Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/6932
Título: Impacto da idade materna na relação que a mãe estabelece com o seu bebé
Autor: Martins, Cátia Filipa da Silva
Orientador: Justo, João Manuel Rosado de Miranda, 1958-
Palavras-chave: Relação mãe-criança
Recém-nascido - psicologia
Maternidade tardia
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: Este estudo procura avaliar a contribuição da idade materna para o estabelecimento de relação emocional entre a mãe e o seu bebé nos primeiros dias da sua vida. Para esse efeito, foram utilizados dois instrumentos: um Questionário Sócio-Demográfico (desenvolvido para o presente estudo) a partir do qual se pode determinar, para além de outras informações, a idade materna (variável independente) e a “Escala de Ligação Mãe-Bebé” (adaptação da “Mother-to-Infant Bonding Scale” [Taylor et al., 2005] e da “Bonding: escala para avaliar o envolvimento emocional dos pais com o bebé” [Figueiredo et all., 2005]) que permite operacionalizar o “bonding” (variável dependente). O primeiro instrumento permitiu ainda recolher outras informações relevantes, quanto a dados sociais, demográficos, da história ginecológica e obstétrica e dados referentes à vivência da gravidez e do parto que contribuem para a explicação do “bonding”. Verificou-se, numa primeira fase, que o “Bonding Rejeitante”, em mães com idades compreendidas entre os 27 e os 35 anos é significativamente mais elevado do que em mães com idade igual ou inferior a 26 anos. Relativamente ao tipo de “bonding” “Aceitante” e “Desanimado”, os valores encontrados, não foram significativos. Assim, nenhuma das três primeiras hipóteses é corroborada pelos resultados obtidos neste estudo. No entanto, as mães com idades compreendidas entre os 26 e os 35 anos parecem apresentar mais dificuldades em estabelecer uma relação emocional saudável. Quanto à hipótese em que se previa que a idade dá um contributo significativo para a explicação da variância da variável dependente, esta é apenas confirmada pelos resultados no que diz respeito ao “bonding” do tipo “Rejeitante”. Finalmente, verificamos que, dentro das variáveis a controlar, as variáveis “Duração da gestação”, “Número de gravidezes anteriores”, “Número de gravidezes interrompidas”, “Estatuto ocupacional” (da mãe), “Comprimento” e “Peso” do recém-nascido contribuem para um aumento significativo da percentagem da variância explicada pelo “bonding”.
This investigation aims to assess the contribution of maternal age for the establishment of the emotional relationship between mother and baby during the first days of his life. To this end, we used two instruments: a Socio-Demographic Questionnaire (developed for this study) from which one we can determine, in addition to other information, maternal age (independent variable) and “Escala de Ligação Mãe-Bebé” (adjustment of Mother-to-Infant Bonding Scale” [Taylor et al., 2005] and of “Bonding: escala para avaliar o envolvimento emocional dos pais com o bebé” [Figueiredo et all., 2005]) which enables to operationalize the "bonding" (dependent variable). The first instrument allowed also collect other relevant information with regard to data social, demographic, gynecological and obstetrical history and data concerning the experience of pregnancy and childbirth that contribute to the explanation of "bonding". It was observed, initially, that the "Bonding Rejeitante" in mothers aged 27 to 35 years is significantly higher than in mothers aged less than 26 years. The founded values, regard the type of “bonding” was not significants. None of three hypotheses was corroborated by the values of this study. However, mothers with 26 to 35 years seem to be more difficulties to establish an healthy relation with her baby. Regarding the hypothesis that predicted that age makes a significant contribution to explaining the variance of the dependent variable, this is only confirmed by the results with regard to the "bonding" type "Rejeitante". Finally, we found that, under the control variables, the variables "Duration of pregnancy", "Number of previous pregnancies," "Number of pregnancies interrupted", "occupational status" (of mother), "Length" and "Weight" of newborn contribute to a significant increase in the percentage of variance explained by "bonding".
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/6932
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie040154_tm.pdf1,03 MBAdobe PDFVer/Abrir
ulfpie040154_tm_BA1.spv31,35 kBFicheiro SPVVer/Abrir
ulfpie040154_tm_BA2.spv31,12 kBFicheiro SPVVer/Abrir
ulfpie040154_tm_BD1.spv31,08 kBFicheiro SPVVer/Abrir
ulfpie040154_tm_BD2.spv31,13 kBFicheiro SPVVer/Abrir
ulfpie040154_tm_BR1.spv31,09 kBFicheiro SPVVer/Abrir
ulfpie040154_tm_BR2.spv31,1 kBFicheiro SPVVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.