Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3480

Título: O Penedo do Lexim e a sequência do neolítico final e calcolítico da Península de Lisboa
Autor: Sousa, Ana Catarina, 1971-
Orientador: Gonçalves, Vítor Santos, 1946-
Palavras-chave: Pré-história - Penedo do Lexim (Mafra, Portugal)
Povoamentos humanos pre-históricos - Penedo do Lexim (Mafra, Portugal)
Escavações arqueológicas - Penedo do Lexim (Mafra, Portugal)
Neolítico - Penedo do Lexim (Mafra, Portugal)
Calcolítico - Penedo do Lexim (Mafra, Portugal)
Teses de doutoramento - 2010
Issue Date: 2010
Resumo: O presente trabalho tem por objectivo a análise das dinâmicas de permanência, ruptura, identidade e influência exógena entre as sociedades camponesas que povoaram a Estremadura portuguesa na segunda metade do 4º milénio e 3º milénio a.n.e., lidas através da ocupação pré-histórica do Penedo do Lexim (Mafra). As escavações que efectuei no Penedo do Lexim (1998-2004) forneceram uma base documental que sustenta uma reavaliação dos modelos interpretativos. Propõe-se um modelo polissémico para estes sítios, de vincada função residencial, apresentando estratégias defensivas, mas não necessariamente militares, e que são também palco de vivências ritualizadas, sobretudo nas fases terminais da sua ocupação. A leitura do povoamento da área da Ribeira de Cheleiros permite complementar a perspectiva, fornecendo um campo de análise para realização de leituras de dinâmica de povoamento no espectro cronológico considerado. As dinâmicas sociais e económicas do povoamento parecem registar distintas fases, que podem traduzir outras tantas ordens sociais. No Neolítico final, regista-se um povoamento disseminado, com uma variedade de tipos de implantação e de áreas ocupadas; no início do 3º milénio, parece existir uma concentração do povoamento em sítios proeminentes e a emergência das primeiras muralhas e, finalmente, na segunda metade do 3º milénio, com a generalização do uso das cerâmicas campaniformes há uma verdadeira fissão do povoamento em unidades de povoamento de pequena dimensão. Os dados recentemente identificados no Sul Peninsular evidenciam que a Estremadura nunca teve um carácter central nas dinâmicas sociais e económicas, mantendo um povoamento relativamente disseminado, sem a hierarquização de grande escala que se regista no Sul Peninsular. No Sul Peninsular, o 3º milénio a.n.e. parece congregar um mosaico, onde componentes como a arquitectura defensiva, a metalurgia, a consolidação agro-pastoril e a emergência de complexificação social surgem integradas na dinâmica interna regional, evidenciando contactos, mas sem permitir a clara definição de centros e periferias.
The objective of the present work is to analyse the dynamics of permanence, rupture, identity and exogenous influence amongst the farming communities that inhabited the Estremadura region of Portugal, during the second half of the 4th Millennium and the 3rd Millennium B.C.E., interpreted through the evidence provided by the Prehistoric occupation at the site of Penedo do Lexim (Mafra). My excavation work at Penedo do Lexim (1998-2004) supplied a range of data that supports a re-assessment of previous interpretation models. A polysemic model is suggested for these sites, with a marked residential function, exhibiting defensive strategies, although not necessarily military, that were also the stage of ritualised experiences, especially during the later phases of human occupation. Interpretation of settlement patterns in the area of Ribeira de Cheleiros complements that perspective, supplying a field of study toward the interpretation of settlement dynamics within the chronological period here under consideration. The social and economic dynamics of settlement seem to register distinct phases that may, in their turn, reflect distinct social groups. During the Late Neolithic, settlement is dispersed, with a variety of types of settlement and areas occupied; in the beginning of the 3rd Millennium, there seems to be a concentration of settlements in prominent places and the emergence of the first settlement walls take place; and, finally, during the second half of the 3rd Millennium, with the widespread use of Bell Beaker ceramics, there is a real rupture of settlement into smaller-sized units of settlement. Data recently identified in the south of the Iberian Peninsula indicate that the Estremadura region of Portugal didn’t play a central role in the social and economic dynamics of the period, maintaining a relatively scattered settlement, without the large scale hierarchisation characteristic of the south of the Peninsula. In the south of the Iberian Peninsula, the 3rd Millennium B.C.E. seems to congregate a mosaic where such components as, defensive architecture, metallurgy, the consolidation of an agro-pastoral economy and the emergence of social complexity appear inserted into the internal regional dynamics, revealing contacts, but not a clear definition of centre and periphery.
Descrição: Tese de doutoramento, História (Pré-História), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/3480
Appears in Collections:FL - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulsd058328_td_Ana_Sousa.pdf135,87 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia