Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/34879
Título: Utilização de cuidados médicos associados com a tensão arterial em doentes hipertensos : uma análise longitudinal comparando nativos e imigrantes africanos
Outros títulos: Use of health care services associated with blood pressure management in hypertensive patients : a longitudinal analysis comparing natives and African immigrants
Autor: Pinheiro, Bernardete
Fernandes, Milene
Alarcão, Violeta
Nicola, Paulo
Antunes, Marília
Rocha, Evangelista
Palavras-chave: Hypertension
Health care utilization
Immigration
Longitudinal study
Data: 2018
Editora: Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
Citação: Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, [S.l.], vol. 34, nº. 4, pp. 189-99, jul. 2018
Resumo: Introduction: Ethnic and cultural diversity in Portugal has reinforced the importance of adjusting healthcare services to the health needs of different populations. This study aims to analyse longitudinally the factors associated with health care use by native Portuguese and African hypersive patients. Methods: Longitudinal study including treated hypertensive patients followed-up in primary care in the Lisbon region, between September 2010 and March 2012. For this analysis, 233 native Caucasians and 170 African immigrants were included.We applied three face-to-face questionnaires (0, 6 and 12 months) and two by telephone (3 and 9 months). The measure of service use was the number of encounters due to hypertension, in the three months preceding the interview. For the identification of the factors, a longitudinal generalised linear mixed model was estimated for each group. Results: More nativesthan immigrants consulted the GP in the last year (76.0% vs 64.7%, p=0.019), however, more immigrants used urgent health care (12.4% vs 5.2%, p=0.016).The proportion of patients with at least one medical encounter was not different between groups (46.5% vs 41.6%, p=0.387).After adjusting for all variables, the use of medical care among natives was associated with age (eβ =1.036; p=0.021), diabetes(eβ =1.898; p=0.006), hypertension control (eβ =1.036; p=0.007), uncontrolled self-assessed hypertension status (eβ =0.596; p=0.033), and follow-up time. (eβ =0.771; p=0.001). Among immigrants, the use of health services was associated with marital status (eβ =2.228; p=0.025), uncontrolled self-assessed hypertension status (eβ =0.580; p=0.013), time since diagnosis of hypertension (eβ =1.021; p=0.016) and follow-up time (eβ =0.689; p<0.001). Conclusions: There is a need to better understand the differences in the factors associated with the use of hypertension-related health care among natives and immigrants, in order to develop health promotion strategies adapted to target populations.
Introdução: A diversidade étnica e cultural em Portugal tem reforçado a importância de adequar os serviços de saúde às necessidades em saúde de diferentes populações. Este estudo pretende analisar longitudinalmente os fatores associados à utilização de cuidados de saúde em hipertensos tratados portugueses e imigrantes africanos. Métodos: Estudo longitudinal com hipertensos tratados seguidos nos cuidados de saúde primários da região de Lisboa, entre setembro de 2010 e março de 2012. Incluíram-se 233 nativos caucasianos e 170 imigrantes africanos.Aplicaram-se três questionários presencialmente (zero,seis e doze meses) e dois telefonicamente (três e nove meses). O indicador de consumo de recursos foi o número de consultas médicas motivadas pela hipertensão nos três meses anteriores à entrevista. Para a identificação dos fatores estimou-se um modelo longitudinal linear generalizado misto por grupo. Resultados: Mais nativos do que imigrantes consultaram o médico de família no último ano (76,0% vs 64,7%, p=0,019). No entanto, mais imigrantes recorreram a cuidados com caráter de urgência (12,4% vs 5,2%, p=0,016).A proporção de indivíduos que foram ao médico, pelo menos uma vez, não diferiu nos dois grupos (46,5% vs 41,6%, p=0,387).Ajustando para todas as variáveis, a utilização de cuidados médicos pelos nativos revelou estar associada à idade (eβ =1,036; p=0,021), diabetes (eβ =1,898; p=0,006), controlo da hipertensão (OR=1,036; p=0,007), não controlo autopercecionado (eβ =0,596; p=0,033) e tempo de seguimento (eβ =0,771; p=0,001). Nos imigrantes, os fatores significativos foram: estado civil (eβ =2,228; p=0,025), não controlo autopercecionado (eβ =0,580;p=0,013),tempo desde diagnóstico de hipertensão (eβ =1,021;p=0,016) e tempo seguimento (eβ =0,689;p<0,001). Conclusões: Existe a necessidade de compreender melhor as diferenças nos fatores associados à utilização de cuidados de saúde relacionados com a hipertensão, entre nativos e imigrantes, de modo a desenvolver estratégias de promoção da saúde adaptadas às populações-alvo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/34879
ISSN: 2182-5173
Versão do Editor: http://www.rpmgf.pt/ojs/index.php/rpmgf
Aparece nas colecções:FM-IMPSP-Artigos em Revistas Nacionais
FM-CEMBE-Artigos em Revistas Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Utilizacao_cuidados_medicos.pdf237,63 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.