Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/4756

Title: Caracterização e génese das mineralizações de magnetite - sulfuretos em Monges (Santiago do Escoural, Montemor-o-Novo) e ensaio comparativo com as suas congéneres em Orada-Vale de Pães (Serpa-Vidigueira)
Authors: Salgueiro, Rute Maria Morgado, 1968-
Advisor: Inverno, Carlos M. C., 1953-
Mateus, António Manuel Nunes, 1962-
Keywords: Mineralização
Metalogenia
Teses de doutoramento - 2011
Issue Date: 2011
Abstract: As mineralizações de magnetite±sulfuretos de Monges (Montemor-o-Novo) são estratóides e enquadradas por mármores dolomíticos clorítico-anfibólicos e metavulcanitos do Câmbrico Inferior. A mineralização ante-metamórfica revela efeitos de deformação/recristalização imputáveis ao percurso metamórfico Varisco; as suas características mineralógicas e geoquímicas e a sequência litológica encaixante sugerem génese por processos exalativo-hidrotermais (modelo misto SEDEX-VMS) desenvolvidos na fase de rift da Zona de Ossa-Morena (ZOM). Durante a retrogradação metamórfica terá ocorrido remobilização/redeposição e/ou contributo (?) magmático de metais, por vezes estruturalmente controlado, sob condições P-T variáveis (≈0,7-2kb;≈350-550ºC), envolvendo fluidos ligeiramente ácidos a moderadamente alcalinos. Variações de potencial redox e pH acompanharam os principais estádios de mineralização. As mineralizações de magnetite±sulfuretos de Vale de Pães (Cuba-Vidigueira) ocorrem numa sequência metamórfica ante-Varisca intruída por rochas do Complexo Ígneo de Beja. As suas características mineralógicas são compatíveis com um skarn Fe- (Mg/Ca). No skarn Fe-(Mg), oxidado, a deposição de magnetite acompanha a paragénese mineral anidra (≈600ºC), enquanto os sulfuretos precipitam no estádio retrógrado até à formação das fases hidratadas e carbonatadas (≤550ºC a <420ºC). No skarn Fe-(Ca), oxidado ou reduzido, a magnetite é gerada (<550ºC) com a associação mineral hidratada no estádio retrógrado, seguida pelos sulfuretos (≈400ºC). As mineralizações de magnetite±sulfuretos de Orada (Pedrógão) são enquadradas por anfibolitos ou domínios calcossilicatados ante-Variscos. As associações minerais são análogas às de depósitos tipo skarn Fe-(Mg/Ca), modificadas de forma heterogénea durante o percurso de retrogradação (sin-/pós-pico de deformação Varisca) que também enquadra a deposição do minério (≈450 a ≈500ºC). Os dados disponíveis favorecem a possibilidade da génese deste skarn ser devida aos reajustamentos químicos impostos pelo gradiente inverso de temperatura criado na dependência da imbricação tectónica. A metalogénese em Orada e Vale de Pães será consequente dos processos associados à fase colisional da Orogenia Varisca na ZOM; embora as evidências apontem para processos distintos, ambos conduziram à formação de skarns Fe-(Mg/Ca).
The stratabound magnetite±sulphide mineralization of Monges (Montemor-o- Novo) is hosted in Lower Cambrian chlorite-amphibolic metadolostones and metavolcanic rocks. The primary mineralization shows effects of deformation/recrystallization developed during the Variscan metamorphic path; its main mineralogical and geochemical features and host rock sequence suggest an origin related to exhalative-hydrothermal processes (mixed SEDEX-VMS model type) developed during rift stage in Ossa-Morena Zone (OMZ). During metamorphic retrogradation the metal remobilization/redeposition and/or magmatic input occurred, sometimes structurally controlled, under variable P-T conditions (≈0,7-2kb; ≈350- 550ºC), involving fluids slightly acidic to moderately alkaline. Variations in redox and pH conditions occurred along the main stages of mineral deposition. The Vale de Pães (Cuba-Vidigueira) magnetite±sulphide mineralization is hosted in a pre-Variscan metamorphic sequence intruded by igneous rocks of the Beja Igneous Complex. Its mineral and chemical features are compatible with a Fe-(Mg/Ca) skarn. In the oxidized Fe-(Mg) skarn, magnetite deposition occurred along with the anhydrous mineral assemblage (≈600ºC); sulphides precipitated during the retrograde stage until the hydrated and carbonate phases formation (≤550ºC to <420ºC). In the oxidized to reduced Fe-(Ca) skarn, magnetite precipitated during the retrograde stage (<550ºC) together with the hydrated mineral association, and was succeeded by sulphides (≈400°C). The magnetite±sulphide mineralization at Orada (Pedrógão) is hosted in pre- Variscan amphibolites and calc-silicate domains. The mineral assemblages are similar to those of Fe-(Mg/Ca) skarn type deposits, heterogeneously modified during the retrograding path (syn-/post-Variscan deformation peak) that also embraces the ore deposition (≈450 to ≈500°C). The available data favour the possible genesis of this skarn as a result of the chemical readjustments imposed by the inverse temperature gradient related to tectonic imbrication. Mineralizing systems in Orada and Vale de Pães have had development resulting from the processes associated with the collision phase of Variscan Orogeny in OMZ; although evidence suggests different processes, both led to the formation of Fe-(Mg/Ca) skarns.
Description: Tese de doutoramento, Geologia (Metalogenia), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/4756
Appears in Collections:FC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulsd061634_td_Rute_Salgueiro.pdf84.03 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE