Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/550

Título: O enoturismo em Portugal : da "cultura" do vinho ao vinho como cultura : a oferta enoturística nacional e as suas implicações no desenvolvimento local e regional
Autor: Vaz, Ana Isabel Inácio Gomes da Silva Lopes, 1974-
Orientador: Cavaco, Carminda, 1938-
Palavras-chave: Enoturismo
Vinhos
Desenvolvimento económico e social
Vitivinicultura
Economia do turismo
Teses de doutoramento
Issue Date: 2008
Resumo: O Enoturismo é um fenómeno característico de Modernidade, com uma dupla valência e significado: constitui-se como uma actividade turística complementar à oferta turística nacional, predominantemente balnear. Encerra produtos turísticos onde o interesse pelo conhecimento do vinho e da vinha nas suas dimensões material, cultural e gastronómica, ou seja, simbólica, se materializam. Pode revelar-se uma actividade complementar da actividade rural e agrícola vitivinícola, ou motor de outras actividades tradicionais, seguindo uma lógica de pluriactividade (Covas; Cavaco) essencial aos agentes que em meio rural equacionam a sustentabilidade dos seus negócios. Mundialmente esta bivalência é reconhecida. Os casos de benchmarking que retratam os principais países europeus onde a actividade se desenvolve: França, Itália e Espanha confirmam este cenário. No Novo Mundo , ainda que repleto de especificidades e diferenças quando comparado com as realidades e escala europeia, possui o mesmo sentido de dupla valência. Em Portugal, esta actividade encontra-se ainda na sua primeira idade. Assume-se que a passagem do rural a produto turístico implica a eleição de alguns traços de ruralidade que se transformam em bandeiras do Destino Enoturístico , numa lógica de (re)constitução social desta realidade. Este fenómeno é visível quando se analisa a imprensa especializada, em boa parte responsável por este processo de transformação/criação da imagem do rural, inscrevendo-se um Novo rural. A valorização do passado, das tradições e do familiar são bivalentes: para os visitantes significam os argumentos que tornam o destino atractivo; para os agentes locais tornam-se num contributo que lhes permite a valorização e confirmação identitária há muito aspirada. No conjunto interferem na forma de organização e valorização do espaço: o agrícola, tornado rural, transforma-se agora em turístico, numa valorização endógena e exógena destes espaços e dos seus actores. A opção de análise à escala regional permite melhor retratar as suas especificidades, tendo-se optado pelas regiões do Minho, Douro, Alentejo e Setúbal. Considera-se que o Enoturismo é de particular relevância para estas regiões, não tanto pelos postos de trabalho que implica ou pelos lucros gerados, mas pelos processos de interiorização do prestígio e do valor que o trabalho da arte de fabricar o vinho induz. Esta imagem de um rural interessante para quem visita e prestigiante para quem nele participa podem constituir uma vantagem para o universo agrícola, como alavanca de algumas dinâmicas locais necessárias à sua perpetuação e fixação de populações neste meio. A proposta que é feita é, em certa medida, a comercialização do espaço rural, das suas paisagens, produtos, culturas, agentes, ou seja, do passado e do presente, de forma a garantir-lhes um futuro.
Wine tourism is a modernity phenomenon, with a double valence and significance: it is a complement to the national tourism offer, predominantly based on coast and beach tourism. It includes tourism products where the knowledge of the wine and vineyards in their physical, cultural, gastronomic and symbolic dimensions. It may prove to be a complementary activity of wine agriculture and rural life, or a propulsion motor to other traditional activities, following a logic of "multiple-activities" (Covas; Cavaco) vital to sustainability of agents and their business in rural areas. Worldwide this double-valence is recognized. The benchmarking studies we made prove well similarities in the main European countries where the business is developing: France, Italy and Spain, reinforcing this scenario. In the "New World" it is possible to notice the same bivalent sense, though full of peculiarities and differences when compared with the realities and European scale. In Portugal, this activity is still in its infancy. It is assumed that the passage of the rural to the tourism product involves the election of some traces of countryside that are transformed into banners of "Wine Tourism Destination," a logic of social (re) constitution of this reality. This phenomenon is visible when looking at the specialized press, in large part responsible for this process of transformation / creation of the image of the countryside, signing up a "new" rural. The recovery of the value of the past, of traditions and of the family is their multiple meanings: for visitors it gives the arguments that make the destination attractive; for local agents it becomes in the contribute that allows them to recover the value and long-aspirated identity confirmation. Overall, they interfere in the way of organization and exploitation of space: the agricultural turned rural, now becomes touristic, an endogenous and exogenous value recovery of these spaces and its stakeholders. The option of a regional scale analysis allows for a better portray of their specificities, so the following regions were selected; Minho, Douro, Alentejo and Setubal. It is estimated that the wine tourism is of particular relevance to these regions, not so much by jobs that it involves or the profits generated, but for the process of internalization of the prestige and value that the work of "the art of making wine" leads. This image of a interesting rural region for those who visit and prestigious for those who participates in it, can be an advantage for the agricultural field, as a lever of some local dynamics required for its establishment and perpetuation of people in this environment. The proposal that is made is to some extent, the "commercialization" of rural land, its landscapes, products, cultures, agents, i.e., past and present, to ensure them a future.
Descrição: Tese de doutoramento, Geografia (Planeamento Regional e Urbano), 2009, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000556208
http://hdl.handle.net/10451/550
Appears in Collections:FL - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
18143_ulsd_re343_AnaInacio_TeseDoutoramento_2008.pdf10,05 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia