Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/6921
Título: Modelos dualistas do julgamento em condições de incerteza : integração da mente reflexiva
Autor: Sequeira, Mariana
Orientador: Ferreira, Mário Augusto Boto, 1967-
Palavras-chave: Cognitive Reflection Test
Julgamento
Racionalidade
Incerteza
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: A racionalidade tem vindo a ser considerada por alguns autores como um conceito importante no porquê de alguns indivíduos conseguirem substituir a resposta heurística por uma solução analítica durante o processo de julgamento em condições de incerteza (e.g. Stanovich, Toplak & West, 2012). Assim, de acordo com esta conceptualização, uma explicação possível para esta questão parece ser a existência de diferenças individuais nas disposições epistémicas de pensamento e regulação (mente reflexiva) e, também, diferenças no nível relacionado com desigualdades na capacidade cognitiva (mente algorítmica; Stanovich, 2008). Com efeito, para conseguir estudar os factores que influenciam a resposta racional é necessário utilizar problemas que operacionalizem simultaneamente as operações da mente reflexiva e da mente algorítmica. O Cognitive Reflection Test (CRT, Frederick, 2005) parece ser um instrumento que possui estas características. Desta forma, o principal objectivo deste estudo é, através da utilização deste medida, investigar as propriedades e características da mente reflexiva. Mais especificamente, esperava-se que responder ao CRT primeiro de acordo com o que se considera ser o pensamento dos outros e depois segundo o raciocínio do próprio pudesse levar, devido a mecanismos de vigilância epistémica e bias blind spot, à activação de um pensamento mais crítico em relação aos possíveis enviesamentos de resposta e, consequentemente, melhorar o desempenho do próprio. Esta hipótese foi apenas parcialmente apoiada. Para além disso, esperava-se, também, que o desempenho no CRT pudesse predizer os resultados numa bateria de problemas inferenciais devido ao facto de este instrumento conseguir mensurar propriedades reflexivas e algorítmicas da inibição. Esta hipótese foi apoiada pelos dados. Para além disso, no estudo follow up é proposta uma metodologia que procura estudar os contributos da mente reflexiva de uma forma completamente independente da mente algorítmica. As principais implicações são discutidas ao longo do trabalho.
Rationality has been considered by some authors as an important concept in the understanding of why some individuals have the ability to override the heuristic answer and replace it by an analytic solution during the process of judgment under uncertainty (e.g. Stanovich, Toplak & West, 2012). Thus, according with this conceptualization, one possible explanation for this question may be the existence of individual differences in epistemic thinking dispositions and regulation (i.e. reflective mind) or the existence of individual differences in cognitive capacity (i.e. algorithmic mind; Stanovich, 2008). Indeed, to study the variables influencing the rational response it is necessary to use problems that simultaneously tap the reflective level mechanisms’ and the cognitive operations of algorithmic mind. The Cognitive Reflection Test (CRT, Frederick, 2005) appears to be an instrument that has both this characteristics. Therefore, the main goal of the present research is to explore the nature of the reflective mind through the use of this measure. In particular, it was expected that answering the CRT first according to other’s perspective and then solving the same problems according to one’s own reasoning may lead, due to the epistemic vigilance and bias blind spot, to more critical thinking and less susceptibility to bias , therefore improving the performance on CRT. This hypothesis was partially supported by data. On the other hand it was also expected that the performance on the CRT would predict the results of a group of problems from the heuristic and bias literature because this instrument is able to measure the reflective and algorithmic elements of the inhibition process. This hypothesis was supported by the data. Lastly, the follow-up study suggests a methodology which intends to study the contribution of the reflective mind totally separating it from the algorithmic mind. The main implications are discussed in the present work.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Cognição Social Aplicada), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/6921
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie040148_tm.pdf792,8 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.