Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/34143
Título: Concepções de e autorregulação da aprendizagem do desenho artístico em estudantes universitários
Autor: Freire, Luiz Gustavo Lima
Orientador: Duarte, António Manuel, 1961-
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2018
Estratégias de aprendizagem
Desenho
Autorregulação
Aprendizagem
Data de Defesa: 2018
Resumo: Esta dissertação enquadra-se no cruzamento de duas teorias sobre a aprendizagem acadêmica: a teoria das Abordagens à Aprendizagem (Students’ Approaches to Learning – SAL) e a teoria da Aprendizagem Autorregulada (Self-Regulated Learning - SRL), tendo por objetivo explorar as concepções sobre a aprendizagem do desenho artístico, a autorregulação dessa aprendizagem e a relação entre ambas em estudantes universitários. A dissertação é constituída por uma introdução teórica por três estudos empíricos, por uma conclusão, finalizando com as referências bibliográficas e os anexos. O primeiro estudo, de cariz fenomenográfico, teve como objetivo mapear e explorar a representatividade das concepções de estudantes universitários sobre a aprendizagem do desenho artístico. Um grupo de dezesseis estudantes de uma disciplina livre de desenho foi entrevistado sobre a natureza, o processo, o contexto, os fatores, as funções e os problemas da aprendizagem do desenho artístico. As respostas, que foram submetidas a uma análise de conteúdo temática, evidenciaram, como resultado principal, a distinção entre uma representação mental da aprendizagem do desenho como algo mais passivo (i.e., cópia ou representação de realidades observadas; através de técnicas e da prática; no ambiente académico) e algo mais ativo (i.e., expressão pessoal; através da compreensão do que se percepciona e de mudanças pessoais; no ambiente amplo). Emergiu ainda outra representação mental básica, de meio-termo, que define a aprendizagem do desenho como algo de intermédio (i.e., desenvolvimento perceptivo; representação de percepções ou da imaginação; criação de técnicas). Secundariamente, os resultados apontaram uma diferenciação ampla de representações mentais quanto aos fatores, funções e problemas da aprendizagem do desenho. O segundo estudo com a mesma amostra, teve o objetivo de verificar a possível existência, para a aprendizagem do desenho artístico, de duas formas de aprendizagem identificadas para a aprendizagem académica em geral: “heterorregulada” e “autorregulada”. Pretendeu ainda explorar qualitativamente e quantitativamente as estratégias de aprendizagem “autorregulada” possivelmente utilizadas na aprendizagem do desenho artístico. Para o efeito, aquele mesmo grupo de estudantes foi igualmente entrevistado, com base numa versão adaptada do Self-Regulated Learning Interview Schedule (SRLIS) de Zimmerman e Martinez-Pons (1986). As respostas dadas a essa entrevista, que também foram submetidas a uma análise de conteúdo temática, evidenciaram, para além de uma representação mental indefinida (i.e., vaga) sobre as estratégias que se utiliza para a aprendizagem do desenho , a existência, quer de uma aprendizagem “heterorregulada” quer de uma aprendizagem “autorregulada” do desenho, que por sua vez se diferencia numa variedade de estratégias (i.e., autoavaliação; organização e transformação; planificação e formulação de metas; busca de informação; supervisão e tomada de registos; estruturação do ambiente; revisão e memorização; procura de assistência; autocontrole). O terceiro estudo, igualmente com a mesma amostra, procurou investigar a relação da concepção de aprendizagem do desenho artístico com a autorregulação dessa aprendizagem, explorando a relação das categorias resultantes da análise de conteúdo das respostas conferidas às entrevistas do primeiro e do segundo estudo. Para o efeito foram calculadas as coocorrências das categorias, assim como o teste de Fisher entre as categorias das duas variáveis. Os resultados indicaram que as estratégias de aprendizagem do desenho nem sempre são convergentes com as concepções sobre aquela aprendizagem, o que é lido em função de possíveis exigências do contexto de aprendizagem e da natureza da tarefa de desenho. Por outro lado, apesar de uma concepção ativa da aprendizagem do desenho não se relacionar positiva e significativamente com uma autorregulação dessa aprendizagem, tende a relacionar-se negativamente com a heterorregulação daquela aprendizagem. No mesmo sentido, apurou-se uma tendência de associação positiva entre uma concepção ampla de aprendizagem do desenho e a sua autorregulação.
This dissertation is framed by two theories about academic learning: the Students' Approaches to Learning (SAL) and the Self-Regulated Learning (SRL) theory, aiming to explore the Conceptions about the learning of the artistic design, the self-regulation of this learning and the relation between both in university students. The dissertation consists of a theoretical introduction by three empirical studies, by a conclusion, ending with the bibliographical references and the annexes. The first phenomenological study aimed to map and explore the representativeness of university students' conceptions about the learning of artistic drawing. A group of sixteen students from a free drawing discipline were interviewed about the nature, process, context, factors, functions and problems of artistic drawing learning. The answers, which were submitted to a thematic content analysis, showed, as a main result, the distinction between a mental representation of learning of drawing as something more passive (i.e, copying or representing of realities observed, through techniques and practice; at the academic environment) and something more active (i.e, personal expression; through the understanding of what is perceived and personal changes; at the broader environment). Another basic, middle-term mental representation emerged, which defines learning to draw as something of an intermediary (i.e., perceptual development; epresentation of perceptions or imagination; creation of techniques). Secondarily, the results pointed to a wide differentiation of mental representations regarding the factors, functions and problems of drawing learning. The second study, with the same sample, had the objective of verifying the possible existence, for the learning of the artistic drawing, of two forms of learning identified for academic learning in general: "heteroregulated" and "self-regulated". It also sought to explore qualitatively and quantitatively the "self-regulated" learning strategies possibly used in the learning of artistic drawing. To that end, the same group of students was also interviewed, based on an adapted version of the Self-Regulated Learning Interview Schedule (SRLIS) by Zimmerman and Martinez-Pons (1986). The answers given to this interview, which were also submitted to a thematic content analysis, showed, in addition to an indefinite mental representation (i.e, vague) about the strategies used for learning to draw, the existence of either a “hetero-regulated” or a "self-regulated" learning of drawing, which in turn differs in a variety of strategies (i.e, self-assessment; organization and transformation; planning and goal-setting; information seeking; supervision and registry; structuring of the environment; review and memorization; search for assistance; and self-control). The third study, also with the same sample, sought to investigate the relation between the conception of learning of the artistic drawing and the self-regulation of this learning, exploring the relation of the categories resulting from the content analysis of the answers given to the interviews of the first and second study. For this purpose, the co-occurrences of the categories were calculated, as well as the Fisher test between the categories of the two variables. The results indicated that the learning strategies of the drawing are not always convergent with the conceptions about that learning, which is read in function of possible requirements of the learning context and the nature of the drawing task. On the other hand, although an active conception of drawing learning is not positively and significantly related to a self-regulation of this learning, it tends to be negatively related to the heteroregulation of that learning. In the same sense, a trend towards a positive association between a broad conception of drawing learning and its self-regulation was found.
Descrição: Tese de doutoramento, Psicologia (Psicologia da Educação), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2018
URI: http://hdl.handle.net/10451/34143
Designação: Doutoramento em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd731837_td_Luiz_Freire.pdf1,58 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.