Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
Departamento de Educação (FC-DE) >
Centro de Investigação em Educação (FC-DE-CIE) >
GI Educação, Desenvolvimento e Formação (FC-DE-CIE-GIEDF) >
FC-DE-CIE-GIEDF - Artigos em Revistas Internacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/4001

Title: Ser professor de liceu no Estado Novo português: o discurso dos professores na imprensa pedagógica
Authors: Pintassilgo, Joaquim
Keywords: Ensino liceal
Liceu
Estado Novo
Imprensa
Issue Date: 2002
Publisher: Associação Sul-rio-grandense de Pesquisadores em História da Educação
Citation: História da Educação, 6 (12)
Abstract: A presente comunicação tem por objectivo analisar as representações dos professores de liceu sobre eles próprios e sobre a profissão, tal como são veiculadas pela imprensa pedagógica. Utilizaremos como fontes as duas principais revistas de educação dirigidas para o ensino liceal e escritas por professores – Labor (1926-1973) e Palestra (1958-1973). O período em análise abrange, no essencial, o chamado Estado Novo português, um período difícil e contraditório, por via dos constrangimentos político-ideológicos, no que se refere à afirmação da profissionalidade docente. São palavras-chave deste estudo as seguintes: profissional, artesão, intelectual, representações, deontologia, identidade, autonomia, controlo, papel social e métodos pedagógicos. Será utilizada a literatura recente sobre a profissão docente e, designadamente, sobre o pensamento dos professores no sentido de esclarecer o percurso passado da profissão e no pressuposto de que a (re)construção da sua memória é uma condição importante da afirmação da identidade profissional dos professores. Estudar-se-ão os seguintes assuntos e problemas: Quais as categorias que melhor permitem descrever os professores, tal como eles próprios se representam através dos discursos produzidos na imprensa pedagógica? Em que medida se vai ou não manifestando uma consciência profissional e deontológica? É visível o propósito de construção de uma identidade profissional? Até que ponto é o discurso dos professores um discurso próprio? Qual a relação estabelecida entre o controlo da profissão por parte do poder/saber estabelecido e a concretização de uma relativa autonomia científica e pedagógica? Qual o papel social e cultural em que os professores se investem? Qual o perfil de competências em que eles se revêm? Quais os seus pressupostos pedagógicos e que sentidos são atribuídos às suas práticas de ensino? Que consciência se manifesta quanto à importância da aquisição de saberes especializados? Expressa-se, de alguma forma, a preocupação com a necessidade de reflectir sobre a experiência profissional? A resposta a estas questões permitir-nos-á caracterizar a forma como se desenvolveu, para o período em questão, o processo de profissionalização dos professores de liceu portugueses.
URI: http://hdl.handle.net/10451/4001
Appears in Collections:FC-DE-CIE-GIEDF - Artigos em Revistas Internacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Ser professor de liceu no Estado Novo.pdf173.72 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE