers, have in this dynamic and finally to understand how do the strengthening of the relationship between schools and families can contribute to the decrease of situations involving lies in adolescence and, possibly, how can this can help to clarify the origin of certain moral values. The collected data, after being analysed and compared with the related literature, has developed interesting conclusions, particularly highlighting the gender differences and education level, understanding the general problem. The results confirmed that the lie as a tool to use in everyday discourse and human actions, it certainly is inconsistent with the plane of moral operations, accepted and valued in our society. The clear idea, showed by any of the participants, regardless of age, that lie, although sometimes used for private gain, is socially condemned and disregarded on ethical point of view, it reaffirms the dirtiness that this action takes on the moral values scenery. Although there are situations where the gender differences are notable, it is mainly through the school grade development and therefore age, that we can see the most significant differences in the conception of lie.
Descrição: Tese de mestrado, Educação (Formação Pessoal e Social), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10451/3324
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc055640_tm_marina_martins.pdf1,27 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE