Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/7653
Título: Stress parental e apoio social em mães e pais de crianças com epilepsia
Autor: Fonseca, Ana Rita Gomes da
Orientador: Santos, Salomé Vieira, 1959-
Palavras-chave: Stress parental
Apoio social
Epilepsia
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: Este estudo foca o stress parental (SP) e o apoio social (AS) em mães e pais de crianças com epilepsia e visa: (1) analisar se os grupos se distinguem no SP e no AS, e explorar a relação entre as duas dimensões; (2) averiguar, em cada grupo, a relação do SP e do AS com: (a) váriaveis relativas ao impacto da doença (cuidados especiais, dificuldades e preocupações); (b) a perspectiva sobre o funcionamento da criança em áreas específicas (comportamento, aproveitamento escolar, relação com pares e desenvolvimento geral); (c) variáveis sociodemográficas e da doença; (3) analisar, de forma exploratória, a comparação da perspectiva das mães e dos pais sobre o impacto da doença, a forma como se lida com ela e o funcionamento da criança em áreas específicas. Participaram no estudo 38 mães (G1) e 19 pais (G2) de crianças com epilepsia (6-12 anos). Utilizou-se o Índice de Stress Parental (Abidin & Santos, 2003) e a versão reduzida do Questionário de Apoio Social (Moreira et al., 2002), tendo sido ainda construída uma Ficha de Recolha de Informação (sociodemográfica, de desenvolvimento e referente à doença). Os grupos não se distinguiram significativamente no AS (Número/Satisfação), mas diferenciaram-se no SP (Total/Domínios), obtendo as mães resultados mais elevados. No caso destas, observou-se uma associação (negativa) entre as duas dimensões. Em ambos os grupos ocorreram relações significativas do SP com variáveis do impacto da doença (ainda que as áreas de impacto fossem diferentes no G1 e no G2) e com variáveis sociodemográficas, sobressaindo igualmente uma associação com dificuldades na aproveitamento escolar. O AS relacionou-se com o impacto da doença apenas no G1, mostrando também associações com variáveis sociodemográficas (mães/pais/crianças) e da doença. Os grupos não se distinguiram na perspectiva relativa ao impacto da doença, ao lidar com ela e ao funcionamento da criança em áreas específicas.
This study focuses on parenting stress (PS) and social support (SS) among mothers and fathers of children with epilepsy, and sets out: (1) to examine whether the groups differ in PS and SS, and to explore the relationship between these two dimensions; (2) to analyse, within each group, the relationship between PS and SS with: (a) variables related to the disease impact (special care, difficulties and concerns), (b) parents’ perspective on the child's functioning in specific areas (behaviour, school learning, relationship with peers and overall development), (c) sociodemographic and disease variables; (3) to analyse, in an exploratory manner, the comparison of mothers’ and fathers’ perspective on the disease impact, the way they deal with it and the child's functioning in specific areas. The group of participants was composed of 38 mothers (G1) and 19 fathers (G2) of children with epilepsy (6-12 years). The Parenting Stress Index (Abidin & Santos, 2003) and the short version of the Social Support Questionnary (Moreira et al., 2002) were used. A Form to collect specific information (sociodemographic, developmental and disease-related) was also constructed. The groups did not differ significantly in SS (Number /Satisfaction), but differed in PS (Total/Domains), with mothers obtaining higher results. In relation to the latter, a negative association between the two dimensions was found. In both groups, significant relations between PS and disease impact (although impact areas were different in G1 and G2) and sociodemographic variables were obtained. Furthermore, an association with school learning difficulties was observed. SS was only related to the disease impact in G1, also showing associations with sociodemographic (mothers/fathers/children) and disease variables. The groups did not differ in their perspective on disease impact, dealing with it or the child's functioning in specific areas.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/7653
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie042941_tm.pdf1,32 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.