Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Psicologia (FP) >
FP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/4326

Título: Coping diádico e satisfação conjugal : um estudo em casais portugueses
Autor: Pires, Ana Raquel Alves
Orientador: Lind, Wolfgang Rüdiger, 1952-
Pacheco, Ana Maria Vedes
Palavras-chave: Satisfação conjugal
Coping
Stress (Psicologia)
Teses de mestrado - 2011
Issue Date: 2011
Resumo: Nesta investigação, de natureza quantitativa, pretende-se estudar: 1) a relação entre a satisfação conjugal, o coping diádico e seus componentes, globalmente e intracasal; 2) a existência de diferenças face às variáveis anteriores quando consideramos o sexo, a escolaridade, o estatuto ocupacional, a zona do país, a área de residência e a situação relacional; 3) a convergência versus divergência quanto à percepção de satisfação conjugal, coping diádico e seus componentes, ao nível intra-casal; e 4) quais as variáveis do coping diádico que predizem mais a satisfação conjugal global, das esposas e dos maridos. Para tal recorreu-se a uma amostra de 72 casais portugueses, heterossexuais, casados ou em união de facto, a quem se aplicou os seguintes instrumentos: um questionário de dados sociodemográficos, a Escala de Avaliação Relacional (Hendrick, Dricke & Hendrick, 1998) e o Inventário de Coping Diádico (Bodenmann, 2007; tradução e adaptação portuguesa por Vedes, Lind & Ferreira, 2011a). Os resultados obtidos demonstram que 1) o coping diádico global está associado a maior satisfação conjugal, sobretudo no casos dos maridos; 2) o coping diádico dos maridos é um preditor mais forte da satisfação conjugal do que o das esposas; 3) a comunicação de stress pelas esposas não se correlaciona significativamente com a sua satisfação conjugal e prediz uma menor satisfação conjugal dos maridos; 4) esposas e maridos convergem quanto à percepção de comunicação de stress e quanto aos comportamentos negativos de apoio, sendo que estes não se associam significativamente com a satisfação conjugal de nenhum dos sexos; 5) a satisfação conjugal é mais elevada em indivíduos que vivem na zona centro do país; 6) ser estudante, ter mestrado/doutoramento ou viver em áreas urbanas parece funcionar como factor protector face ao stress; 7) as esposas percepcionam mais comportamentos de coping diádico do que os maridos e 8) para a satisfação conjugal das esposas contribuem variáveis do coping diádico de ambos os cônjuges, enquanto, no caso dos maridos, apenas variáveis relativas a si próprio são preditivas.
The aim of this quantitative research is to study: 1) the relationship between marital satisfaction, dyadic coping and its components, globally and within couples; 2) the existence of differences regarding the previous variables when considering sex, education level, occupational situation, national residence zone, residential area, and relationship status; 3) the convergence versus divergence regarding marital satisfaction, dyad coping and its components, within couples; and 4) the dyad coping variables that predict global marital satisfaction, wives and husbands satisfaction. In order to achieve these goals the following instruments were applied in a sample of 72 heterosexual couples (married or in civil unions): a sociodemographic questionnaire; the Relationship Assessment Scale (Hendrick, Dricke & Hendrick, 1998) and the Dyad Coping Inventory (Bodenmann, 2007; portuguese translation and adaptation by Vedes, Lind & Ferreira, 2011a). The results revealed that: 1) global dyad coping is associated to higher marital satisfaction, mainly for the husbands; 2) men’s dyad coping is a stronger predictor of marital satisfaction than the women’s; 3) wives’ stress communication do not significantly correlate with their own satisfaction, and predict husbands lower marital satisfaction; 4) wives and husbands converge on perceptions of stress communication and on negative support behaviors, and these behaviors do not correlate significantly with marital satisfaction for neither sexes; 5) marital satisfaction is higher in individuals who live in Portugal’s center districts; 6) to be a student, to have a master/doctorate degree, or to live in urban areas seems to function as a stress protecting factor; 7) wives perceive more dyad coping behaviors than husbands and 8) the wives` marital satisfaction is predicted by dyadic coping variables from both spouses, but in the husbands case only variables regarding themselves are predictive.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/4326
Appears in Collections:FP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfpie039538_tm.pdf726,58 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia