Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/424

Title: A História na Faculdade de Letras de Lisboa : 1911-1930
Authors: Dores, Hugo Gonçalves
Advisor: Matos, Sérgio Campos, 1957-
Keywords: Ensino superior
História da educação
Teses de mestrado
Ensino da História - Portugal
Universidade de Lisboa. Faculdade de Letras
Issue Date: 2008
Abstract: Nos primórdios da I República portuguesa, a par de novas escolas universitárias, a criação da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, na Primavera de 1911, veio abrir um novo ciclo no ensino e na divulgação da História em Portugal. O pioneiro, mas exíguo, Curso Superior de Letras dava lugar a uma instituição que procurava desenvolver a formação dos professores de liceu e o incremento do trabalho historiográfico no país. Ocupando um lugar de destaque no seio da Faculdade, a História foi obrigada a associar-se a outras ciências, primeiro a Geografia e depois a Filosofia. Os cursos de Ciências Históricas, existentes entre 1911 e 1930, foram sendo constantemente alterados pelas quatro reformas curriculares impostas às faculdades de Letras (1911, 1918, 1926 e 1930). Demonstrando a própria instabilidade política que o país viveu durante a Primeira República, a Ditadura Militar e o início do Estado Novo, as reformas procuraram adaptar o ensino às concepções que cada vertente política defendia. A ligação à Geografia demonstra uma concepção de História na qual esta é incompreensível sem o auxílio dos estudos geográficos. Seguidamente, a subordinação da Filosofia, poderia representar uma perspectiva ultrapassada de Filosofia da História, ou simplesmente a desnecessária existência de um curso filosófico sem alunos. Nos Cursos de Ciências Históricas, o trabalho dos professores de História, de pensamento liberal ou republicano, confirmou a existência de duas perspectivas historiográficas pouco relacionadas com uma historiografia conservadora ou marcada por um nacionalismo exclusivista, numa altura de crise da I República e de endurecimento da Ditadura Militar. A historiografia de influência positivista e republicana vai manter um cariz crítico e propagandístico, enquanto a dominante historiografia erudita e metódica reafirma a importância das fontes documentais, sem espaço para especulações filosóficas ou ideo
In the beggining of Portuguese First Republic, like new university schools, the creation of the Faculty of Letters of the University of Lisbon, in the Spring of 1911, iniciated a new cycle in teaching and development of History in Portugal. The pioneering, but exiguous, Curso Superior de Letras (Superior Course of Letters) gave place to an institution that tried to develop the training of secondary schools teachers and the increase of historiographic work in the country. Occupying an outstanding place within the Faculty, History was compelled to associate with others sciences, first Geography, then Philosophy. The Historical Science Courses, that existed between 1911 and 1930, were being constantly changed by four curricular reforms imposed to faculties of Letters (1911, 1918, 1926 and 1930). Demonstrating the political instability that the country lived during the First Republic, the Militar Dictatorship and the Estado Novo, the reforms seeked to adapt the teaching to these ideological thoughts. The connection with Geography demonstrate a conception of History, in which the latter is incomprehensible without the help of geographical studies. Then, the subordination of Philosophy, might represent an overidden perspective of Philosophy of History, or simply, an unnecessary existence of a course without students. In Historical Science Courses, the work of several History professors, with liberal and republican thoughts, confirmed the existence of two historiographical perspectives, little related with a conservative and nationalist historiography, in a time of hardening of Portugueses politics. The historiography of positivist and republican influence will maintain a critical and propagandistic aspect, while, the dominant erudit and methodic historiography reaffirm the importance of documentary sources, and do not allow philosophical and ideological speculations.
Description: Tese de mestrado em História Contemporânea apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10451/424
Appears in Collections:FL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
17324_AHist00F3rianaFaculdadedeLetrasdeLisboa.pdf2.27 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE