Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/6890
Título: Faking good no MMPI-2 : um estudo exploratório da relação entre medidas cognitivo-comportamentais e fisiológicas
Autor: Mesquita, Ana Raquel Duarte
Orientador: Novo, Rosa, 1957-
Palavras-chave: Minnesota Multiphasic Personality Inventory-2
Electrodermal Activity
Instrumentos de avaliação psicológica
Avaliação da personalidade
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: A avaliação da personalidade e da psicopatologia é realizada frequentemente com recurso a instrumentos de autorrelato. No entanto, a natureza destes instrumentos torna-os particularmente propícios à ocorrência de faking good. O comportamento de faking, quando ocorre, pode pôr em causa a validade da informação obtida pelo que se exigem formas de o detetar adequadamente. O presente estudo pretende analisar a presença de faking good na autoavaliação da personalidade e psicopatologia, associando este comportamento a medidas fisiológicas. Para tal, foi utilizado o MMPI-2 (Minnesota Multiphasic Personality Inventory-2) e o EDA (electrodermal activity). A amostra foi constituída por 24 participantes, provenientes de dois contextos diferentes: contexto normal e contexto clínico/forense. Neste último contexto, há uma maior probabilidade de ocorrer, de forma natural, faking good, o que fundamenta a sua escolha. Os participantes deste contexto foram recrutados de uma clínica psiquiátrica de Setúbal e de um serviço de psicologia de Lisboa, estando todos inseridos num processo de avaliação psicológica, aquando do momento das aplicações, o que aumenta a validade ecológica do estudo. A análise dos resultados foi realizada a nível intra e inter-participantes, recorrendo a uma metodologia diferencial. A partir desta análise, foi possível identificar e distinguir dois tipos de faking good. O faking good ‘clássico’ – para o qual foi direcionado este estudo – apresenta características que vão de encontro às descritas na literatura para este tipo de viés de resposta (ver Graham, 2000; Green, 2000). Neste tipo de faking good, foi ainda possível encontrar uma associação inversa e diferenciada entre os resultados T do MMPI-2 e as ativações de EDA, isto é, foi encontrado um padrão no perfil de validade que é distinto do padrão encontrado no perfil clínico.
Personality and psychopathology assessment is often conducted using self-report instruments. However, the nature of these instruments makes them particularly prone to the occurrence of faking good. When the faking behaviour occurs, it may question the validity of the obtained information and ways to correctly detect it are, therefore, demanded. The present study intends to analyse the presence of faking good in the self-assessment of the personality and psychopathology, associating this behaviour to physiological measures. For such, the MMPI-2 was used (Minnesota Multiphasic Personality Inventory-2) and the EDA (electrodermal response). The sample consists of 24 participants, from two different contexts: normal context and clinical/ forensic context. In this last context, there is a bigger probability of the occurrence of faking good, in a natural way, which justifies its choice. The participants of this context were recruited from a psychiatric clinic in Setúbal and a psychology service from Lisbon, all of them being part of a psychological assessment at the moment of the application, which increases the ecological validity of the study. The analysis of the results was undertaken at both intra and inter-subject, using differential methodology. From this analysis, it was possible to identify and distinguish two types of faking good. The ‘classic’ faking good – to which this study was directed – shows features which are in accordance to those described in the literature for this type of response bias (see Graham, 2000 and Green, 2000). For this type of faking good it was still possible to find an inverse and differentiated association between the T results of MMPI-2 and the EDA activations, i.e., we encountered a pattern in the validity profile which is different from the pattern found in the clinical profile.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/6890
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie040136_tm.pdf809,7 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.