Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/548
Título: O valor de um Bach autêntico : um estudo sobre o conceito de autenticidade na execução de obras musicais
Autor: Lopes, António Manuel Correia de Jesus, 1969-
Orientador: Graça, Adriana Silva, 1960-
Palavras-chave: Filosofia da arte
Música - Alemanha - séc.17-18
Teses de doutoramento - 2008
Data de Defesa: 2008
Resumo: Nesta dissertação, é discutido o conceito de autenticidade como predicado de execuções de obras musicais no contexto da tradição clássica ocidental. Defende-se que o conceito de execução (simpliciter) de uma obra levanta problemas de relatividade e de indeterminação, visto a sua aplicação não ser completamente independente de considerações de valor estético, e de aspectos dos contextos histórico-musicais relevantes. Contesta-se o argumento a favor da necessidade da autenticidade na execução musical que elimina o debate acerca da extensão do conceito execução autêntica de uma obra reduzindo este conceito ao de instanciação correcta dessa obra. Sugere-se que o modo como o contexto histórico-musical actual delimita as fronteiras da correcção e da autenticidade na execução decorre de um equilíbrio entre dois tipos de interesse na execução enquanto prática artística: o interesse na obra executada como produto artístico do compositor, interesse que favorece a fidelidade à obra; e o interesse na execução como produto artístico do intérprete, interesse que favorece a liberdade criativa deste. É defendida a relevância de certas obrigações morais da parte dos intérpretes para com os compositores, mas também o carácter suplantável dessas obrigações, bloqueando-se assim a tese da autenticidade histórica como imperativo ético absoluto. Distingue-se autenticidade pessoal, enquanto criatividade e sinceridade do intérprete na execução, e autenticidade histórica, enquanto fidelidade da execução à obra, ao seu compositor, ou ao som de uma execução, às práticas musicais ou à experiência estética típicos do contexto original da obra. Argumenta-se contra a tese de que a execução historicamente autêntica tem vantagens a priori sobre outras espécies de execução em termos de propensão para gerar resultados esteticamente (musicalmente) mais satisfatórios. A promoção da autenticidade histórica pelo movimento da execução historicamente informada é analisada enquanto ideologia e prática artística. Conclui-se que a autenticidade histórica não é um ideal artístico defensável, uma vez que a prioridade da correcção histórica na execução é, em última análise, incompatível com prioridades estéticas.
The concept of authenticity as a predicate of performances of musical works is discussed in the context of the Western classical tradition.I claim that the concept of a performance of a musical work raises issues of relativity and indeterminacy, since its application is not completely free from music-historical contextuality and from considerations of aesthetic value.I challenge the argument for the necessity of authenticity in performance that eschews the problem of determining the extension of the concept authentic performance of a work' by reducing the concept to that of the correct instantiation of that work.I suggest that the way the present socio-musical context defines the boundaries of correction and authenticity in performance derives from a balance, and a tension, between two types of interest in performance as an artistic practice: an interest in the performed work as the artistic product of its composer, which favours fidelity to the work; and an interest in the performance as the artistic product of the performer, which favours the latter's creative freedom.I argue for the relevance of certain moral obligations to composers on the part of performers, but also for the defeasible character of these obligations, thus blocking the view according to which historical authenticity is an absolute moral imperative.I distinguish personal authenticity, as creativity and sincerity on the part the performer, from historical authenticity, as the performance's faithfulness to the work performed, to its composer, or to the sound, performance practice or musical experience that were typical of the work's original context. I argue against the view that the historically authentic performance has an advantage over other kinds of performance in terms of propensity to generate more aesthetically successful results.The promotion of historical authenticity by the historically informed performance movement is analyzed as artistic ideology and practice. I conclude that the priority of historical authenticity is not a defensible artistic ideal, since it is ultimately incompatible with aesthetic priorities.
Descrição: Tese de doutoramento em Filosofia (Estética e Filosofia da Arte), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Letras, 2008
URI: http://sibul.reitoria.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000000000
http://hdl.handle.net/10451/548
Aparece nas colecções:FL - Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.