Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Psicologia (FP) >
FP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/4996

Título: A natureza disposicional das inferências espontâneas de traço : a influência dos estados mentais do actor no processo inferencial
Autor: Carvalho, João Reis Marques de
Orientador: Ferreira, Mário Augusto Boto, 1967-
Palavras-chave: Inferências
Personalidade
Teses de mestrado - 2011
Issue Date: 2011
Resumo: Uma questão central para compreender a forma como as pessoas inferem os traços de personalidade a partir dos comportamentos dos outros relaciona-se com o nível de envolvimento cognitvo do percepiente social nesse processo. A literatura de inferências espontâneas de traço (IET) propõe que este processo inferencial pode ocorrer sem a intenção e consciência do percepiente. Contudo, a proposta das IET tem-se confrontado com a necessidade de clarificar se os traços inferidos espontaneamente se referem a disposições do actor, ou seja, se as IET têm uma natureza disposicional. Perante a ineficácia das recentes abordagens, na presente tese propõe-se uma nova abordagem ao estudo da natureza disposicional das IET, que se baseia numa perspectiva motivacional dos traços enquanto disposições. Segundo esta perspectiva, os estados mentais do actor (e.g., os seus objectivos, intenções) devem ser uma premissa fundamental do processo de IET. Partindo desta abordagem, são propostas duas experiências recorrendo ao paradigma de reconhecimento da palavra-teste, com o objectivo de estudar a influência das inferências acerca dos estados mentais do actor nas IET. A primeira experiência testa se a reacção emocional do actor ao comportamento tem um efeito nas IET. A segunda experiência testa se os percepiente realizam inferências espontâneas acerca dos objectivos do actor a partir do seu comportamento, e se estas influenciam as IET. São debatidos os possíveis resultados destas experiências e as suas implicações para a literatura de IET.
A central issue to understand how people infer personality traits from the behaviors of others is related to the level of cognitive involvement of the percipient in this process. The literature of spontaneous trait inferences (STI) proposes that this inferential process can occur without the intention and awareness of the percipient. However, the literature of STI has been faced with the need to clarify whether the traits inferred spontaneously refer to dispositions of the actor, i.e., if the STI have a dispositional nature. Given the ineffectiveness of recent approaches, in this thesis I propose a new approach to the study of the dispositional nature of STI, based on a motivational perspective of traits as dispositions. According to this perspective, the actor's mental states (e.g., its goals, intentions) should be a fundamental premise of the STI process. From this approach, two experiments are proposed using the probe recognition paradigm, with the aim of studying the influence of the inferences about the mental states of the actor in the STI. The first experiment tests whether the actor's emotional reaction to the behavior affect STI. The second experiment tests whether the percipient does spontaneous inferences about the goals of the actor from his behavior, and if these inferences influence STI. Possible results of these experiments and their implications for the literature of STI are discussed.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Cognição Social Aplicada), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/4996
Appears in Collections:FP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfpie039666_tm.pdf1,15 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE