Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/334
Título: Aspectos do regime térmico do solo da península de Hurd (Ilha Livingston, Antártica)
Autor: Nieuwendam, Alexandre Trindade
Orientador: Vieira, Gonçalo Teles,1971-
Palavras-chave: Permafrost - Ilha Livingston (Antártida)
Regimes térmicos dos solos
Alterações climáticas - Ilha Livingston (Antártida)
Temperatura dos solos
Geomorfologia dinâmica -Ilha Livingston (Antártida)
Ilha Livingston (Antártida)
Data de Defesa: 2009
Resumo: A região da Península Antárctica registou um aumento da temperatura média anual do ar na ordem dos 2,5°C nos últimos 50 anos. Esta região localiza-se próximo do limite latitudinal do permafrost e o modo como está a reagir a esta tendência climática ainda é pouco conhecido. Este trabalho procura conhecer, em pormenor, o regime térmico da camada activa e do permafrost na Península Hurd, na ilha Livingston, e o controlo exercido pelas variáveis climáticas na sua distribuição espacial. Procedeu-se, para isso, à análise dos dados dos verões de 1998-99, 1999-00 e 2000-01, recolhidos por uma estação micrometeorológica localizada no monte Reina Sofia (275 m), próximo da Base Antárctica Espanhola. Analisaram-se também as temperaturas do solo da proximidade da Base Antárctica Búlgara, iniciadas em 2006, através da instalação de um sítio de monitorização da camada activa de acordo com o protocolo CALM-S. Em 2008 iniciou-se a instalação de uma rede de sondagens em rocha para a monitorização da temperatura do permafrost. Foram efectuadas perfurações no sítio CALM-S e Papagal, com 5 e 4 m de profundidade, respectivamente, cujos dados foram também analisados. Para os períodos de Verão, foram estudados os tipos de regimes térmicos diários do solo e a sua relação com as condições micrometeorológicas. Os dados mostram uma grande irregularidade dos tipos de regimes, sem existir um padrão dominante. A análise discriminante revelou que as variáveis que mais contribuem para a definição do tipo de regime térmico são a velocidade do vento, a radiação difusa e a taxa de nebulosidade. A análise dos quase dois anos de dados da proximidade da Base Antárctica Búlgara expõe a relação entre as temperaturas do ar, espessura da neve com os tipos de regime térmico diário do solo. Entre outros aspectos, salienta-se a variabilidade interanual da cobertura da neve, com fortes consequências no regime térmico do solo. Os dados das perfurações indicam que estas se localizam próximo da fronteira altitudinal do permafrost contínuo em rocha e que esta é uma área privilegiada para estudar o modo como o aquecimento atmosférico está a influenciar a sua degradação do solo gelado, bem como a dinâmica da paisagem em resposta a esse fenómeno.
The Antarctic Peninsula region has experienced in the last 50 years a warming trend of 2.5ºC in the mean annual air temperature. This region is located near the latitudinal limit of permafrost, and the way it is reacting to this warming trend is still poorly known. The focus of this research is to study the thermal regime of the active layer and permafrost in Hurd Peninsula (Livingston Island), as well as the influence of climate factors on its spatial distribution and temporal variability. Data originates from 3 sources: a) Summer micrometeorological and ground temperature data from 1998-99, 1999-00, 2000-01 from a station installed in Reina Sofia Hill (275 m) in the proximity of the Spanish Antarctic Station; b) an active layer monitoring site following the CALM-S protocol installed in the vicinity of the Bulgarian Antarctic Station with data for late 2006, 2007 and 2008; c) Rock temperature monitoring boreholes at the CALMS site (5m) and Papagal (4m) allowing for analysis of the active layer temperatures near the permafrost lower altitudinal boundary. The relationship between the ground thermal regimes during the summer and the microclimate conditions are analysed. The data shows a high irregularity of the daily thermal regimes, without any prevailing pattern. The discriminant analysis shows that the variables that most contribute to the occurrence of the daily thermal regimes are wind speed, diffuse radiation and the cloud cover. The ground temperature data for two years in the proximity of the Bulgarian Antarctic Station allows to evaluate the relationship of air temperatures, snow thickness and the thermal regimes of the ground. The data shows a high interanual variation of the snow cover and its consequences on the ground thermal regime. Borehole data supports that the monitoring sites are located near the lower boundary of continuous permafrost in bedrock and that this area is privileged for the studying how the atmospheric warming trend will influence permafrost degradation, as well as the landscape dynamics.
Descrição: Tese de mestrado, GeografiaUniversidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2009
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000566823
http://hdl.handle.net/10451/334
Aparece nas colecções:FL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
20161_ulfl064952_tm.pdf4,91 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.