Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/7654
Título: Desafios da adolescência : interação entre rituais familiares, social connectedness, coping e sintomatologia depressiva-ansiosa e diferenças entre famílias nucleares intactas e reconstruídas
Autor: Malaquias, Ana Sara Santos Patrício
Orientador: Francisco, Rita Mafalda Costa, 1981-
Palavras-chave: Rituais familiares
Coping na adolescência
Ansiedade
Depressão
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: A presente investigação avaliou a existência de diferenças entre adolescentes provenientes de famílias nucleares intactas e reconstruídas na realização de rituais familiares, nos níveis de social connectedness, no tipo de estratégias de coping utilizadas e nos níveis de ansiedade e depressão. Investigou-se ainda a relação entre a prática de rituais familiares, o tipo de coping utilizado e os sintomas de depressão e ansiedade; e testou-se o efeito mediador do social connectedness e do tipo de coping utilizado na relação entre rituais familiares e sintomas de ansiedade e depressão. Participaram no estudo 328 estudantes, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 14 e os 20 anos. Foi aplicado um Questionário de dados pessoais e sociodemográficos, o Coping & Resiliência (adaptado de Youth Connectedness Project, 2006), a Social connectedness Scale – Revised (Lee, Draper & Lee, 2001), a Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar (Snaith & Zigmond, 1994) e o Family Ritual Questionnaire (Fiese & Kline, 1993). Os resultados indicam que adolescentes provenientes de famílias nucleares reconstruídas utilizam mais estratégias de coping adaptativas e possuem maiores níveis de sintomatologia depressiva-ansiosa do que adolescentes provenientes de famílias nucleares intactas. Os rituais familiares relacionam-se positivamente com social connectedness e coping adaptativo (procura de apoio social) e negativamente com coping não adaptativo (externalização e evitamento) e com sintomas de depressão. Foram ainda encontradas associações positivas entre social connectedness e coping adaptativo e entre coping não adaptativo e sintomatologia depressiva-ansiosa e associações negativas entre social connectedness e coping não adaptativo (ruminação e evitamento) e entre coping adaptativo e sintomatologia depressiva-ansiosa. Confirmou-se também o efeito mediador do social connectedness na relação entre rituais familiares e sintomas de ansiedade e depressão e o efeito mediador do coping de evitamento na associação entre rituais familiares e sintomas de depressão. Apresentam-se limitações e contribuições do estudo, bem como sugestões para investigações posteriores.
The present investigation evaluated the existence of differences between adolescents from intact families and stepfamilies concerning family rituals, social connectedness, coping and anxiety and depression. This study also investigated the relationship between family rituals, coping, depression and anxiety and tested social connectedness and coping as mediators in the association between family rituals and anxiety and depression. A total of 328 students of both gender, aged between 14 and 20 years old, participated in this study, answering a sociodemographic and personal data questionnaire, the Coping & Resilience (Youth Connectedness Project, 2006), the Social connectedness Scale - Revised (Lee, Draper & Lee, 2001), the Hospital Anxiety and Depression Scale (Snaith & Zigmond, 1994) and the Family Ritual Questionnaire (Fiese & Kline, 1993). Results indicate that adolescents from stepfamilies use more adaptive coping and have more depressive-anxious symptoms than adolescents from intact families and that family rituals are positively related with adaptive coping (social support) and social connectedness and negatively related with maladaptive coping (externalizing and avoidance) and depression. Positive associations were found between social connectedness and adaptive coping and between maladaptive coping (rumination and coping) and depressive-anxious symptoms. Negative associations were found between social connectedness e maladaptive coping and between adaptive coping and depressive-anxious symptoms. The mediating effect of social connectedness was confirmed on the relationship between family rituals and anxiety and depression and the mediating effect of avoidance coping on the relationship between family rituals and depression. Contributions and limitations of this study were discussed along with sugestions for further investigation.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/7654
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie042946_tm.pdf1,46 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.