Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Medicina (FM) >
Instituto de Medicina Preventiva (FM-IMP) >
FM-IMP-Artigos em Revistas Nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/5699

Title: Prevalência, caracterização e distribuição dos principais factores de risco cardiovascular em Portugal : uma análise do estudo AMÁLIA
Other Titles: Prevalence and distribution of the main cardiovascular risk factors in Portugal : the AMALIA Study
Authors: Perdigão, Carlos
Rocha, Evangelista
Duarte, João Sequeira
Santos, Ana
Macedo, Ana
Keywords: Prevalence
Self-reporting
Cerebrovascular disease
Coronary heart disease
Risk factors
Atherosclerosis
Issue Date: 2011
Publisher: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Citation: Rev Port Cardiol 2011;30(04):393-432
Abstract: Objectives: To assess the self-reported prevalence of the main risk factors for cardiovascular disease in Portugal and their distribution by gender, age-group and region. Methods: We surveyed 38,893 individuals aged 40 or over, with a distribution by region and age-group proportional to the national population, through a questionnaire applied in the community in a household approach using the random route method, between October 2006 and February 2007. Results: The self-reported prevalence of hypertension was 23.5%, increasing with age in both genders, but slightly higher in women (24.9% vs. 21.8%). The prevalence of hypercholesterolemia, based on respondents’ statements, was 19.7%, and higher in women (20.7% vs. 18.6%), with the highest values in the 6th and 7th decades of life (23.9% and 23.6%). The prevalence of diabetes was 8.9%, increasing with age, and slightly higher in women (9.3% vs. 8.5%). The prevalence of smoking was 16.3%,decreasing with age, but always higher in men (25.3% vs. 8.8%). The prevalence of overweight/obesity (BMI equal to or higher than 25/30 kg/m2) was 51.6%, higher in those aged 60-69 (57.1%) and 70-79 years (56%). Most participants (65.3%) declared they never took part in structured physical activity, while 24% claimed to take exercise, on average for 11 years, and 10.6% stated that they no longer exercised. In the Azores, there was a higher prevalence of hypertension, hypercholesterolemia, diabetes and overweight/obesity, while the North and Algarve regions presented the lowest values of these risk factors, although they had higher levels of smoking. Conclusions: Based on respondents’ statements, the AMALIA study found the following prevalences of the six risk factors under investigation, in descending order: sedentarism – 76%; overweight/obesity – 52%; hypertension – 24%; hypercholesterolemia – 20%; smoking – 16%; and diabetes – 9%. Notwithstanding possible under-reporting, the differences in prevalence of these major risk factors by gender and region could influence cardiovascular prevention strategies in Portugal.
Objectivos: Avaliar a prevalência dos principais factores de risco cardiovascular auto-referida pelos inquiridos e a sua distribuição geográfica por grupo etário e sexo em Portugal. Metodologia: Foram inquiridos 38 893 indivíduos, com idade igual ou superior a 40 anos, com uma distribuição por região e grupo etário semelhante à população Nacional, utilizando um questionário estruturado, numa entrevista no domicílio seleccionado pelo método de random route, entre Outubro de 2006 e Fevereiro de 2007. Resultados: A prevalência da hipertensão arterial auto-referida foi de 23,5%, aumentando progressivamente segundo o grupo etário, sendo maior no sexo feminino, com 24,9%, do que no sexo masculino, com 21,8%. A prevalência da hipercolesterolemia auto-referida foi de 19,7%, mais elevada na 6.ª e 7.ª década de vida, respectivamente com 23,9% e 23,6%, tendo sido mais declarada pelo sexo feminino, com 20,7%, do que pelo sexo masculino, com 18,6%. A prevalência da diabetes auto-referida foi de 8,9%, aumentando segundo a idade, e mais elevada no sexo feminino, com 9,3%, do que no sexo masculino, com 8,5%. A proporção de fumadores era de 16,3%, sendo inversamente proporcional ao grupo etário, e maior no sexo masculino, com 25,3%, do que no sexo masculino, com 8,8%. A prevalência de excesso de peso/obesidade (IMC ≥25 kg/m2) foi 51,6%, sendo mais elevada nos grupos etários 60-69 anos (57,1%) e 70-79 anos (56%). A proporção de inquiridos que declararam nunca praticar exercício físico foi 65,3%, enquanto 24% praticavam, em média desde há 11 anos, e 10,6% deixaram de fazer exercício físico. Na Região Autónoma dos Açores verificou-se uma maior prevalência de tensão arterial elevada, hipercolesterolemia, diabetes e excesso de peso/obesidade. As regiões Norte e Algarve caracterizaram-se por valores mais baixos destes factores de risco mas, por outro lado, pela maior proporção de fumadores (20,3%). Conclusões: O AMALIA é um estudo de grande dimensão sobre a prevalência autoreferida dos principais factores de risco de doença cardiovascular realizado em Portugal Continental e Regiões Autónomas. Por ordem decrescente, a prevalência foi a seguinte: sedentarismo - 76%; excesso de peso/obesidade - 52%; hipertensão arterial - 24%; hipercolesterolemia - 20%; tabagismo -16%; diabetes - 9%. Os resultados poderão influenciar as estratégias de prevenção cardiovascular em Portugal.
Peer Reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/5699
http://www.spc.pt/DL/RPC/artigos/1322.pdf
ISSN: 0870-2551
Appears in Collections:FM-IMP-Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Risco_cardiovascular.pdf769.76 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE