Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Instituto de Educação (IE) >
GI Psicologia da Educação (IE-GIPE) >
IE - GIPE - Comunicações e Conferências >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/6340

Título: Aprendizagens não-formais em ciências: Contributos das actividades de um museu
Autor: Dias, Ana
César, Margarida
Palavras-chave: Museus
Educação não-formal
Literacia científica
Crianças
Jovens
Actividades de férias
Issue Date: 2011
Citação: Reis, C., & Neves, F. (Eds.), Livro de actas do XI congresso da sociedade portuguesa de ciências da educação, vol. 1
Resumo: Um museu é valorizado pelo património edificado e colecções, pela comunicação e troca de saberes com a comunidade (Primo, 1999). Além de preservar as colecções, deve contribuir para o desenvolvimento das populações, ou seja, do público (Skramstad, 2004). Deste modo, os museus tornaram-se espaços dinâmicos, oferecem serviços, programas como cursos de curta duração, palestras, projectos com escolas, entre outros, com a convicção de que as pessoas aprendem melhor se forem motivadas através de actividades sedutoras (Hooper-Greenhill, 2007). O Museu Nacional de História Natural e o Museu de Ciência da Universidade de Lisboa oferecem programas semanais de actividades, para crianças, durante os períodos de férias escolares. Estes consistem em actividades que abarcam diversas áreas científicas. A partir deste percurso multidisciplinar, pretende-se que as crianças despertem com um outro olhar para a cultura científica, através da arte e da experiência lúdica, nos diversos espaços dos museus. Com o objectivo de estudar este programa de actividades e usando uma abordagem interpretativa (Denzin & Lincoln, 1998), desenvolveu-se um estudo de caso intrínseco (Stake, 1995). Estudaram-se 6 grupos de crianças que frequentaram uma semana destas actividades. Os instrumentos de recolha de dados foram observação (registada em diários de bordo e gravações áudio), entrevistas a crianças e encarregados de educação, trabalhos realizados pelas crianças e instrumentos baseados em técnicas de inspiração projectiva. O tratamento de dados é baseado numa análise narrativa de conteúdo (Clandinin & Connelly, 1998), da qual emergem categorias indutivas. Os resultados iluminam a importância das aprendizagens não formais para o desenvolvimento da literacia científica, conforme ilustrado pelos exemplos analisados.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/6340
ISBN: 978-972-8681-35-7
Appears in Collections:IE - GIPE - Comunicações e Conferências

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dias & César (2011).pdf1,18 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia