Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3461

Título: Violência escolar ou escola violenta?: contributos da reflexão para a administração e gestão escolar
Autor: Barros, Maria de Nazaré Trindade de
Orientador: César, Margarida, 1958-
Palavras-chave: Indisciplina
Violência
Bullying
Organização escolar
Participação
Teses de mestrado - 2009
Issue Date: 2009
Resumo: Indisciplina, violência, bullying são termos utilizados quando se fala de Escola, nomeadamente das escolas públicas. Serão fenómenos novos? Crescentes? Inevitáveis? Serão fenómenos interiores ou exteriores à Escola? Eis algumas questões prementes e incómodas, quando falamos das escolas e da administração e organização escolar. A indisciplina e a violência escolar são fenómenos complexos e multidimensionais. Neste trabalho quisemos compreender estes fenómenos a partir da Escola, identificando os aspectos organizacionais que inibem ou favorecem a indisciplina e a violência. Centrámo-nos nos aspectos endógenos da Escola porque é sobre ela que podemos actuar directamente. A atenção focou-se na compreensão do ponto de vista dos alunos que, nesta escola, são considerados como problemáticos. Tentámos compreender a dimensão e a natureza dos conflitos, perceber o que para estes alunos mais contribui para o aumento de formas de actuação desajustadas e identificar aquilo que está ao alcance da organização escolar fazer, no sentido de minorar ou prevenir a violência e a indisciplina escolar. Optámos pelo paradigma interpretativo, num design de estudo de caso. Escolhemos uma escola situada na periferia de Lisboa, que recebe alunos de vários bairros desfavorecidos, social e economicamente. Tentámos perceber e desocultar o sentir dos alunos problemáticos, aqueles que são designados como “os mais difíceis”.Questionámos os directores de turma para apurar quem são estes alunos e cruzámos esta informação com as participações disciplinares existentes. Obtivemos um total de 32alunos sinalizados. Optámos por trabalhar com a totalidade destes alunos e, por isso, aplicámos a todos eles um questionário, que se constituiu como um dos principais instrumentos de recolha de dados. Haverá conflitos onde existam pessoas, mas acreditamos que é possível construir uma escola com menos violência, com menos agressão e, desse sonho, não desistimos. E, além disso, a investigação (Hargreaves, 2001; Santos, 2007) diz-nos que cada escola pode fazer a diferença.
Indiscipline, violence and bullying are terms increasingly used when you talk about school, especially about public schools. Are these new phenomena? Increasing ones? Inevitable ? Are they phenomena from inside or outside school? These are some of the main questions when we talk about schools and school management. Indiscipline and violence at schools are multidimensional and complex phenomena. The aim of this work is to analyse and understand them from inside a school, identifying the organising aspects that inhibit or facilitate the emergence of indiscipline and violence. We focused this work on the endogenous aspects of school because it is there that we can act to change and solve some of these problems. At first, we aimed to know and deeply understand the point of view of the students that are usually considered problematic schools. We tried to understand the dimension and the nature of their conflicts, and to perceive what contributes the most to increase these pupils’ disruptive behaviours. We also aimed to identify what the general school organisation has to do, in order to prevent violence and school indiscipline. We assumed an interpretative approach and chose the design of a case study. We also chose a school situated in the suburbs of Lisbon, attended by pupils from poor quarters and social classes. We tried to perceive the personal reasons and feelings of those pupils pointed out as “the most problematic”. We asked the class directors to select who these pupils were and we crossed this information with the indiscipline reports. We got a total of 32 pupils. We decided to work with the totality of these pupils and, therefore, we applied a questionnaire that constituted the main instrument for collecting data. We will experience conflicts wherever there are human beings. But we believe that it is possible to participate in a less violent and aggressive school and we will not give up this dream. Besides, research (Hargreaves, 2001; Santos, 2007) tells us that each and every school can make the difference.
Descrição: Tese de mestrado, Educação (Administração e Organização Escolar), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10451/3461
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc055682_tm.pdf13,48 MBAdobe PDFView/Open
ulfc055682_resumo_indices.pdf106,7 kBAdobe PDFView/Open
ulfc055682_capa.pdf88,35 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE