Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/8050
Título: Intergeracionalidade de estilos educativos parentais : continuidade ou mudança? : concordância ou discordância?
Autor: Marques, Joana Isabel Correia
Orientador: Narciso, Isabel, 1962-
Palavras-chave: Práticas educativas
Gerações - Família
Estilos parentais
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: O presente estudo exploratório, baseado numa abordagem qualitativa, tem como objectivo estudar a continuidade e concordância entre os Estilos Educativos Parentais dos Avós (Geração 1 – G1) e dos Pais (Geração 2 - G2), e a concordância e discordância na percepção dos Estilos Educativos Parentais (EEP) entre os Pais (G2) e Filhos Adolescentes (Geração 3 – G3), em famílias nucleares intactas com filhos adolescentes. Foi conduzido um estudo transversal, com informantes múltiplos, com 102 famílias nucleares intactas – pai, mãe e filhos adolescentes (15-19 anos) (N=306). Foram utilizados, como instrumentos, o EMBU-P, para avaliar a percepção dos Pais (G2) em relação às suas práticas parentais, e o EMBU-M para avaliar a percepção dos Pais (G2) e dos Filhos (G3) em relação às práticas parentais dos seus pais (G1 e G2, respectivamente). Através da Análise de Clusters não-Hierárquicos realizada, foram identificadas três tipologias de EEP – Autoritativo, Permissivo e Autoritário. A análise de dados teve em conta as três gerações e as linhas familiares (Materna e Paterna). Os resultados mostram que: (a) o padrão geral de transmissão intergeracional de EEP mais frequente, é o de continuidade entre os EEP das Avós (G1) e do Pai/da Mãe e discordância entre a percepção dos Filhos (G3) e dos Pais (G2), em relação ao EEP da Geração 2; (b) o padrão mais frequente da linha materna é o mesmo do padrão geral mais frequente; (c) o padrão mais frequente da linha paterna é a continuidade total e concordância intergeracionais, ou seja, o EEP dos Avós (G1) é igual entre si e igual ao dos Pais (G2), e a percepção dos Pais (G2) e dos Filhos (G3) é concordante; (d) relativamente à convergência/divergência intra-geracionais, o tipo de EEP mais convergente é o Autoritativo, apesar da divergência intra-geracional ser mais frequente. Os resultados apontam para a possibilidade das famílias adoptarem e/ou modificarem os modelos das famílias de origem de forma a criarem um Estilo Educativo Parental idiossincrático.
This exploratory study, based on a qualitative approach, aims to study the continuity and concordance between Parenting Rearing Styles (PRS) of the Grandparents (Generation 1 - G1) and the Parents (Generation 2 - G2) and the concordance and discordance in perceptions of the PRS between the parents (G2) and adolescent (Generation 3 - G3) in intact nuclear families with adolescent children. It was conducted a cross-sectional study with multiple informants, with 102 intact nuclear families - father, mother and teenage children (15-19 years) (N = 306). Were used as instruments, the EMBU-P to assess the perceptions of parents (G2) in relation to their parenting practices, and EMBU-M to assess the perceptions of parents (G2) and adolescents (G3) in relation to the parenting practices of their parents (G1 and G2, respectively). Through the performed analysis of non-hierarchical clusters, it was identified three types of PRS- Authoritative, Authoritarian and Permissive. The data analysis took account of three generations and family lines (Maternal and Paternal). The results show that: (a) the general pattern of intergenerational transmission of PRS more frequent, is the continuity between the PRS of Grandparents (G1) and the Father/ Mother and disagreement between the perception of the adolescent (G3) and Parents (G2) in relation to the PRS of the Generation 2 (b) the most frequent pattern of maternal line is the same most frequent general pattern, (c) the most frequent pattern of paternal line is the total continuity and intergenerational concordance, i.e., the Grandparents PRS (G1) is equal to each other and equal to the Parents (G2), and the perception of parents (G2) and Children (G3) is consistent, (d) with regard to intra-generational convergence / divergence, the PRS type more convergent is the Authoritative despite the intra-generational divergence being more frequent. The results points to the possibility of families adopt and/or modify models of families of origin in order to create an idiosyncratic PRS.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012
URI: http://hdl.handle.net/10451/8050
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie043172_tm.pdf1,79 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.