Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Psicologia (FP) >
FP - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/4299

Título: Dr. Jekyll or Mr. Hyde? : normative influence on judgment and behavior
Autor: Luís, Sílvia Coelho Ribeiro Fernandes, 1980-
Orientador: Oliveira, José Manuel da Palma, 1958-
Palavras-chave: Psicologia social
Julgamento social
Comportamento (Psicologia)
Teses de doutoramento - 2011
Issue Date: 2011
Resumo: A influência das normas no julgamento e comportamento dos indivíduos é um tema desde há muito estudado pelos psicólogos sociais (e.g., Asch, 1955; Cialdini, Reno, & Kallgren, 1990; Deutsch & Gerard, 1955; Jacobson, Mortensen, & Cialdini, 2011; Schwartz, 1977; Sherif, 1936; Terry & Hogg, 1996). A relevância da influência normativa deriva não só da sua relevância teórica mas também do seu potencial de aplicação na promoção do comportamento pro-social em diversos âmbitos. Não obstante, existem problemas teóricos fundamentais que ainda não foram resolvidos. Nesta dissertação focámos a conceptualização da influência normativa, que tem sido frequentemente apontada como insuficiente (e.g., Armitage & Conner, 2001), e a lacuna de investigação no âmbito das propriedades do conhecimento normativo. Em particular, explorámos se (a) um quadro conceptual integrativo dos vários tipos de normas que têm sido identificados na literatura capturaria melhor a influência normativa no comportamento e se (b) o conhecimento normativo seguiria os princípios gerais de activação e uso do conhecimento. O objectivo fundamental desta dissertação era, pois, contribuir para o desenvolvimento teórico da influência normativa. Para o alcançar conduzimos quatro estudos em temas distintos: problemas ambientais, proibição de fumar, formação de impressões, e preferências alimentares. Esta diversidade permitiu-nos simultaneamente explorar a influência normativa em temas com diferentes implicações sociais e que envolvem distintos factores. O Estudo 1 (Quadro conceptual integrativo da influência normativa: Compreensão do comportamento pró-ambiental) teve como objectivo explorar a viabilidade e utilidade dum quadro conceptual integrativo da influência normativa na explicação do comportamento. Utilizámos uma abordagem de investigação descritiva, em particular realizamos um estudo correlacional de inquérito por questionário (N = 114). Foram medidos os vários tipos de normas que integram o quadro conceptual: normas pessoais (Schwartz, 1977) e normas sociais do tipo sociocultural (Pepitone, 1976), subjectivo (Fishbein & Azjen, 1975), e referente (e.g., Hogg & Turner, 1987), distinguindo-se ainda entre a natureza descritiva e injuntiva (Cialdini et al., 1990) dos vários tipos de normas sociais. Estas crenças normativas foram medidas em três classes de comportamentos pró-ambientais: reciclagem, uso de transportes públicos e compra de produtos biológicos. A análise de resultados evidenciou que as variáveis do quadro conceptual integrativo explicavam uma quantidade considerável da variabilidade dos comportamentos pró-ambientais, encorajando a utilização deste quadro conceptual. Os resultados suportaram ainda a possibilidade da quantidade de variabilidade explicada depender da eficácia da influência normativa. Atendendo a que, em média, os comportamentos pró-ambientais são infrequentes, a influência normativa tinha sido considerada mais eficaz quando as crenças normativas social injuntivas e pessoais eram elevadas. Tal como esperado, no comportamento onde se verificou uma maior eficácia normativa (reciclagem), as variáveis normativas explicaram uma quantidade de variabilidade comportamental superior ao comportamento onde se verificou a menor eficácia normativa (uso de transportes públicos). As normas podem promover eficazmente o comportamento pró-ambiental. “Basta” que nós acreditemos. O Estudo 2 (É proibido fumar em locais públicos: Mudança de crenças normativas) teve como objectivo ilustrar a mudança nas crenças normativas relativas a não fumar em locais públicos com a implementação duma lei proibitiva de fumar em locais públicos. Este estudo foi um experimento natural, o estímulo que terá desencadeado a mudança não foi controlado pelos investigadores. Recolheram-se medidas normativas, tendo por base o quadro conceptual integrativo, através dum inquérito por questionário (N = 204). O questionário foi aplicado em três momentos: um mês antes, seis meses após, e um ano após a implementação da lei, aproximadamente. A análise de resultados ilustrou que as crenças normativas que aumentaram com maior magnitude foram as socioculturais (descritivas e injuntivas) e as subjectivas descritivas. A utilização do quadro conceptual integrativo permitiu-nos ilustrar e diferenciar as implicações da implementação da lei nas várias medidas normativas. Medidas normativas relativas a estar em silêncio na biblioteca que foram simultaneamente recolhidas não divergiram ao longo do tempo, suportando indirectamente o facto de que o aumento das medidas normativas se relacionava com a implementação da lei. Importa referir que pouca investigação tem ilustrado o efeito das leis nas crenças normativas. A compreensão destes efeitos pode ser crucial para o cumprimento das leis. As leis não conseguem alcançar grande parte da vida quotidiana. As normas conseguem. O Estudo 3 (Acessibilidade e aplicabilidade percebida do conhecimento normativo) teve como objectivo explorar a acessibilidade e a aplicabilidade percebida do conhecimento normativo relativo a traços de personalidade (concretamente, de crenças normativas sócio-culturais descritivas) e o seu uso no julgamento. Utilizámos uma abordagem de investigação experimental. Em particular, adaptámos a experiência clássica de Higgins, Rholes e Jones (1977), dos efeitos de priming em impressão de formações, adicionando uma condição de julgamento com aplicabilidade percebida normativa (N = 144). Este estudo tinha evidenciado, pela primeira vez, como a experiência recente dum indivíduo podia influenciar, de forma não intencional e passiva, o julgamento dos comportamentos ambíguos de outra pessoa. Para explorar como a experiência normativa mais frequente poderia influenciar o julgamento, adaptámos ainda uma técnica utilizada por Fazio e Williams (1986), baseada no tempo de reacção, para medir a acessibilidade crónica do conhecimento normativo relativo a traços de personalidade. Globalmente, os resultados evidenciaram que os indivíduos utilizaram traços de personalidade que tinham sido recentemente primados em julgamentos com aplicabilidade percebida normativa e que diferenças na acessibilidade crónica do conhecimento normativo se relacionavam com o seu uso, mas apenas quando as tarefas tinham aplicabilidade percebida normativa. Estes resultados sugerem que o estudo das propriedades do conhecimento normativo é relevante e poderá ser importante para compreender o comportamento. O Estudo 4 (É seu? Medição implícita das crenças normativas) teve como objectivo explorar a viabilidade e utilidade de medir o conhecimento normativo implicitamente adaptando o Teste de Associações Implícitas (TAI, Greenwald, McGhee, & Schwartz, 1998). Escolhemos o TAI devido aos seus bons resultados de validade, facilidade de administração e produção de efeitos robustos (e.g., Greenwald, Poehlman, Uhlmann, & Banaji, 2009). Utilizamos uma abordagem experimental. Têm vindo a acumular-se evidências do envolvimento de processos automáticos na influência normativa. Por exemplo, verificou-se que o conhecimento normativo se pode activar para influenciar o comportamento sem a intenção ou consciência do indivíduo (e.g., Aarts & Dijksterhuis, 2003; Joly & Stapel, 2008). Uma vez que a utilização de medidas explícitas enfatiza a intencionalidade e promove a utilização de processos deliberados, interessa utilizar medidas implícitas para compreender a influência normativa. O TAI foi adaptado para medir as preferências normativas implícitas relativas a maçãs e chocolates (normas sócio-culturais injuntivas). Resultados iniciais evidenciaram que esta medida tinha precisão e consistência interna (N = 83). Posteriormente, verificou-se também que o TAI previa a intenção de escolha entre maçãs ou chocolates, demonstrando a sua validade preditiva (N = 148). Assim, a utilização duma versão normativa do TAI poderá contribuir para a compreensão da influência normativa no comportamento. Em suma, os resultados dos estudos sugerem que (a) um quadro conceptual integrativo poderá capturar aprazivelmente a influência normativa no comportamento e (b) ilustrar a forma como as mudanças sociais ocorrem. Sugerem também que (c) a activação e uso do conhecimento normativo seguem, em parte, os princípios gerais de activação e uso do conhecimento, podendo ter propriedades diferenciadoras, e que (d) a influência normativa envolve processos cognitivos automáticos, interessando combinar medidas normativas do tipo explícito e implícito para compreender a influência das normas no comportamento. Referimos ainda que emergiram efeitos normativos nos diferentes temas, o que sugere a potencial vastidão da influência normativa.
Despite all the investigation that has been conducted in normative influence there are still some fundamental theoretical problems that remain unsolved. We have focused on normative influence conceptualization, which has often been pointed out as being insufficient, and on the lack of research on the properties of normative knowledge. In particular, we explored as to whether (a) an integrative framework would better capture normative influence and (b) normative knowledge followed the same principles of activation and use as other types of knowledge. Four studies were conducted in distinct themes: environmental problems, smoking prohibition, impression formation and food preferences. Theme choice had its own theoretical relevance. Such diversity has allowed us to simultaneously explore if normative influence would operate in contents involving a different array of factors. Studies’ results have evidenced that using an integrative framework of normative influence we could account for greater amounts of behavior variability that those generally accounted for (Study 1). The use of the integrative framework in a natural experiment has also allowed us to illustrate how normative variables have changed after a smoking in public places ban (Study 2). Exploring normative knowledge principles of activation and use we have demonstrated, through an experimental study, that variations in the accessibility of normative knowledge towards personality traits were related to its use in judgments with normative judged usability (Study 3). Furthermore, a normative version of the Implicit Association Test adequately measured implicit normative preferences towards apples versus candy bars and predicted intentional choice, sustaining the involvement of automatic processes in normative influence in behavior (Study 4). Taken together, these studies have provided support for the use of an integrative framework of normative influence and for a stronger investment in normative knowledge activation and use research. Theoretical implications, practical considerations, and future avenues are discussed throughout the dissertation.
Descrição: Tese de doutoramento, Psicologia (Psicologia Social), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/4299
Appears in Collections:FP - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulsd061194_td_Silvia_Luis.pdf1,64 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE