Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Instituto de Educação (IE) >
IE - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3394

Title: Enfermeiros nas comunidades : produção de cuidados e reconstrução identitária
Authors: Espiney, Luísa Maria Correia Azevedo de, 1957-
Advisor: Canário, Rui, 1948-
Keywords: Formação de adultos
Enfermeiros
Saúde comunitária
Teses de doutoramento - 2011
Issue Date: 2010
Abstract: A partir do meu percurso profissional e das reflexões que este me suscitou questiono o processo de construção identitária dos enfermeiros tendo por referência autores como Dubar, Dubet e Castellls. O problema é equacionado em torno das trajectórias identitárias da enfermagem ao longo do século XX, das lógicas que atravessam as sucessivas reformas dos cuidados de saúde primários com particular ênfase para a de 2005, que tem vindo a introduzir transformações significativas ao nível da organização do trabalho, das relações e das práticas profissionais. Pretendo compreender o processo de reconfiguração identitária dos enfermeiros em cuidados de saúde primários, pelo que desenvolvo um estudo etnográfico em dois contextos de cuidados de saúde primários. Acompanho uma equipa de enfermeiras que desenvolve o “projecto das unidades móveis” e uma equipa de enfermeiras que intervém nos cuidados domiciliários/continuados. As trajectórias profissionais deste grupo, a par com as reflexões sobre as práticas que desenvolvem actualmente, cruzam-se com as notas de campo do trabalho etnográfico para fundamentar a narrativa que aqui elaboro. Concluo que ao nível do trabalho no centro de saúde e nas comunidades a enfermagem permanece como profissão periférica da medicina que mantém a sua dominância como estruturante da distribuição social dos cuidados e que os saberes oriundos da biomedicina, apesar do seu predomínio, perdem a exclusividade. As enfermeiras ganham autonomia profissional e desenvolvem um trabalho que tende a ser cada vez mais conceptual à medida que se afastam da prestação de cuidados directos. Os seus percursos divergem, por um lado, no sentido do aprofundamento dos conhecimentos médicos e, por outro, de um investimento crescente na gestão de situações problema no quadro de equipas multiprofissionais. A identidade de ofício, que dominou grande parte do século XX, perdeu expressão, para ceder lugar a formas diversificadas de construção identitária a partir das trajectórias pessoais, das transformações políticas e organizacionais na procura de encontrar sentidos particulares para as suas práticas de enfermagem. Palavras Chave: Identidades; Enfermagem; Comunidades; Trajectórias; Politicas de Saúde; Cuidados de Saúde Primários.
From my professional career and from the reflections raised, I question the identity construction process of nurses with reference to authors such as Dubar, Dubet and Castells. The problem is pondered around the trajectories of identity of nursing throughout the twentieth century as well as around the logic inherent to the successive reforms of primary health care with particular emphasis on the reform of 2005, which has been introducing significant changes in the organization of work, of relations and of practices. I wish to understand the process of identity reconfiguration of nurses in primary health care and therefore develop an ethnographic study in two contexts of primary health care. I follow a team of nurses who developed the "project of mobile units” as well as a team of nurses involved in home care / ongoing care. The career paths of this group, along with the reflections on the practices established, intersect the field notes of the ethnographic work developed, substantiating the narrative work. I conclude that, at the level of health centres and communities, nursing as a profession is still a peripheral element of medicine, which maintains its dominance as a structuring element of the social distribution of care; the knowledge of biomedicine, despite its dominance, loses exclusivity. Nurses gain professional autonomy and develop work that tends to be increasingly conceptual as they move away from providing direct care. Their paths diverge in order to, firstly, deepen the medical knowledge and, secondly, to increase the investment in management of problem situations in the context of multidisciplinary teams. The identity as craftwork, which dominated much of the twentieth century, lost expression, giving way to diverse forms of identity construction, from personal paths as well as from political and organizational transformations, in the search of specific directions for nursing practices.
Description: Tese de doutoramento, Educação (Formação de Adultos), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/3394
Appears in Collections:IE - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulas060468_td_Luisa_d_espiney.pdf2.17 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE