Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/5280

Título: Estudos sobre a corrosão dos aços DIN 1.4404 e DIN 1.4410 em soluções de cloretos
Autor: Costa, Sílvia Alexandra Ramos
Pimenta, Gervásio Ferreira
Orientador: Fonseca, Inês Teodora Elias da, 1947-
Pimenta, Gervásio Ferreira
Palavras-chave: Aço inoxidável DIN 1.4404
Aço duplex DIN 1.4410
Acabamento superficial
Potencial de picada
Corrosão sob tensão
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2010
Resumo: O presente estudo teve como objectivo avaliar a susceptibilidade à corrosão de dois aços inoxidáveis, em meios relativamente agressivos, nomeadamente soluções aquosas de NaCl e MgCl2 (1,0 e 0,5 M, respectivamente) e diferentes temperaturas. Os dois aços em estudo foram o aço austenítico DIN 1.4404 (AISI 316L) e o aço duplex, de estrutura austeno-ferrítica DIN 1.4410 (AISI S32750). Foram realizados testes electroquímicos à temperatura ambiente, em soluções aquosas de NaCl e MgCl2 e 0,5 M, respectivamente, em função do acabamento superficial (polimento com lixas de grão entre 80 e 1200). Foram também medidas as rugosidades e tensões residuais das várias amostras com diferentes acabamentos. Conclui-se, com base nos valores de potencial de ruptura da passivação e nas micrografias de microscopia electrónica de varrimento (MEV), que acabamentos com lixas de grão igual ou superior a 500 mesh não afectam significamente o comportamento de qualquer dos dois materiais. No entanto nas amostras polidas com lixas mais grossas (80 a 320 mesh) já se nota alguma influência. Foi também testada a resistência à corrosão sob tensão (CST) de amostra dos dois aços dobrados em “U” e imersas nas soluções de NaCl e MgCl2 com concentrações de 0,1 a 5,0 M e no intervalo de temperatura de 65 a 125 C. A ocorrência ou não de “cracking” foi analisada por observação visual e pelo método dos líquidos penetrantes. Conclui-se, que nas condições experimentais testadas, o aço DIN 1.4410 apresenta maior resistência a CST do que o aço DIN 1.4404.
Descrição: Tese de mestrado, Química Tecnológica, Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/5280
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc096288_tm_Silvia_Costa.pdf5,66 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia