Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Instituto de Ciências Sociais (ICS) >
SUSTAIN - Sustentabilidade: ambiente, risco e espaços (ICS-SUSTAIN) >
ICS - SUSTAIN - Capítulos de Livro Internacional >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/6736

Título: Julgamentos de feitiçaria, relativismo cultural e hegemonias locais
Autor: Granjo, Paulo, 1963-
Palavras-chave: Moçambique
Feitiçaria
Relativismo cultural
Risco
Controlo social
Issue Date: 2012
Editora: CESAB. Centro de Estudos Sociais Aquino de Bragança
Citação: Granjo, P. (2012). Julgamentos de feitiçaria, relativismo cultural e hegemonias locais. In Helene Maria Kyed, João Paulo Borges Coelho, Amélia Neves de Souto, Sara Araújo (coord.), A dinâmica do pluralismo jurídico em Moçambique. (pp. 135-154). Maputo: CESAB. Centro de Estudos Sociais Aquino de Bragança. ISBN 978-989-97730-0-4
Resumo: O acesso à justiça e à segurança constituem uma preocupação central da maioria dos moçambicanos, sobretudo aqueles que vivem nas zonas mais pobres. Desde o fim da guerra civil, em 1992, a polícia e o judiciário foram sujeitos a profundas reformas no contexto da transição democrática no país. Todavia, apesar do grande investimento do governo e parceiros internacionais nas instituições formais do Estado, muito há ainda a fazer no que respeita ao acesso dos cidadãos comuns à justiça e segurança pública. De facto, na maioria das situações os moçambicanos recorrem a instituições tradicionais e comunitárias para resolver as disputas e os crimes, havendo casos ainda em que se procura fazer justiça com as próprias mãos. A justiça é, assim, dispensada por autoridades tradicionais, tribunais comunitários, secretários de aldeia, agentes de policiamento comunitário, organizações da sociedade civil e curandeiros tradicionais. Por vezes estas entidades actuam em colaboração com a polícia os tribunais estatais, outras vezes fazemno à margem deles. Na verdade, grande parte do que se passa na prática é altamente informal. Esta dinâmica do pluralismo legal constitui o cerne do presente volume. Ele contém uma gama de estudos de caso empíricos sobre mecanismos estatais e não estatais de justiça e segurança pública em todo o território moçambicano, assim como informações sobre Angola, Serra Leoa e Cabo Verde. Relaciona os dados empíricos com questões teóricas e políticas por eles suscitadas. O ponto de partida do livro é o reconhecimento oficial do pluralismo legal que figura na Constituição da República de Moçambique de 2004, o que faz de Moçambique um caso a salientar a nível global. O livro procura contribuir para uma discussão crítica deste compromisso constitucional – e das suas implicações práticas e políticas – com base em pesquisa histórica, sociológica e antropológica sobre a dinâmica quotidiana do pluralismo legal.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/6736
ISBN: 978-989-97730-0-4
Appears in Collections:ICS - SUSTAIN - Capítulos de Livro Internacional

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ICS_PGranjo_Julgamentos_CLI.pdf1,49 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia