Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/364

Title: De mater a monstrum: o abismo dos affectus estóicos na Medea de Séneca
Authors: Duarte, Ricardo
Advisor: Pimentel, Maria Cristina, 1954-
Keywords: Séneca, 2? a.C.-65 d.C
Teatro - Antiguidade
Literatura latina
Estoicismo
Emoções
Issue Date: 2008
Abstract: O estoicismo moldou, de uma forma estruturante, a natureza do teatro de Séneca. Preceitos estóicos relativos ao mal e ao conflito entre a razão e as paixões subjazem às suas peças, reflectindo-se em aspectos variados, tais como as intervenções do coro, a descrição das personagens, o tom introspectivo e a própria linguagem, e conduzindo a uma nova concepção do género trágico. Apoiado na tradição grega, o teatro de Séneca possui, no entanto, uma orientação própria, derivada essencialmente da fusão entre a retórica e o estoicismo e conducente a um fim didáctico. O estoicismo contribuiu para fazer do teatro senequiano um teatro de personagem, repleto de emoções fortes, violência e arrebatados discursos e solilóquios: um marco no despontar do drama psicológico. A Medea é, a nosso ver, um dos melhores exemplos deste teatro caracteristicamente senequiano. Assim sendo, demonstraremos, ao longo deste trabalho, os principais aspectos da influência do estoicismo sobre esta peça, a saber, a visão inequivocamente estóica das emoções, ou paixões, enquanto movimentos contra naturam; o princípio de que são falsos os juízos que estão na base das paixões e de que estas são perniciosas; a doutrina estóica das paixões ilustrada pelo comportamento de Medeia e a sua personalidade em desagregação, bem como a sua queda na loucura, em resultado do domínio da ira e de outros affectus; lições acerca das paixões em geral, da ira e de uma ira vingadora. Além disso, pretendemos mostrar como preceitos acerca do que está de acordo com a natureza, do comportamento orientado pela ratio, da sabedoria, do bem e do mal marcam esta peça, realçando a distância que se ergue entre Medeia e o sapiens estóico; assim como é uma linguagem que expressa a falta de controlo, de racionalidade, aquela de que o autor se serve para descrever Medeia. Concluindo, ao descrever a sua loucura, Séneca serviu-se da personagem de Medeia para ilustrar o horror, sen
Stoicism shaped the nature of Seneca's drama in fundamental ways. Stoic dogma concerning evil and the conflict between reason and passion lies beneath the plays in various aspects, such as choral passages, concept of character, introspection and the language itself, to a degree which amounts to a distinctive concept of the tragic. Based on Greek tradition, Seneca's drama has nevertheless its own orientation, coming essentially from the fusion of rhetoric and Stoicism and directed to a didactic aim. Stoicism contributed to make Senecan drama a drama of character, full of strong emotions, violence and passionate speeches and soliloquies: a landmark in the development of psychological drama. We take Medea as one of the best examples of this Senecan type. Elaborating on this idea, we will be showing the main aspects of the influence of Stoicism in this play: the orthodox stoic view of the emotions, or passions, as movements contra naturam; the belief that the thoughts that produce emotions are false and that the emotions themselves are harmful; the stoic doctrine of passions illustrated by Medea's behaviour the disintegration of her personality and her descent into madness as a result of the rule of the anger and other passions; lessons about the passions in general, or about anger or a vengeful anger. Furthermore, we will show how topics such as what is natural, rational behaviour, wisdom, the good and the evil feature this play, increasing the distance between Medea and the Stoic sage; and that Seneca's portrayal of her is saturated with language expressing the absence of control, of rationality. Concluding, by depicting her madness, Seneca used Medea's character to illustrate the horror of irrationality felt so intensely by the Stoic and to create in the public a critical reflection about the passions. In this way, it furthers Seneca's drama didactic purpose.
Description: Tese de mestrado em Estudos Clássicos apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2008
URI: http://hdl.handle.net/10451/364
Appears in Collections:FL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
17410_Tese.pdf1.2 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE