Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/3737

Title: ’Novidade de pallavras’ no português do século XV
Authors: Meleiro, Mário José Silva, 1974-
Advisor: Castro, Ivo, 1945-
Keywords: Teses de doutoramento - 2011
Língua portuguesa - séc. 15
Neologismos
Formação de palavras
Linguística histórica
Issue Date: 2011
Abstract: O enriquecimento do léxico, quer através da importação, quer de recursos morfológicos internos, é um processo intemporal na língua. E se não há dúvida que Camões é o grande mentor com a introdução de novas palavras na língua, sobretudo latinismos, também as não há de que antes dele outros contribuíram para o seu engrandecimento. A prova de que este é um processo intemporal temo-la com vários autores anteriores e posteriores ao Renascimento. Porém, existe a convicção de que é a partir do século XV que tal processo se começa a evidenciar, para atingir o seu auge no século XVI, consequência natural do Renascimento e da importância que as leituras dos clássicos então alcançaram. No entanto, um século antes, quer a prosa didáctica, levada a cabo pela produção régia, quer a histórica, pelos cronistas, haviam já aberto o caminho. O corpus de partida para este estudo é, então, a Crónica de D. Fernando, de Fernão Lopes, e a Crónica do Conde D. Pedro de Meneses, de Zurara, das quais apresento um Índice Analítico, a partir do qual será possível identificar os neologismos que elas contêm. Utilizando as palavras do próprio Fernão Lopes, o objectivo é procurar “novidade de pallavras”, daí o título da tese. Num primeiro capítulo abordo, ainda, os principais conceitos de formação de palavras e o papel da tradução na sua importação. Pretendo também tentar mostrar a falsa modéstia assumida pelo próprio Fernão Lopes, relativamente à qualidade lexical, morfológica e sintáctica da sua obra.
The enrichment of the lexicon, either from imports or from internal morphological characteristics, is a timeless process in the Portuguese language. If there is no doubt that Camoes is the great introducer of new words in the portuguese language, especially Latinisms, there is also no doubt that before him others contributed to its enrichment. But this is a timeless procedure. Throughout the ages, many classical forms have entered the language. Evidence that this is a timeless process is given by several authors before and after the Renaissance. However, there is the conviction that it is from the fifteenth century that this process starts, reaching its peak in the sixteenth century, the natural consequence of the Renaissance and the importance of the readings of the classics then reached. However, a century before, either didactic prose, undertaken by royal production, or history, by the chroniclers, had already opened the path. The corpus of departure for this study is, then, the Chronicle of D. Fernando, by Fernão Lopes, and the Chronicle of the Earl D. Pedro de Meneses, by Zurara of which I present an analytical index, enabling the identification of the earliest records they contain. Using the words of the chronicler, the objective is to seek “novidade de pallavras", hence the title of the thesis. The first chapter also contains an approach to the main concepts of word formation and the role of translation in its import process.
Description: Tese de doutoramento, Linguística (Linguística Histórica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/3737
Appears in Collections:FL - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulsd60824_td_Indice_analitico_Mario_Meleiro.pdf870.16 kBAdobe PDFView/Open
ulsd60824_td_Tese_Mario_Meleiro.pdf2.19 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE