Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/5280

Título: Estudos sobre a corrosão dos aços DIN 1.4404 e DIN 1.4410 em soluções de cloretos
Autor: Costa, Sílvia Alexandra Ramos
Pimenta, Gervásio Ferreira
Orientador: Fonseca, Inês Teodora Elias da, 1947-
Pimenta, Gervásio Ferreira
Palavras-chave: Aço inoxidável DIN 1.4404
Aço duplex DIN 1.4410
Acabamento superficial
Potencial de picada
Corrosão sob tensão
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2010
Resumo: O presente estudo teve como objectivo avaliar a susceptibilidade à corrosão de dois aços inoxidáveis, em meios relativamente agressivos, nomeadamente soluções aquosas de NaCl e MgCl2 (1,0 e 0,5 M, respectivamente) e diferentes temperaturas. Os dois aços em estudo foram o aço austenítico DIN 1.4404 (AISI 316L) e o aço duplex, de estrutura austeno-ferrítica DIN 1.4410 (AISI S32750). Foram realizados testes electroquímicos à temperatura ambiente, em soluções aquosas de NaCl e MgCl2 e 0,5 M, respectivamente, em função do acabamento superficial (polimento com lixas de grão entre 80 e 1200). Foram também medidas as rugosidades e tensões residuais das várias amostras com diferentes acabamentos. Conclui-se, com base nos valores de potencial de ruptura da passivação e nas micrografias de microscopia electrónica de varrimento (MEV), que acabamentos com lixas de grão igual ou superior a 500 mesh não afectam significamente o comportamento de qualquer dos dois materiais. No entanto nas amostras polidas com lixas mais grossas (80 a 320 mesh) já se nota alguma influência. Foi também testada a resistência à corrosão sob tensão (CST) de amostra dos dois aços dobrados em “U” e imersas nas soluções de NaCl e MgCl2 com concentrações de 0,1 a 5,0 M e no intervalo de temperatura de 65 a 125 C. A ocorrência ou não de “cracking” foi analisada por observação visual e pelo método dos líquidos penetrantes. Conclui-se, que nas condições experimentais testadas, o aço DIN 1.4410 apresenta maior resistência a CST do que o aço DIN 1.4404.
Descrição: Tese de mestrado, Química Tecnológica, Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/5280
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc096288_tm_Silvia_Costa.pdf5,66 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE