Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3367

Title: The status of Free Will in ancient Egypt's old and middle kingdoms according to the Instruction of Ptahhotep
Authors: Silva, André de Campos
Advisor: Ramos, José Augusto,1942-
Hays, Harold M.
Keywords: Máximas de Ptahhotep
Livre arbítrio - Egipto - Antiguidade
Responsabilidade - Egipto - Antiguidade
Egipto - História - Antiguidade
Teses de mestrado - 2011
Issue Date: 2010
Abstract: This thesis tackles the problem of free will in ancient Egypt having as point of departure the Instruction of Ptahhotep. In order to assess the status and conception of free will in a given culture one has to grasp the way that very culture understands man as an agent. Therefore, in the first chapter five of the elements which constitute human nature and which are featured in the Instruction of Ptahhotep were scrutinised; these elements are: the moral character, heart, belly, kA, and bA. Of these the most important and relevant in the conception of the human agent is the heart. It was concluded that these elements have little to do with volition but, nonetheless, play a major role in free will: they grant the individual the ability to will freely. Besides the agent conception, it is also important to address the principal obstacle to free will, which in the foregoing instruction are the gods. Therefore the second chapter was dedicated to the analysis of divine intervention. This was divided into “divine determination” and “fate.” In this chapter focus was directed to what one may term “negative divine intervention.” In this type of intervention a god not only controls the actions of an individual, but, through that control, may also condemn him to not be able to access the hereafter and lead a pleasant existence there. But divine intervention was not always believed to be negative. There was also a “positive divine intervention.” An example of such intervention is the maintenance of the created world by the gods. In a like manner a god could also be beneficial towards an individual, usually in a reciprocal relation. At the conclusion it was inferred tha the importance given to moral responsibility in the extant written record is determinant to the status of free will; even though some may be determined by a god, those who are not have the possibility to will freely.
Esta tese aborda o problema do livre arbítrio no antigo Egipto tendo como ponto de partida a Instrução de Ptahhotep. De modo a avaliar o estatuto e concepção do livre arbítrio numa dada cultura, é necessário apreender o modo de como essa cultura entende o homem como agente. Por conseguinte, no primeiro capítulo são analisados cinco elementos constituintes da natureza humana e que figuram na Instrução de Ptahhotep; estes elementos são: o carácter moral, o coração, o ventre, o kA, e o bA. Destes, o mais importante e relevante na concepção do agente humano é o coração. Foi concluído que estes elementos têm pouca relação com a volição mas que, no entanto, desempenham um papel fundamental no livre arbítrio: garantem ao indivíduo a capacidade de escolher livremente. Para além da concepção do agente, é também importante abordar o principal obstáculo ao livre arbítrio, que na referida instrução são os deuses. Consequentemente o segundo capítulo foi dedicado à análise da intervenção divina. Esta foi dividida em “determinação divina” e “destino”. Neste capítulo a atenção foi direccionada para o que podemos designar de “intervenção divina negativa”. Neste tipo de intervenção, um deus não só controla o indivíduo como, através desse mesmo controlo, pode também condená-lo a não poder desfrutar de uma vida agradável no Além. Mas a intervenção divina pode também ser positiva, manifestando-se por vezes na relação recíproca entre homem e deus. Na conclusão foi inferido que o relevo dado à responsabilidade moral no registo documental chegado até nós é determinante para o estatuto do livre arbítrio; mesmo que alguns sejam determinados por um deus, aqueles que não o são têm a possibilidade de escolher livremente.
Description: Tese de mestrado, História Antiga, Egiptologia, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/3367
Appears in Collections:FL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfl087137_tm.pdf979.45 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE