Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/5901

Título: Crescimento diário de juvenis de sardinha, Sardina pilchardus (Walbaum, 1792): relação com actividade reprodutiva e condições ambientais
Autor: Silva, Andreia Vanessa Alves da, 1983
Orientador: Silva, Alexandra
Assis, Carlos António da Silva, 1961-
Palavras-chave: Ictiologia
Reprodução
Sardina Pilchardus
Teses de mestrado - 2011
Issue Date: 2011
Resumo: A sardinha, Sardina pilchardus (Walbaum, 1792), é uma espécie do grupo de pequenos pelágicos com ampla distribuição geográfica no Atlântico Nordeste e no Mediterrâneo. Em Portugal, é um dos recursos pesqueiros mais importantes representando 40% do peso total do pescado desembarcado anualmente no continente. É capturada sobretudo na pescaria do cerco, e, para efeitos de gestão pesqueira, a sardinha distribuída nas águas atlânticas de Portugal e Espanha é considerada um stock único, designado stock Atlântico-Ibérico, cujo estado de exploração é avaliado anualmente pelo Conselho Internacional para a Exploração do Mar, CIEM/ ICES (e.g. ICES). Apesar do grande avanço realizado nas últimas décadas sobre o conhecimento de diversos aspectos biológicos e de dinâmica populacional do stock Atlântico-Ibérico de S. pilchardus, os processos de recrutamento continuam a ser pouco conhecidos. Um melhor conhecimento sobre os factores que afectam a sobrevivência da sardinha nas fases de pré-recrutamento é uma etapa essencial para entender a dinâmica populacional deste recurso e gerir a pescaria do cerco. O presente trabalho apresenta os resultados da análise do crescimento diário de juvenis de S.pilchardus da Costa Ocidental Norte Portuguesa, obtida pela contagem de anéis diários. O primeiro objectivo do estudo foi relacionar a idade dos juvenis, capturados entre Maio de 2004 e Janeiro de 2005, com características morfométricas dos indivíduos (peso e comprimento total) e dos otólitos (peso e diâmetro) e estimar a sua data de eclosão a partir da melhor relação obtida. Os resultados indicaram que 80% dos exemplares eclodiram entre Janeiro-Março, com idades compreendidas entre os 103 e os 275 dias. Verificou-se que o diâmetro e o peso dos otólitos têm uma melhor relação com a idade, explicando 81% e 87% da variabilidade total respectivamente. A relação linear entre o logaritmo da idade e o diâmetro dos otólitos (r2= 0,86) pode ser usada para predizer a idade dos juvenis com um erro de 5%. Estimou-se uma taxa de crescimento 0,06 cm dia-1. O segundo objectivo deste estudo foi verificar se os juvenis de sardinha, capturados em Outubro de 2008 e Abril de 2009 pertencem à mesma época de desova, e relacionar as datas de eclosão com os factores ambientais, nomeadamente a temperatura superficial do mar e a concentração de clorofila, a actividade reprodutiva, e a condição das fêmeas desovantes. Desta forma, procura-se o estabelecimento de uma “janela” ambiental em que a probabilidade de sobrevivência dos juvenis é maior. A distribuição das datas de eclosão mostrou que as sardinhas da primeira campanha eclodiram entre Outubro de 2007 e Maio de 2008, com dois picos em Janeiro e Março do mesmo ano, correspondentes às duas modas das distribuições de comprimentos. Esta distribuição não foi coincidente com os valores de actividade reprodutiva. A distribuição das datas de eclosão de Abril de 2009 apresenta um pico nos meses de Junho- Julho, correspondendo a uma moda na distribuição de comprimentos. Este pico encontra-se fora da principal época de desova, mas coincide com uma elevada condição das fêmeas, um período de temperaturas elevadas e a uma maior concentração de clorofila. As taxas de crescimento para esta campanha foram três vezes superiores, indicando que o aumento da temperatura superficial do mar durante os meses de Verão favorece o crescimento das fases larval e juvenil. Apesar das dificuldades inerentes à leitura de incrementos diários e à validação dos mesmos com as idades em juvenis, a coerência existente entre as relações comprimento dos indivíduos com a Idade, as datas de eclosão e taxas de crescimento encontradas no presente trabalho, com os dados de outros autores, conferem algum suporte aos resultados.
The sardine, Sardina pilchardus (Walbaum, 1792) is a small pelagic, distributed in the Northeast Atlantic and the Mediterranean Sea. For Portugal, the sardine is the most important marine resource, representing 40% of the annual landings, being mainly fished in coastal waters by purse-seiners and, for management purposes, the sardine in European Atlantic waters have been considered to belong to a single stock, the Atlanto – Iberian stock, which exploration regime is annually evaluated by the International Council for the Exploration of the Sea (e.g. ICES). Since the past two decades, many studies have focused biology and populational dynamics of the Atlanto-Iberian sardine stock, however a comprehensive work assessing the recruitment dynamics for this species is still lacking. The factors that influence sardine survival in early recruitment phases are an important step to understand the dynamic of this species and to manage the purse-seiner fisheries. The present work has investigated patterns of daily growth of sardine juveniles, S, pilchardus from the Northern Portuguese cost, determinated by counts of daily growth rings. The first aim of this study was to connect the age of sardine juvenile collected during May 2004 – January 2005 with individual (weight and total length) and otolith (weight and diameter) morphometric characteristics, and estimate the hatch date through the best relationship. The results indicate that 80% of the sardines hatched between January-March 2004, with ages ranged between 103 and 275 days. It was concluded that the linear relationship between the logarithm of age and otolith diameter explained 86 % of the overall variability and could be used in age determination of this species with a 5% of error. The Back-calculated juvenile growth rates of sardine was 0,06 cm day -1. The second aim was to study if the sardine juveniles, captured in Outober 2008 and April 2009 belonged to the the same spawning season, and relate the hatch date with environmental factors, namely sea surface temperature (SST) and chlorophyll concentration, gonodosomatic activity and condition factor of the spawning females. The hatch date distributions shown that sardines caught in April were hatched between October 2007 and May of 2008, with two hatch date peaks, corresponding to the two length distributions modes, which wasn’t coincident with the reproductive activity. April’s, 2009 hatch date distributions shown a peak in June-July 2008, coincident with one mode in the length distribution’s. Although this peak appear out of the spawning season, documented in previous works, it appears to be related with a good conditions of the females, a high period of sea surface temperature and a chlorophyll concentration. The growth rate of this campaign showed a three times superior than the previous one. Although the difficulties associated with the daily rings interpretation and validation in juveniles, the consistency between the total length – age relationships, the date of birth and the daily growth rates observed in this study, with the data of other authors, give some support to our results.
Descrição: Tese de mestrado. Biologia (Ecologia Marinha). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/5901
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc092908_tm_andreia_silva.pdf1,89 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE