Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Medicina (FM) >
Instituto de Medicina Preventiva (FM-IMP) >
FM-IMP-Artigos em Revistas Nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/6640

Título: Prevalência das lesões nos órgãos-alvo associadas à hipertensão : significado clínico-epidemiológico do predomínio da pressão arterial sistólica
Autor: Rocha, Evangelista
Oliveira, A. Gouveia de
Pádua, José M.
Miguel, J. M. Pereira
Pádua, Fernando de
Palavras-chave: Hipertensão arterial sistólica
Epidemiologia
Hipertensão arterial diastólica
Electrocardiograma
Issue Date: 1998
Editora: Faculdade de Medicina de Lisboa
Citação: Revista FML III (3) 175-194
Resumo: Conclusões 1- A repercussão da hipertensão nos órgãos-alvo, segundo alguns dos mais importantes indicadores, foi mais precoce e prevalente no coração (padrão de "sobrecarga" ventricular esquerda-10%; insuficiência cardíaca esquerda-8%) e no cérebro (sequelas neurológicas-6%) do que na retina (exsudados/hemorragias, edema papilar-3%) e no rim (creatinina > 1,4 mg/dl-3%). 2- O excesso de prevalência dos padrões electrocardiográficos atribuíveis à hipertensão foi o seguinte: 2% - Ondas Q; 12% - HVE; 11% - alterações do segmento ST; 19% - alterações da onda T; 1% - bloqueio de ramo esquerdo; 1% - bloqueio de ramo direito. 3- As alterações electrocardiográficas associadas à hipertensão (regressão múltipla) foram as seguintes: HVE; alterações da repolarização do segmento ST e da onda T; bloqueio do ramo esquerdo e direito. 4- O modelo diagnóstico que caracterizou os hipertensos revelou boas características de validade, confirmando a utilidade do ECG, mas com os critérios de HVE, iguais em ambos os sexos, é previsível uma menor especificidade no sexo masculino, excepto para o padrão de "sobrecarga ", seguramente com outro significado epidemiológico e clínico. 5- Nos hipertensos, a pressão sistólica demonstrou maior influência do que a pressão diastólica na repercussão electrocardiográfica, em qualquer dos métodos de análise multivariada, mas a análise factorial de corespondências retirou algum sentido à opção de desvalorizar ou prescindir da avaliação da pressão diastólica., isto é, o significado clínico da pressão sistólica e diastólica pode ser pouco diferente sobretudo para adultos jovens. 6- Nos estudos que incluam populações envelhecidas é provável que a determinação da pressão diastólica seja dispensável. 7- Para simplificar a classificação da hipertensão deve ser dada preferência aos valores sistólicos.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/6640
ISSN: 0872-4059
Appears in Collections:FM-IMP-Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
HTA.pdf291,72 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia