Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Medicina (FM) >
FM - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/7225

Título: O que sabe a população sobre factores de risco da diabetes tipo 2
Autor: Parreira, Cláudia Alexandra Marinho da Silva Alves, 1974-
Orientador: Ravasco, Paula, 1975-
Martins, Henrique
Palavras-chave: Diabetes Mellitus Tipo 2
Factores de risco
Conhecimento
População
Teses de mestrado - 2012
Issue Date: 2012
Resumo: Objectivo: A diabetes é uma das principais causas de mortalidade e de perda de qualidade de vida em países desenvolvidos. Em Portugal há actualmente 1.782.663 portugueses com pré-diabetes. Para inverter a tendência de crescimento da diabetes, as estratégias nacionais incidem nos factores de risco da doença. Sabendo que a informação influencia a adopção de estilos de vida saudáveis, analisou-se o nível de conhecimentos da população acerca dos factores de risco da diabetes tipo 2, e factores associados à variação dos níveis de conhecimentos. Métodos: O estudo foi descritivo, analítico, transversal e aplicado numa população não diabética. Aplicou-se um questionário com questões fechadas e semi-fechadas, entre os dias 1 e 10 de Maio de 2011. Realizou-se a análise estatística no software Epi-info, versão 3.5.3, com intervalo de confiança de 95%. Resultados: 51,7% da amostra obteve um score de conhecimento acima da média. 80% a 90% da população identificou o sedentarismo e excesso de peso como factores de risco e 40% a 60% não identificou como factores de risco: diabetes gestacional, alimentação pobre em fibras e vegetais, obesidade abdominal, dislipidémia ou hipertensão arterial. Discussão: Obtiveram melhores scores na avaliação de conhecimentos, inquiridos com médico de família, obesos, que frequentaram sessões de Educação sobre Saúde, que praticam actividade física diariamente, grávidas e mulheres com diabetes gestacional, contrariamente aos inquiridos com formação superior. Muitos indivíduos que reconheceram factores de risco mantêm esses comportamentos. Conclusão: O nível de conhecimentos foi médio, existindo falhas importantes que podem dificultar a mudança de comportamento. Alguns factores sócio-demográficos, clínicos e comportamentais estiveram associados ao melhor conhecimento dos factores de risco. Sendo o processo de adesão terapêutica condicionado pelo nível de informação, é de toda a importância uma melhor disponibilização dessa informação e desenvolver estratégias de saúde contextualizadas, que atribuam maior relevo aos educadores de saúde. Objective: Diabetes is a major cause of mortality and quality of life loss in developed countries. In Portugal there are currently 1,782,663 portugueses with pre-diabetes. To reverse the growing trend of diabetes the national strategies focus on disease risk factors. Knowing that the information influences the adoption of healthy lifestyles, this study analyzed the population knowledge level about risk factors for type 2 diabetes and associated factors with knowledge level variation. Methods: The study was descriptive, analytical, crossed and applied on a non-diabetic population. A questionnaire was applied with semi-closed and closed questions between May 1st and 10th of 2011. Statistical analysis was conducted through software Epi-Info version 3.5.3 with a 95% confidence interval. Results: 51.7% of the sample obtained an above average knowledge score. 80% to 90% of the population identified physical inactivity and obesity as risk factors. 40% to 60% did not identify as risk factors: gestational diabetes, poor fiber and vegetables diet, abdominal obesity, dyslipidemia or high blood pressure. Discussion: higher knowledge evaluation scores were obtained on respondents with a family doctor, obeses, Health Education sessions attendents, daily physical activity practitioners and pregnant women or pregnants with gestacional diabetes oppositly to respondents with higher education. Many of those who recognized risk factors keep these behaviors. Conclusion: Knowledge level was average. There are important gaps that may hinder behavior change. Some socio-demographic, clinical and behavioral factors were associated with better knowledge of risk factors. As the therapeutic adherence process being determined by the knowledge level is of utmost importance a better provision of such information and context health strategies development attributing higher importance to health educators.
Descrição: Tese de mestrado, Nutrição, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa - 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/7225
Appears in Collections:FM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
657913_Tese.pdf608,51 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia