Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3716

Title: Estudo morfológico dos otólitos Sagitta, Asteriscus e Lapillus de teleósteos (Actinopterygii, teleostei) de Portugal Continental
Authors: Assis, Carlos António da Silva, 1961-
Advisor: Costa, Maria José Rosado, 1947-
Keywords: Ictiologia
Portugal
Teses de doutoramento - 2001
Issue Date: 2000
Abstract: Os otólitos são concreções acelulares de carbonato de cálcio e outros sais inorgânicos, que se desenvolvem sobre uma matriz proteica no ouvido interno dos vertebrados. Nos peixes ósseos, os otólitos são em número de três pares, sagittae, asterisci e lapilli, e atingem normalmente dimensões apreciáveis, preenchendo quase completamente a cavidade interna dos três principais compartimentos do labirinto membranoso, sacculus, lagena e utriculus, respectivamente. Entre os três pares de otólitos, os sagittae estão actualmente bastante bem estudados, encontrando-se entre as peças anatómicas dos peixes que maior utilidade têm, e cujo estudo um maior número de aplicações permite. Tais aplicações não se limitam ao domínio da ictiologia, mas estendem-se amplamente a alguns aspectos dos domínios da Paleontologia, Mamalogia, Ornitologia, Arqueologia e Zoogeografia. Em contrapartida, os outros dois pares de otólitos têm sido quase completamente negligenciados pelos ictiologistas, pouco se sabendo actualmente sobre a sua morfologia. O presente trabalho apresenta alguns dos resultados de um estudo morfológico dos três pares de otólitos, baseado em amostras de 183 espécies, distribuídas por 22 ordens e 63 famílias de peixes ósseos das águas costeiras, estuarinas e continentais portuguesas. Ao longo dele, (1) é apresentada a morfologia básica dos três pares de otólitos dos peixes; (2) são elaboradas propostas de uniformização e pormenorização da terminologia actualmente adoptada para os otólitos sagitta; (3) é proposta uma terminologia para as partes e estruturas dos asterisci e lapilli consideradas como importantes para a caracterização desses pares de otólitos; (4) é pormenorizadamente descrita a morfologia dos três pares de otólitos de algumas das espécies (119) representadas na colecção de referência organizada; (5) são fornecidas chaves para a identificação de cada uma dessas espécies, utilizando exclusivamente as características morfológicas dos seus otólitos; (6) é feito um estudo sumário da variabilidade intra-específica das características dos otólitos, para as espécies em que foram obtidas amostras com alguma representatividade; (7) são deduzidas expressões matemáticas que permitem a realização de estimativas do tamanho de exemplares das espécies estudadas, a partir das dimensões dos seus otólitos; e (8) são discutidas as potencialidades da utilização dos três pares de otólitos, em especial dos asterisci e lapilli, em estudos de Filogenia, Sistemática e Ecologia.
The otoliths are acellular concressions of calcium carbonate and other inorganic salts, which develop over a proteinaceous matrix in the inner ear of vertebrates. The bony fishes have three pairs of otoliths, the sagittae, the asterisci and the lapilli, which normally grow up to attain a considerable size, filling the internal cavity of the three main compartments of the labyrinth, the sacculus, the lagena and the utriculus, almost completely. Among the three pairs of otoliths, the sagittae are already rather well studied, and find themselves among the most useful anatomical parts of fishes, the study of which allows a larger number of applications. Such applications are not limited to the field of ichthyology, but are extended to the domains of the palaeontology, mammalogy, ornithology, archaeology and zoogeography. On the contrary, the other two pairs of otoliths have been, so far, almost completely neglected by the ichthyologists, in a way that little is presently known about their morphology. The present work reports some of the results of a study on the morphology of the three pairs of otoliths, based on samples of 183 species belonging to 22 orders and 63 families of bony fishes from the coastal, estuarine and continental Portuguese waters. In it, (1) the basic morphology of the otoliths is presented; (2) proposals are made for the standardization and increase in detail of the terminology adopted for the otoliths sagitta; (3) a set of terms is proposed for the parts and structures of the asterisci and lapilli which are considered as important in the diagnosis of those pairs of otoliths; (4) the morphology of the three pairs of otoliths from some of the species studied (119) is described in detail; (5) keys are provided for the identification of each one of those species, using exclusively the morphological characters of their otoliths; (6) the intraspecific variability is shortly described for the species with representative samples; (7) mathematical expressions to allow the estimation of the original dimensions of fish from measurements of their otoliths are provided; and (8) a brief discussion is made on the potential of the use of the three pairs of otoliths, specially the asterisci and the lapilli, in studies on phylogeny, systematics and ecology.
Description: Tese de doutoramento em Biologia (Ecologia e Biossistemática), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Ciências, 2001
URI: http://hdl.handle.net/10451/3716
Appears in Collections:FC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc038148_td_C_Assis.pdf18.73 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE