Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Instituto de Educação (IE) >
GI Psicologia da Educação (IE-GIPE) >
IE - GIPE - Comunicações e Conferências >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/6340

Title: Aprendizagens não-formais em ciências: Contributos das actividades de um museu
Authors: Dias, Ana
César, Margarida
Keywords: Museus
Educação não-formal
Literacia científica
Crianças
Jovens
Actividades de férias
Issue Date: 2011
Citation: Reis, C., & Neves, F. (Eds.), Livro de actas do XI congresso da sociedade portuguesa de ciências da educação, vol. 1
Abstract: Um museu é valorizado pelo património edificado e colecções, pela comunicação e troca de saberes com a comunidade (Primo, 1999). Além de preservar as colecções, deve contribuir para o desenvolvimento das populações, ou seja, do público (Skramstad, 2004). Deste modo, os museus tornaram-se espaços dinâmicos, oferecem serviços, programas como cursos de curta duração, palestras, projectos com escolas, entre outros, com a convicção de que as pessoas aprendem melhor se forem motivadas através de actividades sedutoras (Hooper-Greenhill, 2007). O Museu Nacional de História Natural e o Museu de Ciência da Universidade de Lisboa oferecem programas semanais de actividades, para crianças, durante os períodos de férias escolares. Estes consistem em actividades que abarcam diversas áreas científicas. A partir deste percurso multidisciplinar, pretende-se que as crianças despertem com um outro olhar para a cultura científica, através da arte e da experiência lúdica, nos diversos espaços dos museus. Com o objectivo de estudar este programa de actividades e usando uma abordagem interpretativa (Denzin & Lincoln, 1998), desenvolveu-se um estudo de caso intrínseco (Stake, 1995). Estudaram-se 6 grupos de crianças que frequentaram uma semana destas actividades. Os instrumentos de recolha de dados foram observação (registada em diários de bordo e gravações áudio), entrevistas a crianças e encarregados de educação, trabalhos realizados pelas crianças e instrumentos baseados em técnicas de inspiração projectiva. O tratamento de dados é baseado numa análise narrativa de conteúdo (Clandinin & Connelly, 1998), da qual emergem categorias indutivas. Os resultados iluminam a importância das aprendizagens não formais para o desenvolvimento da literacia científica, conforme ilustrado pelos exemplos analisados.
Peer Reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/6340
ISBN: 978-972-8681-35-7
Appears in Collections:IE - GIPE - Comunicações e Conferências

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dias & César (2011).pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE