Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/5102
Título: A personalidade e a vulnerabilidade ao abuso de álcool : um estudo exploratório numa amostra de agentes militares e policiais
Autor: Fernandes, Carina Sofia Teixeira
Orientador: Novo, Rosa, 1957-
Palavras-chave: Alcoolismo
Personalidade - Psicologia
Vulnerabilidade
Stress ocupacional
Avaliação psicológica
Teses de mestrado - 2011
Data de Defesa: 2011
Resumo: A perturbação de abuso de álcool é uma grande ameaça à integridade dos indivíduos e das comunidades em que se inserem. Na vulnerabilidade a esta perturbação está implicada a interacção de factores de ordem individual e contextual, sendo o stresse ocupacional, desencadeado pelo desempenho de uma profissão de risco, um factor influente. Há evidências de que a personalidade desempenha também um papel importante, sobretudo na etiologia desta perturbação, e vários estudos têm procurado correlacionar a vulnerabilidade ao seu desenvolvimento com variáveis específicas da personalidade. As conclusões, contudo, têm sido insuficientes para explorar novas formas de prevenção e intervenção clínicas e psicossociais (Babor, 1993). O objectivo deste trabalho foi o de contribuir para a identificação de dimensões da personalidade associadas à vulnerabilidade à perturbação de abuso de álcool. Foram analisados perfis do MMPI-2 de 12 participantes, agentes de forças militares e policiais, referenciados com quadros de consumo abusivo de álcool. Para tal, foram considerados os resultados do inventário directamente relacionadas com a personalidade e a psicopatologia, bem como as características configuracionais dos perfis potencialmente associadas a esta vulnerabilidade. Na análise diferenciaram-se dois tipos de perfil: um, o perfil-tipo A, com elevações significativas (T > 65) em várias escalas – perfil no seu conjunto sugestivo de perturbação de personalidade subjacente à perturbação clínica, de sofrimento psicológico intenso e de grandes dificuldades de adaptação à realidade; outro, o perfiltipo B, sem indícios de perturbação de personalidade e sugestivo de estilo de resposta defensivo, vulnerabilidade emocional associada a grande controlo do sofrimento o que, no seu conjunto, aponta para um pseudo-equilíbrio psicológico. Os resultados obtidos são compatíveis com o modelo teórico-empírico de Cloninger e Sigvardsson (1996), onde são propostos dois tipos de Personalidade, Tipo I e II, com características similares aos perfis-tipo identificados no presente estudo. Verificou-se, ainda, que as escalas que tradicionalmente a literatura aponta como específicas para a detecção do potencial para consumos abusivos de álcool ou outras substâncias não se mostraram eficazes neste âmbito de avaliação clínico-laboral.
The alcohol abuse disorder is a major threat to the integrity of individuals and communities. In vulnerability to develop this disorder are involved individual and contextual factors in interaction, and the occupational stress, triggered by a high risky job, is a great influent factor. There are evidences that personality plays an important role on the etiology of alcohol abuse, and several studies have attempted to correlate the development of vulnerability to this psychopathology with specific personality variables. The conclusions of these studies, however, have been insufficient to explore new ways of prevention and clinical and psychosocial intervention (Babor, 1993). Our aim, with this study, was to contribute to the identification of personality dimensions associated with vulnerability to alcohol abuse disorder. We analyzed 12 MMPI-2 profiles of police and military officers with alcohol abuse diagnostic. To this analysis, we considered the results of the MMPI-2 directly correlated to personality and psychopathology, as well as the configurational characteristics of the profiles potentially associated with this vulnerability. We differentiate two types of profiles: one, the profile-type A, with significant elevations (T > 65) at many scales - a profile suggestive of personality disorder underlying the clinic illness, an intense psychological distress and great difficulties in adapting to reality; another, profile-type B, with no signals of personality disorder and suggestive of a defensive response style, an emotional vulnerability associated with a greater control of pain, which points a psychological pseudo-equilibrium. The results are consistent with the theoretical and empirical model of Cloninger and Sigvardsson (1996), which proposes two types of personality, Type I and II, with characteristics similar to the profile-types identified in this study. The scales that are traditionally pointed by the literature to detecting the potential to alcohol or other substances abuse were not effective in this clinical-labor assessment.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/5102
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie039687_tm.pdf509,92 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.