Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/5690
Título: Factores psicossociais de risco na doença coronária : para além do comportamento tipo A
Outros títulos: Psychosocial risk factors in coronary heart disease : beyond type A behavior
Autor: Trigo, Miguel
Silva, Danilo
Rocha, Evangelista
Palavras-chave: Coronary heart disease
Type A pattern behavior
Type D personality
Anger
Hostility
Depression
Data: 2005
Editora: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Citação: Rev Port Cardiol 2005;24(2):261-281
Resumo: Objectives: From a broad perspective of psychocardiology, our aim is to give an overview of the role that psychosocial risk factors play in coronary artery disease. Methods: A review of the literature was made based on a systematic search of four databases: EBSCO, Proquest Psychology, Proquest Health and PubMed. In sample 1, two dependent (Coronary and Myocardial) and six independent variables (Type A, hostility, anger, depression, anxiety and psychosocial) were created. In sample 2, we searched directly for three descriptors (Type D personality, time urgency and coronaryprone behavior). Following this search, two sets of concepts were distinguished: (1) those relating to traditional research areas, and their critics, and (2) those included in the most recent trends, and their limitations. Conclusions: Research in psychocardiology has gone beyond the traditional concept of type A behavior pattern. The idea of a specific toxic component has been abandoned, in favor of a more holistic approach. The deleterious effects that negative emotions, particularly depression, as well as personality and socioeconomic status, may have on the functioning of various organs and psychosocial performance have now been recognized.
Objectivos: Partindo de um conceito alargado de Psicocardiologia, pretende-se colocar em perspectiva o papel dos factores psicossociais no risco da doença das artérias coronárias. Métodos: Revisão da literatura com base na análise sistemática de quatro bases de dados – EBSCO, Proquest Psychology, Proquest Health e PubMed. Na amostra 1, criaram-se duas variáveis dependentes (Coronary e Myocardial) e variáveis independentes (Type A, Hostility, Anger, Depression, Anxiety e Psychosocial). Na amostra 2, pesquisaram-se directamente três descritores (Type D personality, Time-urgency e Coronary-prone behavior). Na sequência da pesquisa, distinguem-se dois conjuntos de conceitos: (1) os que se referem às áreas de investigação tradicionais e respectivas críticas e (2) os que se inserem nas tendências mais recentes e suas limitações. Conclusões: A investigação em Psicocardiologia estendeu-se além do clássico conceito de padrão de comportamento tipo A. Nota-se uma tendência para abandonar a ideia de um componente tóxico específico, em favor de abordagens mais holísticas. Neste sentido, reconhecem-se os malefícios que as emoções negativas, particularmente a depressão, mas também a personalidade e o estatuto sócioeconómico, podem exercer no funcionamento de diversos órgãos ou desempenhos psicossociais.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/5690
http://www.spc.pt/DL/RPC/artigos/191.pdf
ISSN: 0870-2551
Aparece nas colecções:FM-IMP-Artigos em Revistas Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Doença_coronária_comportamento_tipoA.pdf272,82 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.