Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/5089
Título: Perturbações alimentares na adolescência : o papel do perfecionismo na complexidade de interdependências
Autor: Oliveira, Leonor Baptista de
Orientador: Francisco, Rita Mafalda Costa, 1981-
Novo, Rosa, 1957-
Palavras-chave: Distúrbios alimentares
Perfecionismo
Depressão (psicologia)
Adolescência - Portugal
Teses de mestrado - 2011
Data de Defesa: 2011
Resumo: Os objetivos do estudo recaem sobre a investigação, em adolescentes em meio escolar, do contributo do perfecionismo e das suas dimensões autorientada e socialmente prescrita, bem como da sintomatologia depressiva e/ou ansiosa, para a sintomatologia de perturbação alimentar. Participaram no estudo 531 adolescentes, de idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos de ambos os sexos. Os participantes responderam a um Questionário de Dados Pessoais e Sociodemográficos, à subescala de perfecionismo do Eating Disorder Inventory 2 (Garner, Olmstead & Polivy, 1983), ao Eating Attitudes Test 26 (Garner, Olmstead, Bohr & Garfinkel, 1982) e ao Cuestionario Educativo-Clínico: Ansiedad y Depresión (González, Cueto & Fernández, 2007). A subescala do EDI2 foi, neste estudo, repartida em perfecionismo autoorientado e perfecionismo socialmente prescrito. Os participantes do sexo masculino apresentaram menor número de casos de dieta e níveis mais baixos de sintomatologia depressiva-ansiosa, depressão, ansiedade e de sintomatologia de perturbação alimentar em comparação com as raparigas, não tendo sido observadas diferenças entre sexos no que se refere ao perfecionismo global, perfecionismo socialmente prescrito e perfecionismo auto-orientado. As correlações encontradas entre as variáveis em estudo foram mais elevadas e significativas no grupo das raparigas. Também entre estas foi possível explicar consideravelmente a sintomatologia de perturbação alimentar através da análise de regressões múltiplas hierárquicas, que revelou que a idade, a dieta, o perfecionismo auto-orientado e a depressão contribuíam para explicar 42% da variância da sintomatologia de perturbação alimentar. Tal não foi observado em rapazes pois relativamente a estes só foi possível explicar 10% da variância de sintomatologia de perturbação alimentar para a qual apenas contribuíam perfecionismo global e sintomatologia depressiva-ansiosa. O significado dos resultados é discutido em termos das implicações para o conhecimento acerca dos fatores de risco para o desenvolvimento de perturbações alimentares em ambos os sexos.
The aim of the current study is to present the result of a research among school adolescents in order to assess the contribution of perfectionism and its self-oriented and socially prescribed dimensions, as well as depressive and/or anxious symptoms, to eating disorders symptomatology. A total of 531 teenagers participated in the study, aged between 12 and 18 years, from both sexes. Participants responded to a Personal and Demographic Questionnaire, to perfectionism subscale of the Eating Disorder Inventory – 2nd version (Garner, Olmstead & Polivy, 1984), the Eating Attitudes Test 26 (Garner, Olmstead, Bohr & Garfinkel, 1982) and the Cuestionario Clinical discovery- Ansiedad: Depresión y (Gonzalez, Cueto & Fernández, 2007). In this study, the subscale of EDI2 was divided in self-oriented perfectionism and socially prescribed perfectionism. When compared to female students, male students reported fewer cases of diet and lower levels of depressive symptoms, anxiety-depression, anxiety and symptoms of eating disorder; moreover, sex differences with regard to the global perfectionism, the self-oriented perfectionism and the socially prescribed perfectionism were observed. Correlations between the mentioned variables were highest and most significant in the girls’ group. Furthermore, in the girls’ group it was possible to explain eating disorder symptoms, to a considerable extent, by means of hierarchical multiple regression analysis. This analysis revealed that age, diet, self-oriented perfectionism and depression contributed to explain 42% of the variance of eating disorder symptoms. This was not observed in boys; in fact, only 10% of the variance of symptoms of eating disorders could be explained as consequence of the contribution of global perfectionism and depressive-anxious symptoms. The significance of the findings is discussed in terms of the implications for knowledge about risk factors for the development of eating disorders in both sexes.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/5089
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie039691_tm.pdf936,57 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.