Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/6736
Título: Julgamentos de feitiçaria, relativismo cultural e hegemonias locais
Autor: Granjo, Paulo
Palavras-chave: Moçambique
Feitiçaria
Relativismo cultural
Risco
Controlo social
Data: 2012
Editora: CESAB. Centro de Estudos Sociais Aquino de Bragança
Citação: Granjo, P. (2012). Julgamentos de feitiçaria, relativismo cultural e hegemonias locais. In Helene Maria Kyed, João Paulo Borges Coelho, Amélia Neves de Souto, Sara Araújo (coord.), A dinâmica do pluralismo jurídico em Moçambique. (pp. 135-154). Maputo: CESAB. Centro de Estudos Sociais Aquino de Bragança. ISBN 978-989-97730-0-4
Resumo: O acesso à justiça e à segurança constituem uma preocupação central da maioria dos moçambicanos, sobretudo aqueles que vivem nas zonas mais pobres. Desde o fim da guerra civil, em 1992, a polícia e o judiciário foram sujeitos a profundas reformas no contexto da transição democrática no país. Todavia, apesar do grande investimento do governo e parceiros internacionais nas instituições formais do Estado, muito há ainda a fazer no que respeita ao acesso dos cidadãos comuns à justiça e segurança pública. De facto, na maioria das situações os moçambicanos recorrem a instituições tradicionais e comunitárias para resolver as disputas e os crimes, havendo casos ainda em que se procura fazer justiça com as próprias mãos. A justiça é, assim, dispensada por autoridades tradicionais, tribunais comunitários, secretários de aldeia, agentes de policiamento comunitário, organizações da sociedade civil e curandeiros tradicionais. Por vezes estas entidades actuam em colaboração com a polícia os tribunais estatais, outras vezes fazemno à margem deles. Na verdade, grande parte do que se passa na prática é altamente informal. Esta dinâmica do pluralismo legal constitui o cerne do presente volume. Ele contém uma gama de estudos de caso empíricos sobre mecanismos estatais e não estatais de justiça e segurança pública em todo o território moçambicano, assim como informações sobre Angola, Serra Leoa e Cabo Verde. Relaciona os dados empíricos com questões teóricas e políticas por eles suscitadas. O ponto de partida do livro é o reconhecimento oficial do pluralismo legal que figura na Constituição da República de Moçambique de 2004, o que faz de Moçambique um caso a salientar a nível global. O livro procura contribuir para uma discussão crítica deste compromisso constitucional – e das suas implicações práticas e políticas – com base em pesquisa histórica, sociológica e antropológica sobre a dinâmica quotidiana do pluralismo legal.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/6736
ISBN: 978-989-97730-0-4
Aparece nas colecções:ICS - Capítulos de Livros

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ICS_PGranjo_Julgamentos_CLI.pdf1,49 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.