Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Psicologia (FP) >
FP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/6931

Título: Educação sexual em meio escolar : perspectivas dos professores
Autor: Belo, Marta da Silva Prata
Orientador: Pinto, Alexandra Marques, 1963-
Palavras-chave: Educação sexual
Perspectivas dos professores
Estudo comparativo
Teses de mestrado - 2012
Issue Date: 2012
Resumo: O presente estudo pretende comparar as perspectivas dos professores canadianos e portugueses sobre a educação sexual em meio escolar, através de um questionário construído por Cohen, Byers, Sears e Weaver (2004) e, mais tarde, traduzido e adaptado por Alvarez e Marques-Pinto (no prelo). Pretende-se, de igual modo, saber se os professores consideram a versão portuguesa do questionário “Perspectivas do Professor Sobre Educação Sexual” clara e abrangente, que obstáculos e apoios têm para a implementação da educação sexual nas escolas, qual a importância da educação sexual, que tópicos devem ser abrangidos e que formação têm recebido. Assim, foi conduzida uma análise comparativa das amostras canadiana (n = 336) e portuguesa (n = 196). Os resultados revelaram diferenças significativas ao nível da percepção da qualidade da ES nas escolas, da qualidade da formação recebida, da importância atribuída aos tópicos de ES e do conhecimento e do conforto sentidos na leccionação de ES. Da análise das entrevistas foi possível concluir que os professores consideram o questionário abrangente (66,7%) e claro (58,3%), que consideram importante a ES nas escolas porque podem substituir ou complementar a formação dada pelos pais (50%) e porque os jovens precisam de mais informação e mais conhecimentos (50%). Os professores consideraram como temas mais importantes para abordar o Desenvolvimento Humano (83%), as Relações (67%) e a Saúde Sexual (67%). Um terço dos professores considerou que o maior obstáculo à implementação da ES são os pais, enquanto outro terço considerou não existirem obstáculos à implementação da ES nas escolas. Em relação aos apoios recebidos, 50% expressou ser da direcção que recebe mais apoio e 42% não percepcionou qualquer apoio à implementação da ES. Por fim, 58% dos professores considerou não ter recebido formação para implementar a ES nas escolas.
This study aims to compare the perspectives of Canadian and Portuguese teachers regarding Sexual Health Education (SHE) in school environment, using a questionnaire created by Cohen, Byers, Sears and Weaver (2004) and later translated and adapted by Alvarez and Marques-Pinto (in press). The aim is also to know if teachers consider the Portuguese version of the questionnaire "Teacher’s Perspectives Concerning Sexual Health Education" clear and comprehensive, what hurdles and support they have concerning the implementation of sexual health education in schools, the importance of sexual health education, what topics should be covered and what training they have received. A statistical analysis was conducted to compare the Canadian (n=336) and Portuguese (n=196) samples. The results reveal significant differences in the perception of SHE quality in schools, in terms of training quality received, importance given to the topics of SHE, and knowledge and comfort felt in SHE teaching. Concerning the interviews analysis, it was acknowledged that teachers consider the questionnaire both comprehensive (66.7%) and clear (58.3%). Teachers find that SHE is important in schools because it can replace or complement the education given by parents (50%) and because young people need more information and knowledge (50%). Teachers consider that the most important issues to address are Human Development (83%), Relationships (67%) and Sexual Health (67%). A third of the teachers considered that the biggest SHE implementation obstacle are the parents, while another third considered that there were not any at all regarding SHE implementation in schools. Concerning received support, 50% expressed they receive more support from the School’s Board and 42% did not perceive any SHE implementation support. Finally, 58% of teachers considered that they didn’t receive any training concerning SHE implementation in schools.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia da Educação e da Orientação), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/6931
Appears in Collections:FP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfpie040155_tm.pdf1,48 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE