Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/36367
Título: Impacto da complexidade silábica no desenvolvimento fonológico e na aprendizagem da ortografia : em português língua segunda no 1º e 2º ciclos do ensino básico moçambicano
Autor: Vicente, Francisco Leonardo
Orientador: Freitas, Maria João dos Reis
Miranda, Ana Ruth Moresco
Data de Defesa: 13-Nov-2018
Resumo: O objectivo principal desta investigação foi o de verificar em que medida o desempenho de tarefas de avaliação (i) do desenvolvimento fonológico e (ii) do conhecimento ortográfico é afetado pela complexidade da estrutura silábica. Para alcançar este objetivo, solicitou-se aos mesmos sujeitos que produzissem oralmente e escrevessem as mesmas palavras. As duas tarefas consistiram na nomeação de imagens. Os sujeitos avaliados são 135 alunos do Ensino Básico público moçambicano, das 1ª, 2ª, 3ª e 5ª classes, falantes do Português como L2 e cuja língua materna é o Changana, uma língua bantu. Os formatos silábicos testados nos dois tipos de conhecimento avaliados, nomeadamente desenvolvimento fonológico (DF) e conhecimento ortográfico (CO), são os seguintes: CV, V, CCV e CVC. Tanto a aquisição como a aprendizagem da escrita dos formatos silábicos ramificados é complexa em relação à dos não ramificados. Porém, tendo em conta os constituintes silábicos Ataque e Coda, no CO, os formatos silábicos ramificados que incluem Codas são os mais problemáticos mas, no DF, tendencialmente, o Ataque ramificado é mais problemático do que a Coda. No DF, apenas a produção oral dos dois tipos de Ataques não ramificados (simples e vazio) e o Ataque ramificado com a sequência obstruinte+vibrante (CR) já se encontram adquiridos e estabilizados em todos os níveis de escolaridade avaliados neste tipo de conhecimento, nomeadamente 1ª, 2ª e 3ª classes, sendo problemático ainda o Ataque ramificado com a sequência obstruinte+lateral (CL). As Codas fricativa (S) e vibrante (R) já se encontram adquiridas e estabilizadas nos vários níveis de escolaridade avaliados mas a Coda lateral (L) ainda não se encontra adquirida e estabilizada em nenhum dos níveis de escolaridade. No CO, apenas a aprendizagem dos dois tipos de Ataques não ramificados se encontra estabilizada na amostra que produziu os dados analisados neste tipo de conhecimento, nomeadamente alunos das 3ª e 5ª classes. A escrita do Ataque CR encontra-se aprendida e estabilizada na 5ª classe mas a de CL ainda não se encontra aprendida e estabilizada nem na 3ª nem na 5ª classe. A escrita dos três tipos de Codas (S, R e L) não se encontra aprendida e estabilizada nos sujeitos avaliados. A vogal epentética por excelência na produção oral e na escrita das crianças avaliadas é, respetivamente, [i] e <i>. Nos três níveis de escolaridade avaliados na escrita, nem todas as crianças já aprenderam o princípio alfabético: 18,7%, na 2ª classe; 69,4%, na 3ª e 94,2 %, na 5ª. Quanto aos tipos de erros cometidos pelos sujeitos avaliados, nos Ataques não ramificados, simples e vazio, os erros são raros, tanto na produção oral (DF) como na escrita (CO). Na produção oral, também são raros erros no Ataque CR. Na escrita deste Ataque, o apagamento de C2 é o tipo de erro mais frequente. Na produção oral do Ataque CL, a epêntese de vogal é o tipo de erro frequente mas na escrita do mesmo Ataque há um equilíbrio entre o apagamento de C2 e a epêntese de vogal. No que diz respeito aos erros nos tipos de Codas (S, R e L), tanto na produção oral como na escrita, o apagamento da Coda é o tipo de erro mais frequente.
The main objective of this research was to verify to what extent the performance in assessment tasks related to (i) phonological development and (ii) orthographic knowledge is affected by the complexity of the syllabic structure. To achieve this objective, the same subjects were asked to orally produce and write the same set of words. The two tasks consisted of a picture naming task. The subjects were 135 students from the public education system in Mozambique, namely 1st, 2nd, 3rd and 5th graders, all speakers of Changana as L1, a bantu language, and Portuguese as L2. The syllable formats tested in the two types of knowledge assessed, namely phonological development and orthographic knowledge, were: CV, V, CCV, and CVC. Both the acquisition and the learning of the spelling of branching syllable constituents turned out to be more complex when compared to the non-branching ones. Taking into consideration the syllable constituents Onset and Coda in the orthographic tasks, results showed that the branching syllable formats that include Codas were the most problematic in the children observed; however, in phonological development, the branching Onset tends to be most problematic syllable structure. In phonological development, only the two non-branching Onsets (simple and empty) and the obstruent + rothic branching Onset (CR) cluster have already been acquired and became stable at all grade levels assessed on this type of knowledge (1st, 2nd, and 3rd); the obstruent + lateral (CL) structure, however, remained problematic at all grade levels assessed. The Coda fricative (S) and the Coda rothic (R) have already been acquired and became stable at all grade levels assessed; the Coda lateral (L), however, remained problematic at all grade levels assessed. As for the orthographic knowledge, only the learning of the two types of non-branching Onsets became stable in the sample, namely at 3rd and 5th graders. The spelling of Onset CR has been learned and became stable at the 5th grade; the CL cluster, however, was still problematic at the 3rd and the 5th grades. The spelling of the three types of Codas (S, R and L) was not learned by the subjects in the sample. The preferred epenthetic vowel in oral productions and in spelling was [i] and <i>, respectively. As for the three grades assessed in terms of spelling performances, the general result is that not all children have learned the alphabetic principle: only 18,7% in the 2nd grade, 69,4% in the 3rd grade, and 94,2 % in the 5th reached this purpose. Regarding the types of errors produced by the children assessed, errors were rare in non-branching Onsets (simple and empty), both in oral production (phonological development) and in spelling (orthographic knowledge). In oral production, errors were also rare in CR clusters. In the spelling of CR clusters, the deletion of C2 was the most frequent error. In the oral production of CL clusters, vowel epenthesis was the most frequent error. However in the spelling of CL clusters, there was a balance between the deletion of C2 and vowel epenthesis. Regarding errors in the types of Codas (S, R and L), both in the oral production and in spelling, Coda deletion was the most frequent error.
URI: http://hdl.handle.net/10451/36367
Designação: Doutoramento no ramo de Linguística, na especialidade de Linguística Portuguesa
Aparece nas colecções:FL - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfl254205_td.pdf3,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.