Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/380

Título: De Jim Crow a Langston Hughes: quando a música começou a ser outra
Autor: Borges, António Cristiano
Orientador: Gonçalves, Maria Teresa de Salter Cid,1949-
Palavras-chave: Hughes, Langston,1902-1967
Dunbar, Paul Laurence,1872-1906
Poesia americana - séc.18-20
Autores negros americanos - séc.18-20
Renascença de Harlem
Blues na literatura
Identidade cultural - Estados Unidos da América
Issue Date: 2008
Resumo: Esta dissertação é um estudo diacrónico sobre o trabalho literário dos poetas afro- -americanos, desde o século XVIII até às primeiras décadas do século XX. Neste estudo sublinha-se o empenhamento e os constrangimentos que os poetas negros americanos tiveram de enfrentar para poderem afirmar de modo progressivamente mais desinibido o valor da sua especificidade cultural. Inicialmente os poetas negros escreviam sem manifestação de diferença cultural significante pois só pretendiam que lhes fosse reconhecida capacidade literária e intelectual igual à dos autores brancos. Mas depois procuraram inscrever no texto branco a oralidade negra. As possibilidades poéticas do dialecto negro também foram exploradas no século XIX, principalmente pela tradição do menestrel e a da grande plantação que sedimentaram estereótipos preconceituosos acerca do negro contidos naquelas duas tradições. Paul Dunbar é o poeta afro-americano dos finais do século XIX e início do século XX que então usou com mestria o idioma negro na sua poesia, correndo o risco das conotações negativas associadas ao modo incorrecto de falar do negro iletrado. Nos anos vinte a cultura da gente negra nos E.U.A. teve condições para afirmar a sua especificidade própria, num momento de grande vitalidade criativa que ficou conhecido por Renascença de Harlem e cujos principais mentores foram Du Bois e Alain Locke, que buscavam superar um persistente sentimento de double-consciousness ou twoness e alcançar o reconhecimento de igualdade racial através da arte mais elevada que uma pequena elite de talentos, os Talented Tenth, fosse capaz de produzir. Mas Langston Hughes, um New Negro na sua missão de dignificação da raça , optará por usar as formas da tradição oral afro-americana, o dialecto, o blues, o jazz. E assim, ao usar estas formas da tradição popular como fonte de inspiração da sua poesia, Hughes deu visibilidade deliberada e nova dignidade à tradição oral negra, inscrevendo-a no texto moderno americano.
This dissertation is a diachronic study on the literary work of afro-american poets from the eighteenth century to the first decades of the twentieth century. Our focus here is on the commitment and the constraints endured by Negro American poets to affirm, in an uninhibited way, the worthiness of their cultural specificity. At first, Negro poets used to write with no evidence of cultural signifying difference, because they just wanted to be acknowledged as having the same literary skills and intellectual capacities as white authors. But afterwards they sought to inscribe black oral forms in the white text. The poetic possibilities afforded by negro dialect were also explored in the twentieth century, by the minstrel and the great plantation traditions thus reinforcing biased stereotypes on the negroes conveyed by such traditions. Paul Dunbar is the afro-american poet who by the end of the nineteenth century and the beginning of the twentieth century used Negro idiom with mastery on his poetry though risking the negative connotations associated with the poor speech of illiterate negroes. In the 1920s black people culture in the U.S.A. was able to affirm its specificity in a moment of great creative vitality later known as the Harlem Renaissance, whose main mentors were Du Bois and Alain Locke who aimed at overcoming a persistent feeling of double-consciousness or twoness and the acknowledgement of racial equality by means of the noblest art forms a small elite group the Talented Tenth could produce. However Langston Hughes as a New Negro on his mission for granting dignity to the common negro would choose folk oral tradition namely negro dialect, the blues and jazz as the inspiring sources for his poetry, thus giving a deliberate visibility and a new dignity to the vernacular black tradition inscribing it in the modern American text.
Descrição: Tese de mestrado, Estudos Anglísticos, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2009
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000554119
http://hdl.handle.net/10451/380
Appears in Collections:FL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
19406_ulfl068848_tm.pdf2,02 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE