Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/3920
Registo completo
Campo DCValorIdioma
degois.publication.firstPage105por
degois.publication.lastPage113por
degois.publication.titleRevista Brasileira de Ciências Farmacêuticaspor
dc.relation.publisherversionhttp://www.scielo.br/pdf/rbcf/v44n1/a12v44n1.pdfpor
dc.contributor.authorFrança Filho, José Benedito de-
dc.contributor.authorCorrer, Cassyano Januário-
dc.contributor.authorRossignoli, Paula-
dc.contributor.authorMelchiors, Ana Carolina-
dc.contributor.authorFernández-Llimós, Fernando-
dc.contributor.authorPontarolo, Roberto-
dc.date.accessioned2011-08-12T13:56:02Z-
dc.date.available2011-08-12T13:56:02Z-
dc.date.issued2008-
dc.identifier.citationFrança Filho, José Benedito de; Correr, Cassyano Januário; Rossignoli, Paula; Melchiors, Ana Carolina; Fernández-Llimós, Fernando; Pontarolo, Roberto. Perfil dos farmacêuticos e farmácias em Santa Catarina: indicadores de estrutura e processo, Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, 44, 1, 105-113, 2008.por
dc.identifier.issn1516-9332-
dc.identifier.urihttp://dx.doi.org/10.1590/S1516-93322008000100012-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10451/3920-
dc.description.abstractEste estudo teve por objetivo avaliar indicadores de estrutura e processo em farmácias comunitárias de Santa Catarina e as atitudes e percepções dos farmacêuticos referentes à atenção farmacêutica e satisfação profissional. Estudo transversal em 10% das farmácias do estado, selecionadas aleatoriamente. Foram entrevistadas 258 farmácias. Os farmacêuticos estavam presentes em 88,4% delas, tinham média de idade de 31 anos (DP=8,1) e eram em sua maioria mulheres (68%). A média de farmacêuticos por farmácia foi de 1,4 (DP=0,7) e de balconistas de 3,8 (DP=4,5). Somente 11,4% das farmácias dispunham de estrutura para atendimento privado de pacientes. Apesar de possuírem em média mais de duas fontes terciárias sobre medicamentos por farmácia, estas eram de baixa qualidade. As atividades relatadas pela maior parte dos farmacêuticos foram a dispensação (98,2%), o registro de medicamentos controlados (90,8%), aplicações de medicamentos injetáveis (85,1%) e atendimentos de clientes no caixa (84,2%). A maioria das farmácias de Santa Catarina não possui estrutura adequada à implantação de serviços de atenção farmacêutica. As barreiras identificadas para implementação destas mudanças não são diferentes das encontradas em outros países.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade de São Paulo, Museu de Zoologiapor
dc.rightsrestrictedAccesspor
dc.titlePerfil dos farmacêuticos e farmácias em Santa Catarina: indicadores de estrutura e processopor
dc.typearticlepor
dc.date.updated2011-08-03T19:58:27Z-
dc.peerreviewedyespor
Aparece nas colecções:FF - Artigos em Revistas Internacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RevBrasCiencFarm_2008_44(1)_105-113.pdf152,37 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.