Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/5342
Título: Diáspora macaense : Macau, Hong Kong, Xangai (1850-1952)
Autor: Dias, Alfredo Gomes, 1958-
Orientador: Fonseca, Maria Lucinda, 1956-
Lousada, Maria Alexandre, 1956-
Palavras-chave: Macao (China) - Emigração e imigração - 1850-1952
Macaenses - Integração - Hong kong (China) - 1850-1952
Macaenses - Integração - Xangai (China)- 1850-1952
Capital cultural - Hong Kong (China) - 1850-1952
Capital cultural - Xangai (China) - 1850-1952
Teses de doutoramento - 2012
Data de Defesa: 2011
Resumo: A emigração macaense, entre as décadas de 1840 e 1950, elegeu dois territórios para destino de todos os que decidiram deixar Macau, principalmente a partir de 1842: Hong Kong e Xangai. O desfecho da I Guerra do Ópio (1839-1842) conduziu a profundas mudanças políticas, económicas e sociais em toda a Ásia Oriental e, em particular na China imperial. Em Macau, a saída das principais casas de comércio teve um forte impacte social, atingindo ainda uma maior dimensão se considerarmos que a emigração foi a resposta encontrada pela comunidade macaense às transformações económicas e sociais que ocorreram na cidade. A abertura ao comércio internacional catapultou Xangai para a liderança das cidades chinesas e atraiu ao seu porto, todos os anos, milhares de migrantes das mais variadas origens nacionais e culturais, entre os quais se encontravam os macaenses. Entre Macau e Xangai iniciou-se um importante fluxo migratório que deu origem à comunidade dos “portugueses de Xangai”. Herdeiros do passado migratório que esteve na origem da comunidade macaense ao longo de muitas décadas, os “portugueses de Xangai” acompanharam, dia a dia, o processo de formação, desenvolvimento e extinção das concessões estrangeiras, revelando estratégias que favoreceram a sua integração na sociedade que os acolheu sem, todavia, perderem os seus laços com Macau, o seu território de origem.
Between the decades of 1840 to 1950, the Macanese migration elected two territories as destination for those who had decided to leave Macao, especially after 1842: Hong Kong and Shanghai. The outcome of the First Opium War (1839 – 1842) led to significant political, economic and social changes in all Eastern Asia and, in particular in imperial China. In Macao, the extinction of the main commercial firms had a strong social impact, reaching major proportions if we consider that migration was the answer of the Macanese community to the economic and social changes that occurred in the city. The opening to the international commerce projected Shanghai to the leadership of the Chinese cities and attracted to its harbour thousands of migrants of the most diverse national and cultural origins, among which the Macanese could be found, every year. Between Macao and Shanghai an important migratory movement that originated the community “Portuguese of Shanghai” began. Heirs of the migratory past that gave birth to the Macanese community for many decades; the “Portuguese of Shanghai” accompanied, day after day, the process of formation, development and extinction of the foreign settlements, revealing strategies that fostered their integration in the society that welcomed them without, however, losing their bonds with Macao, their homeland.
Descrição: Tese de doutoramento, Geografia (Geografia Humana), Universidade de Lisboa, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/5342
Aparece nas colecções:IGOT - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd635843_Anexo_3.xls34 kBMicrosoft ExcelVer/Abrir
ulsd635843_Anexo_2.xls44,5 kBMicrosoft ExcelVer/Abrir
ulsd635843_Anexo_1.xls35,5 kBMicrosoft ExcelVer/Abrir
ulsd635843_td.pdf9,12 MBAdobe PDFVer/Abrir
ulsd635843_Capa.pdf41,02 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.