Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/4193
Título: Estratégias de Elaboração da Ansiedade nas Respostas Sequências de Cenas na Prova Projectiva para Crianças “Era uma vez...”
Autor: Pires, Rute
Fagulha, Teresa
Palavras-chave: Estratégias de Elaboração da Ansiedade
Psicopatologia
Técnicas Projectivas
Data: 2004
Editora: Sociedade Portuguesa de Psicologia
Citação: Pires, R., & Fagulha, T. (2003/2004). Estratégias de elaboração da ansiedade nas respostas sequências de cenas à Prova “Era uma vez…”. Revista Portuguesa de Psicologia, 37, 185-204.
Resumo: Procedeu-se à validação de quatro modalidades de elaboração da ansiedade identificadas nas sequências de cenas organizadas para dar continuidade às histórias dos cartões da Prova "Era uma vez...". Definiu-se uma modalidade que traduz o não reconhecimento da ansiedade – Negação – e três modalidades em que este afecto é reconhecido: a Estratégia Adaptativa Operacional e a Estratégia com Equilibração Emocional correspondem a duas formas adaptativas, mas distintas, de elaborar a ansiedade; a Impossibilidade traduz o insucesso na elaboração adaptativa da ansiedade. Procedeu-se à descrição das modalidades mais utilizadas em cada cartão da prova e ao estudo da sua evolução, dos 6 aos 10 anos, numa amostra de 100 crianças sem perturbação emocional identificada. A hipótese de que, com o desenvolvimento, a frequência de utilização das estratégias adaptativas aumenta e as frequências de utilização da Impossibilidade e da Negação diminuem, foi confirmada. Procedeu-se à descrição destas modalidades numa amostra de 30 crianças, dos 6 aos 10 anos, com perturbação emocional identificada. Previa-se que estas crianças utilizassem um maior número de estratégias Negação e Impossibilidade, em relação às crianças sem perturbação emocional identificada e, simultaneamente, um menor número de estratégias adaptativas. A comparação entre os resultados obtidos nos dois grupos não apresenta diferenças significativas.
We proceed to the identification of four anxiety elaboration strategies in the responses sequences of scenes in the “Once-upon-a-time…” test. A strategy which corresponds to the denial of the anxiety – Denial –, two strategies which represent different means of positive dealing with anxiety – Operational Adaptative Strategy and Emotional Equilibration Strategy –, and a fourth strategy which represents the failure of the elaboration of this emotion – Impossibility – were conceived. In a sample of 100 children, with ages ranging from six to ten years, without psychological difficulties, the evolution of the strategies was studied according to their age and expressiveness in each card of the "Once-upon-a-time…" test. The process of growing implies an increase of the adaptative strategies – Operational Adaptative Strategy and Emotional Equilibration Strategy – and a decrease of the Denial and Impossibility. These findings were expected in theory and support the validation of the strategies that have been conceived. Comparing these results with those of a sample of 30 children, six to ten years old, with psychological difficulties, it was expected that, in this latter group, the adaptative strategies would be lower and the Denial and Impossibility would be higher. There aren’t meaningful differences between the results of the two groups.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/4193
ISSN: 0872-0304
Aparece nas colecções:FPCE - UOP - Artigos em Revistas Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
artigo 19-01-04.pdf291,91 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.